ColunistasLeondenis Vendramim

Bíblia sem preconceito – 18

Leondenis Vendramim é professor de Filosofia, Ética e História

Se, como diz a Bíblia, o sábado é o dia santo (Ex 20:8-11), por Deus determinado para toda a eternidade Ex 31:16-17), por que se guarda o domingo?

Zarathrusta ou Zorastro (contemplador de astros) (660-583 a.C.) nasceu na Pérsia, hoje, Irã. O nome da sua capital, Teerã vem de Tirr, uma deusa da religião Zoroastrismo (ou Masdeísmo, ou Mitraísmo). Conta-se que ao nascer, o bebê Zoroastro riu alto e por isso o condenaram como diabólico, à fogueira, depois a ser pisoteado pela boiada e então entregue à mercê de uma loba, mas nada foi capaz de mata-lo (história muito parecida com a de Inácio de Loyola – falou o seu nome ao nascer, ferido por bala de canhão, condenado à prisão, e nada o destruiu). Zarathrusta recebeu um tipo de anjo glorioso chamado Vohu Mano, que o levou a um paraíso e ali o instruiu sobre o deus bom criador de todas as coisas Ahura Mazda e sobre suas doutrinas. Zarathrusta teve de fugir dos sacerdotes. Na nova pátria convenceu ao governador Vishtaspa e ao seu povo a aceitarem seus ensinos curando seu cavalo envenenado. Esse povo vivia num sistema de castas, praticava a endogamia, expunha os mortos às aves de rapina, era exacerbadamente politeísta, adoravam: o Sol, a Lua, as estrelas, as vacas, Tishytra (deusa da chuva), Vayu (do vento), Anaíta (das águas)… Mithra (deus da sabedoria e da luz) amigo do deus Sol era um dos mais importantes. Os zoroastristas construíram grandes templos e altares, onde ofereciam sacrifícios. Criam que um salvador do mundo nasceria da união de Zaratrusta e uma virgem. Mantinham que após três dias da morte, na ponte Cinvath, a alma era julgada pelos deuses Mithra, Sraosha e Rashnu; a alma que foi boa vê uma virgem de 15 anos e atravessa a ponte para o paraíso governado pelo deus Ahura Mazda; a que foi má vê uma como bruxa e é lançada no inferno, reinado pelo deus do mal Ahriman; aquelas que equilibraram boas e más obras, vão para o hamestagan para se purificarem (purgatório). Na ascensão ao céu, passam por três etapas: a primeira é dos bons pensamentos, a segunda das boas palavras e boas ações, e a terceira é o céu das luzes (ideologia adotada por Platão). Aguardavam a volta do Messias (Saoshyant) que aperfeiçoaria as pessoas para o final do mundo, no ano 12.000, quando acontecerá, a ressurreição e a ascensão. Cada dia da semana era dedicado a um deus, o domingo era dedicado em honra ao deus maior, o Sol. Santificavam o dia 25 de dezembro como natalício do deus Sol porque o Sol reaparece no solstício do inverno (23/12), bem como guardavam os dias santos dedicados aos seus múltiplos deuses. (Hist. da Civilização Ocidental, v.1, ps 103-110, Edward McNall Burns).

A religião mitraísta influenciou no absolutismo: Alexandre, o Grande foi deificado, após ele, reis adotaram o despotismo, assinavam como Antíoco Epifânio (Deus presente) e Theos (Deus) (obra supracitada, p. 194). Até os ministros exigiam que o povo ajoelhasse diante deles (Ester 3). Os imperadores romanos, como Calígula (27-41), Nero (54-68) Domiciano (81-96) martirizaram os discípulos de Jesus e milhares de cristãos; exilaram João (Ap 1:9-10) porque não os tinham como deuses; Deocleciano (284-311) e Constantino 1 (306-337) consideravam-se deuses e exigiam adoração à sua pessoa. Constantino I era mitraista e decretou a guarda do domingo em honra ao deus Sol no ano de 321; aboliu a perseguição aos cristãos. Por sua influência, o catolicismo adotou no Concílio de Nicéia, em 325 a guarda do domingo, adicionaram também os dias santos dedicados, agora, aos santos da igreja, modificando a lei de Deus, que determina a guarda do sábado (ver artigo da semana passada) e proíbe a adoração às imagens e aos santos). O termo mitra passou a identificar o chapéu cônico com duas faixas usado pelo papa e indica o seu poder papal (era usado pelos sacerdotes mitraístas). Platão e Santo Agostinho foram influenciados pelo mitraísmo. O zoroastrismo trouxe ainda para Roma um fanatismo pela astrologia. O zoroastrismo influenciou fortemente o mundo. Calcula-se que há atualmente 210.000 zoroastrianos pelo mundo, principalmente no Irã, Iraque, Índia, Afeganistão, Reino Unido, EUA, Canadá e muitos outros países. O Tadjiquistão propôs, e o departamento de Educação, Ciência e Cultura da ONU declarou o ano 2003 como comemorativo dos 3000 anos de religião e cultura mitraísta. Portanto, na sua religião pode haver traços do mitraísmo e você estar praticando paganismo.

ARTIGO escrito por Leondenis Vendramim é professor de Filosofia, Ética e História
Os artigos assinados não refletem necessariamente a opinião do jornal. São de inteira responsabilidade de seus autores.

Etiquetas
Botão Voltar ao topo
Fechar