fbpx
19 99646-7010 19 3496-1747

Quando a gente vê, lá se foram 28 anos

Primeira capa do jornal O Semanário, em 1991 (Foto: Arquivo/O Semanário)

O dia 15 de maio vem aí, data em que anualmente o jornal O Semanário apaga velinhas e contabiliza mais um ano de lutas e histórias. Difícil dizer o por que depois dos 18 tudo passa tão rápido.

Na quarta-feira é dia de comemorar 28 anos dedicados à Rafard e região. Que história bonita, que orgulho de tanta dedicação dispensada a está árdua missão.

A história d’O Semanário não é segredo para ninguém. Como diz o ditado, nossa vida é literalmente um livro aberto. Quem gosta e acompanha, mergulha semanalmente nas páginas impressas ou, no conteúdo atualizado quase que diariamente no site oficial.

Não é tempo de falar das dificuldades, afinal, nunca foi fácil pra ninguém. E se fosse fácil não teria graça. Enfim, a insistência, muitas vezes vista como burrice, continua viva. Rafard pode se orgulhar de ter um veículo de comunicação, que mais do que levar as notícias ao seu povo, quebra as barreiras da distância, da ignorância e do preconceito, com circulação em mais quatro municípios vizinhos – Capivari, Mombuca, Porto Feliz e Elias Fausto, sem contar que todo conteúdo é disseminado através das redes sociais e do site oficial, o qual temos orgulho de divulgar que os números só crescem.

Assim caminha o impresso rafardense, ajudando a escrever histórias. Temos consciência que podemos e devemos ser melhores e, pode ter certeza, a ‘cede’ é grande. Não nos falta vontade e sim recursos para investir em material humano.

Fazemos o que podemos com o que temos e assim pretendemos permanecer, enquanto o bom jornalismo, com cobertura, edição e apuração for importante para você leitor.

Pois bem, lá se vão 1404 edições. Que todos se sintam abraçados nesta data, os fundadores, os colunistas que por aqui passaram e os que contribuem até os dias de hoje, os diversos jornaleiros, colaboradores e a todos que contribuíram e contribuem, direta ou indiretamente com esta trajetória, em especial os leitores e, é claro, a família.

E que a cada ano a gente possa comemorar juntos essa linda história!

Deixe uma resposta