fbpx
19 99646-7010 19 3496-1747

Emancipação da ‘Cidade Coração’

.

Ainda que atrasado, não poderia deixar passar em branco o aniversário de nossa cidade, pois nossa Terrinha merece todo o nosso carinho, afinal já se vão 54 anos de história e com muitas estórias para serem contadas aos jovens de agora, para que enfim conheçam como foi a emancipação de nossa cidade.

O texto abaixo, adaptado de uma crônica escrita no Livro “Rafardeando”, por José Maria de Campos, retrata fielmente como foi que se deu a emancipação de nossa cidade, e a alegria que invadiu a todos, e a festa da vitória. Vale a pena a leitura!

“Dizia o poeta que o pensamento parece uma coisa à toa, mas como é que a gente voa, quando começa a pensar…

A corrida diária nos faz deixar de lado, gostosos momentos da vida, sem nos lembrarmos de que “recordar é viver novamente”.

E basta dar corda ao pensamento, que não há como parar…

Vira e mexe, me pego pensando nas pessoas, lugares e fatos, que marcaram o meu passado. Uns tristes, outros alegres, mas todos, parte de uma vida que se iniciou há mais de 50 anos.

Fatos, pessoas e lugares desfilam em nossa frente, como um filme a rodar…

Fatos como o dia em que Genaro Vigorito, diretamente de Brasília, avisou os rafardenses que Rafard estava emancipado, através do rádio amador instalado na garagem de Luiz Tomazini, dono da Empresa de ônibus Santa Maria…

A chegada de Genaro em Rafard, na carroceria de uma camionete (Chevrolet, é claro), desfilando pela cidade, saudado por milhares de rafardenses, agradecidos a esse capivariano, que, por amor à mulher amada, assumiu o comando da luta pela emancipação e, que não sossegou enquanto não viu a vitória final em 1964…

Em cada poste um barril de chopp.

Grandes churrasqueiras espalhadas pela Mauricio Allain para o povo todo do Churrasco da Vitória.

Como não lembrar das idas e vindas – foi emancipado, voltou a distrito – e cada ida e vinda era festejada com passeatas de rafardenses em Capivari e de capivarianos em Rafard, que diante das provocações de parte a parte, quase sempre terminavam em confusão.

Homens como Blota Júnior, Luiz Thomazi e Vicente Leporace foram agraciados com título de Cidadão Rafardense por defenderem Rafard na Assembleia Legislativa, dando assim enorme contribuição para o desfecho final, com a vitória de Rafard, agora como município.

E assim, a jovem Rafard dava seus primeiros passos, agora desprendida de Capivari, seguia seu destino, tendo à sua frente como seu primeiro gestor, Genaro Vigorito.

De lá para cá, foram muitos os que passaram tanto pela Câmara, como pelo Paço Municipal, e fizeram o que foi possível pela nossa cidade, mas nenhum até agora teve a mesma paixão, desprendimento e vontade política de Genaro – O Marechal da Vitória, em sintonia com os primeiros vereadores que comandaram nossa cidade.

COLUNA de autoria de Rubinho de Souza
Envie sua colaboração para o colunista: [email protected]

Deixe uma resposta