Capivari

Boto Rosa, Maria Christina Pacheco e José Sudki são homenageados na Câmara Municipal de Capivari

O radialista e locutor de rodeios André Luís Machado, mais conhecido como Boto Rosa, foi homenageado na Câmara Municipal de Capivari na noite de segunda-feira, 04, com uma Moção de Congratulações de autoria do presidente Du Bombonatti “Tambú” (Republicanos), pelos trabalhos desenvolvidos em prol da defesa e incentivo da cultura tropeira tradicional no município.

A propositura foi aprovada em 24 de maio, mas entregue apenas agora por conta da abertura do plenário ao público.

Presidente Du Bombonatti entrega Moção ao Boto Rosa. Foto: Divulgação/Câmara de Capivari

Acompanhado de outros integrantes da “Turma do Chapéu”, termo usado por ele, Boto Rosa falou em tribuna sobre a história da cultura tropeira em Capivari e agradeceu pela homenagem. Atualmente, apresenta o programa Hora do Rancho, na rádio Raízes FM, com programação musical que fomenta a cultura caipira, e possui um bordão bastante conhecido: “Cai n’água capivara, que lá vem bala”.

Vereadores com Boto Rosa. Foto: Divulgação/Câmara de Capivari

Logo após, foi a vez do vereador José Eduardo de Campos Pacheco (PL) prestar homenagem a todos os envolvidos na construção da Represa Milhã.

Vereador José Pacheco entrega Moção para Christina e José Sudki. Foto: Divulgação/Câmara de Capivari

No plenário da Câmara, estiveram presentes a senhora Maria Christina Clemencio Gonzaga Pacheco e o senhor José Sudki, que representaram as famílias Gonzaga, Borba, Pacheco e Annicchino, todas envolvidas nesse grande projeto que resultou em uma das principais fontes de abastecimento de água de Capivari.

Maria Christina também usou a tribuna para agradecer pela homenagem e aproveitou para pedir que os vereadores cobrem e fiscalizem para que o Poder Executivo execute constantemente a manutenção do local.

A iniciativa da criação da represa partiu do ex-prefeito Romeu Annicchino, com apoio de Sudki, em meados dos anos 60.

Vereadores com os homenageados. Foto: Divulgação/Câmara de Capivari

Ao saberem do problema da falta d’água no município, os senhores Antônio Gonzaga Pacheco e Hernâni Dias Gonzaga e a senhora Maria Aparecida Borba cederam dez alqueires de terra para a construção da represa, uma grande obra para a época, que posteriormente seria chamada de Milhã.

Jornal O Semanário

Esta notícia foi publicada por um dos redatores do jornal O Semanário, não significa que foi escrita por um deles, em alguns dos casos, foi apenas editada.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Skip to content