Editorial

Comemorar com responsabilidade

São novos tempos! As comemorações têm um gosto diferente. Amargura para aqueles que seguem as recomendações e optam em não se reunir, evitando as aglomerações, mesmo que em família. Na contramão, estão as pessoas que preferem o gostinho da adrenalina ou porque não chamar de irresponsabilidade, por arriscarem as suas vidas e a de seus familiares e amigos.

Quem está certo ou errado? Pelo sim ou pelo não, fica a critério de cada um fazer a sua escolha.

Cabe alertar que, infelizmente, milhares de pessoas continuam sendo infectadas diariamente e tantas outras perdendo suas vidas para uma doença que não pede licença para entrar e não enxerga classe social, religião ou raça.

Só quem passa pela triste dor da perda de um ente querido, e também aqueles que enfrentam a angústia de aguardar por dias ou semanas o retorno de um enfermo no leito do hospital, pode expressar o quanto é dolorosa a situação.

Enfim, são tempos difíceis. Mas é preciso se adaptar e saber escolher: viver intensamente o hoje, o agora, ou ter paciência, se cuidar e esperar, para viver dias melhores?

Neste domingo (9), será uma dessas datas difíceis de manter o distanciamento. Todos querem ver, abraçar e comemorar com suas mães. Mais uma vez, a escolha é sua!

Três dias depois, no dia 12 de maio, profissionais essenciais e que tem feito a diferença nesta luta contra a Covid-19, também devem receber o reconhecimento pelo Dia da Enfermagem. Diga-se de passagem, esses ‘anjos da guarda’, que junto com todos os outros profissionais da Saúde, tem enfrentado essa pandemia com extrema coragem, merecem nossos aplausos pela generosidade, que se adequa ao lema ‘dar de si, sem pensar em si’.

Que a luta deles não seja em vão!

Para contribuir, basta abdicar de alguns momentos agora, para termos o prazer de vivermos momentos ainda melhores num futuro próximo.

A vitória contra o coronavírus há de estar próxima. Temos que confiar e orar para que isso aconteça.

O livro de Eclesiastes profetiza que há para todas as coisas um tempo determinado por Deus. “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu: há tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou; tempo de matar e tempo de curar; tempo de derribar e tempo de edificar; tempo de chorar e tempo de rir; tempo de prantear e tempo de saltar; tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar e tempo de afastar-se de abraçar; tempo de buscar e tempo de perder; tempo de guardar e tempo de deitar fora; tempo de rasgar e tempo de coser; tempo de estar calado e tempo de falar; tempo de amar e tempo de aborrecer; tempo de guerra e tempo de paz”.

Tenhamos fé!

Feliz Dias das Mães, com responsabilidade e amor ao próximo. E aos profissionais de enfermagem, que Deus e Nossa Senhora Aparecida os cubram com seu manto sagrado.

Botão Voltar ao topo
Skip to content