Rubinho de Souza

Ao doutor Reginaldo Chiarini, minha homenagem

Meu Deus, como o tempo voa, como a nossa vida passa, sem que nos demos conta, num piscar de olhos, aquele menino de ontem se tornou um médico respeitado.

Ontem, dia 1º de junho, ao assistir o vídeo em que o Doutor Reginaldo relata todo o momento triste pelo qual passou ao ver seus pais internados e depois com a perda do pai e logo em seguida da mãe, chorei de tristeza, como se tivesse passado junto com ele por esse momento de dor.

Nossos pais, são para nossa vida, a base de tudo, o alicerce no qual nos firmamos, e quem perdeu os seus, sabe que nessa hora, ficamos sem chão, e uma sensação de um grande vazio em nossa vida.

Mas ao mesmo em que a tristeza me tomava, comecei a recordar de como o tempo passou tão rápido, e naquele momento passou um filme em minha cabeça, e passei a relembrar o passado, quando o Reginaldo era bem jovem, e vinha muito em minha casa junto com outros meninos, o Josenei Cordeiro, o Luciano que entrega pão para nós, o Anderson que era ajudante do Luciano na entrega do pão na madrugada…

Nesse tempo, as minhas crianças também eram ainda pequenas, e eu devido a situação difícil em que estava passando, não tinha condições de sequer fazer uma festinha de aniversário para eles, mas o Luciano falava para mim escondido das crianças: – Vamos fazer uma festinha para a Priscila? Ou para o Felipe ou a Léia, quando era o dia do aniversário de algum deles.

Dizia o Luciano: – Eu trago o bolo, e o Reginaldo traz guaraná caçulinha, e o Josenei traz o milho de pipoca para estourar. Aí eu providenciava um pouco de carne moída com molho de tomate, e com ele fazia uns lanchinhos, e assim nossa festa estava garantida.

dr-reginaldo-chiarini-fundo-do-baú-escola
Foto enviada pelo colunista

Foi um tempo muito bom, em que as minhas crianças eram muito felizes pelos amigos que tinham, pois embora a situação na época não era muito favorável, estando sozinha, e com três filhos para cuidar, mas Deus colocou na vida dos meus filhos amigos e amigas de verdade, que não tem como esquecer de todos eles…

A minha maior alegria, é ver hoje aquele menino que junto com seus amigos, sem saber trouxe momentos de felicidade para uma mãe em necessidade e seus filhos, ter se tornado um médico respeitado, por sua capacidade e muito mais por ser amoroso para com aqueles que o procura para ser consultado, e que sempre são bem tratados.

Por esse motivo é que faz por merecer todos os elogios vindo dos seus pacientes, e tem minha gratidão de todo meu coração por ter proporcionado aos meus filhos tão grande contentamento ao fazer aquelas festinhas surpresa que marcaram muito a vida deles e a minha também, que até hoje comentamos quando fazemos festa de aniversário de algum deles aqui em nossa casa.

Depois a minha filha Priscila, foi estudar na Escola Prof. Luís Grellet, e ainda continuaram com uma amizade muito bonita, aumentando ainda mais a turminha de amigos de verdade, que eram, Reginaldo, Josenei, Luciane, Janaína, Jonabia, Susana, Danieli e Billy.

Quero por meio desse humilde, mas sincero relato acima, prestar minha homenagem ao Doutor Reginaldo Chiarini por tudo que nos proporcionou naquele tempo, e por ser hoje, motivo de orgulho a nós rafardenses.
Nas minhas orações, rogo a Deus, para quando a saudade dos seus pais, apertar seu coração, que Ele derrame sobre você todo o conforto, consolando sua alma, pois com certeza, seus pais partiram na verdade, mas levaram em seus corações um orgulho enorme por ter um filho como você.

(Texto escrito por Elidamares de Souza Moura, em homenagem ao Dr. Reginaldo Chiarini que recentemente perdeu os pais, o que foi motivo de grande tristeza para os moradores de Rafard, onde o homenageado nasceu, e atende como médico)logo do fundo do baú raffard

Botão Voltar ao topo
Skip to content