Leondenis Vendramim

Bíblia sem preconceito – 42

leondenis vendramim colunista
Leondenis Vendramim é professor de Filosofia, Ética e História (Foto: Arquivo pessoal)

Há quanto tempo não se vê, em Rafard, um enxame livre, à procura de um lugar para construir sua colmeia? Não era incomum. Atraído pelas flores de eucaliptos, laranjais, os abelheiros eram presentes.

Rafard produzia laranjas baianas de 15 a 17 cm! Cresci subindo em mangueiras, vivíamos rodeados de pomares, canaviais com diversidade sem agrotóxicos, não eram incendiados, ouvíamos o canto alegre dos nhambus, codornas, seriemas e outros pássaros. Éramos pobres, mas nutridos.

Os administradores da Usina Sucreriè cuidavam dos rios piscosos, das fazendas com suas fontes de água e estradas, da sociedade e do meio ambiente. A Vila e as fazendas eram vivas, festivas, turísticas.

O capitalismo voraz destruiu nossa pujança, nosso meio ambiente, nosso esporte, nosso ”Primeiro de Maio”, o natal das crianças presenteadas pela Usina, enfim, nossa vida.

O ser humano é parte integrante e interdependente do bioma. A vegetação que atrai a chuva fornece o oxigênio mantém a vida dos animais, sem os quais o homem perece. O Sol, o vento, o ar, a água, os minerais, tudo na natureza promove a vitalização do ser humano.

Que Deus maravilhoso, Criador e mantenedor! Ele não se contenta em criar, mas, como artista, Ele matiza flores e frutos, aromatiza, põe sabor nos alimentos, colore a aurora e o pôr-do-sol. São lindos os animais, o céu estrelado, o canto das aves!

Somos inseridos num ecossistema pelo qual somos responsáveis. Fomos feitos à Sua imagem e semelhança do Criador para dominar sobre todos os animais e sobre toda a Terra (Gn 1:26); adicionando (Gn. 2:15) fica claro que somos representantes de Deus para governar os animais e toda a Terra como embaixadores, no lugar de Deus, suprindo suas necessidades com o mesmo amor e desvelo divinos.

“Os justos cuidam dos animais, mas os perversos são cruéis” (Pv 12:10). A Bíblia adverte contra o desmatamento, contra a destruição das aves, e de quaisquer elementos do meio ambiente “…os que destroem a Terra serão destruídos” (Ap. 11:18) Disse alguém: “Não vivemos sozinhos aqui. Dividimos nossa ‘casa’ com outros seres vivos, que também tem o direito de viver livremente e feliz. Portanto, a prudência equilibrada é fundamental para o nosso convívio e também agradará o nosso Criador”.

Esta advertência deveria nos levar à profunda reflexão sobre o nosso relacionamento com os animais. Deus vai pedir contas àqueles que espancam, ou não alimentam seus animais, aos que, por ganância, incendeiam matas queimando inúmeros bichos, destroem o oxigênio e aos poluidores da água.

O tema é mais sério do que podemos imaginar. Parafraseando S. Paulo (Ro 8:19-23): “A ardente expectativa da criação aguarda a revelação dos filhos de Deus. A criação ficou sujeita à vaidade por imposição daquele que a sujeitou, na esperança de que a própria criação seja livre do cativeiro da corrupção para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Toda a criação geme em angústia, e não só ela, mas nós mesmos… gememos no íntimo aguardando… a redenção do nosso corpo). E você pensa que não vai piorar? Deus que conhece o futuro afirma que a situação irá de mal a pior (2Tim 3:13).

Para aqueles que creem há esperança. Deus promete que queimará todos os males, purificará todo o bioma (fará uma nova terra, um novo céu (Ap 21:1) onde os animais serão dóceis (Is 11:6-10); clima agradável, não haverá brejo, nem deserto (Is 35:1-7); os rios serão limpos, livres da poluição, sua água dará vida (Ap 22:2), seus frutos vigor (Ap 22:2). Não haverá choro, pois não haverá tristeza, contendas, dor, morte, doenças (Ap. 21:4). As mulheres não terão filhos (Mt 22:30).

O ser humano terá corpo incorruptível e imortal (1Cor 15:51-54), sempre sadio, eternamente jovem (Mal 4:2), à semelhança de Jesus pós-ressurreto (1Jo 3:2). Não haverá incêndio, agrotóxicos, poluição de água, ar, ou do som. Os frutos serão imperecíveis, nenhum inseto, ou, animal nocivo (Is 11:6-9). Deus morará entre os humanos e eles poderão vê-Lo face à face (Ap 22:3-4).

Para coroar, Deus trará uma cidade cujas ruas são calçadas de ouro, portais de pérola, muros de jaspe enfeitados com pedras preciosas variegadas (Ap.21:9-27); uma cidade onde iremos adorar a Deus todos os sábados e a cada Festa da Lua Nova (Is 66:23). Paulo diz que Deus preparou uma nova vida, a qual, o homem nem consegue imaginar (1Cor 2:9). Pode crer! O próprio Jesus afirma: “…estas palavras são fiéis e verdadeiras” (Ap 21:5). Jesus virá buscar os que creem para viver essa vida em abundância. Esteja lá!

ARTIGO escrito por Leondenis Vendramim, professor de Filosofia, Ética e História. Os artigos assinados não refletem necessariamente a opinião do jornal. São de inteira responsabilidade de seus autores.

Etiquetas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar