Arnaldo Divo Rodrigues de Camargo

Chico Xavier e o espiritismo praticado

Arnaldo Divo Rodrigues de Camargo é especialista em dependência química pela USP/SP-GREA
Arnaldo Divo Rodrigues de Camargo é especialista em dependência química pela USP/SP-GREA

Chico Xavier, em sua tarefa mediúnica, era procurado por pessoas que lhe consultavam sobre livros que tratassem dos problemas humanos, como este pedido endereçado a (e respondido por) Emmanuel:

“Eis aqui, portanto, adaptada quanto possível ao campo do esforço humano, a nossa cartilha simples. Pensamento e vida, chamamo-lhe no Mundo Espiritual e, sob a mesma designação, oferecemo-la aos nossos irmãos de luta, temporariamente internados na esfera física, para informá-los, ainda uma vez, de que o nosso pensamento cria a vida que procuramos, através do reflexo de nós mesmos, até que nos identifiquemos, um dia, no curso dos milênios, com a Sabedoria Infinita e com o Infinito Amor, …”

Esse é um trecho central do prefácio do livro, ditado em Pedro Leopoldo e datado de 11 de fevereiro de 1958.
Transcorria o ano de 1958, Chico Xavier também era procurado por muitos repórteres para entrevistas, a série de livros do espírito André Luiz, e sua produção em prosa e verso continuava despertando o interesse pela literatura espírita, e um repórter da Rádio Difusora de Uberaba, do programa Onda de Luz, indaga do médium:

— Qual a melhor maneira para que a criatura se torne um verdadeiro espírita?

— Os benfeitores espirituais – responde o médium – sempre me dizem que temos espíritas de variados matizes e acrescentam que o espírita ideal é sempre aquele que conjuga a sua fé com o trabalho ativo no bem incessante, tomando por base o próprio aperfeiçoamento. Emmanuel costuma afirmar que o espírita genuíno é sempre alguém que caminha no mundo aprendendo e servindo, porque aprendendo estaremos na educação e servindo viveremos na caridade.

E finaliza o médium:

— Nesse sentido, nosso orientador (Emmanuel) sempre recorda a palavra de Allan Kardec, quando assevera que o verdadeiro espírita é conhecido pelo esforço que realiza para sua própria sublimação de ordem moral.

Assim, peçamos a Jesus que nos inspire e proteja, porque, segundo os nossos Orientadores da Vida Maior, estamos em nossas casas doutrinárias com o espiritismo-prático, e fora delas os nossos irmãos de humanidade estão procurando em nós todos o espiritismo praticado.

Rodrigues de Camargo
Fonte: A Terra e o semeador, IDE, 1975. Pensamento e vida, FEB, 1958

Etiquetas
Botão Voltar ao topo
Fechar