Leondenis Vendramim

Bíblia sem preconceito 50

leondenis vendramim colunista
Leondenis Vendramim é professor de Filosofia, Ética e História (Foto: Arquivo pessoal)

Certo dia, um professor de religião perguntou a Jesus o que devia fazer para conseguir a vida eterna e Ele ensinou: “o que está escrito na lei?” Faça isso e você terá a vida eterna (Mc 10:25-28).

Como vimos anteriormente, desde a origem do mal, o homem luta contra a morte. Os cientistas têm dispendido muitos anos em pesquisas e gigantescas fortunas (4 trilhões de reais) para descobrir o elixir da eternização.

Só os milionários conseguiriam pela crionagem, ou, outros processos, sem garantia, ampliar a longevidade, mas nunca a imortalidade. Estão à procura do que Deus já revelou e deixou por escrito: como tornar-se saudável, feliz, longevo, imorredouro, e muito melhor, é de graça!

O problema é que o humano gosta e quer os privilégios, mas detesta cumprir regras, enfada-se com as tarefas para alcançar a vivacidade. Para atingir longevidade tem de obedecer às leis da saúde: tomar água e comer temperantemente, fazer exercícios físicos, repousar no horário certo, não comer, nem beber o que é prejudicial à saúde, não irar-se, ter mansidão, gentileza, e presteza em perdoar.

Jesus nos ama e declarou por meio do apóstolo João: “amado, acima de tudo desejo que te vá bem, e que tenhas saúde…” (3 Jo. 2), e adverte: “… sois santuário de Deus, o Espírito de Deus habita em vós. Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá” (1Cor 3:16-17).

É parte da lei de Deus preservar a saúde, o quanto esteja ao alcance, para tanto, Ele fez o homem racional. Não há governo sem lei, mesmo no anarquismo existem leis.

Se queres entrar na vida eterna guarda os mandamentos diz Mt 19:17. Cristãos concordam que os assassinos, ladrões, adúlteros, blasfemos, beberrões, avarentos, idólatras não vão para o céu por transgredirem os dez mandamentos de Deus (1 Cor 5:11).

Pecado é transgressão da lei de Deus (1 João 3:4). A Escritura ensina que todos os homens pecaram (Ro 3:23), e se enquadram nesse submundo. A consequência é a morte (Ro 6:23). É claro que S. Paulo refere àquela morte punitiva no fogo final (Ap 20:11-15; Mt 25:41) e não àquela que até os santos (Paulo, João, Maria e Jesus) morreram.

Graças a Jesus, e enaltecido seja Ele, que não deixou os pecadores sem um meio de escape. Ele nasceu do ventre humano (de Maria) assumindo misteriosamente natureza humana, viveu uma juventude como nós, mas sem pecar, sequer por pensamento.

Contudo, foi crucificado, morreu condenado por assumir as culpas dos homens, não de todos, mas daqueles que creem (João 3:16) e se arrependem de ter pecado (At 3:19) contra o próximo, contra si mesmo e contra Deus. Arrependimento é entristecer-se por algum ato, o que implica em não pretender repetir o feito. S. Pedro fala em arrepender-se e converter-se (mudar de atitude).

Quando Maria Magdalena foi pega em adultério, seus acusadores determinaram a sentença: a lei manda apedrejar (João 8:5). Mas Jesus disse: “Nem Eu tão pouco te condeno; vai e não peques mais” (João 8:11). Maria deixou a prostituição, seguindo doravante o seu Salvador.

Se o pecador perdoado torna a pecar (a natureza humana é má), deve arrepender-se, pedir perdão e esforçar-se novamente para não pecar mais (1 João 1: 9-2:1). O perdão de Jesus não é um salvo-conduto para continuar pecando.

Aquele que tem a esperança de salvação purifica-se a si mesmo como Ele é puro. O que é nascido de Deus não vive na prática do pecado porque a semente de Deus permanece nele (1 João 3:3,9). Pedro compara o pecador perdoado e torna ao mau com a porca que volta ao lamaçal e ao cão ao seu vômito (2Pe 2:20-22).

Jesus diz que o estado desses é pior do que o anterior, mais endemoninhado (Mt 12:45).

O perdão é dado ao pecador pela misericórdia de Deus sem contrapartida, mesmo sem qualquer esmola, sem boa ação, por isso, os teólogos dizem que a salvação é pela GRAÇA, nada custa ao pecador: “Vinde e comprai sem dinheiro, sem preço (Is.55:1). Porém o preço real pago pelo resgate dos pecadores foi muito doloroso, custou a vida de Jesus.

Ele foi perseguido, caluniado, chicoteado, com espinhos na cabeça, pregado na cruz em dia ensolarado, sedento, faminto, vertendo o sangue em nosso lugar.

Veja leitor o quanto você é caro a Jesus, o quanto Deus o ama. Porém, apesar de as lutas serem contra as potestades do mal e contra os maus desejos, todos devem se esforçar por entrar na nova vida pela porta estreita.

ARTIGO escrito por Leondenis Vendramim, professor de Filosofia, Ética e História. Os artigos assinados não refletem necessariamente a opinião do jornal. São de inteira responsabilidade de seus autores.

Etiquetas
Botão Voltar ao topo
Fechar