Elizete Cristina Aguiar

Como retomar os conteúdos não aprendidos sem deixar de cumprir o programa?

A chamada “recuperação contínua”: Reserve um momento da sua carga horária para os agrupamentos e no restante do seu horário siga com o programa normal.

Reforço ou a chamada “recuperação paralela”: Quando possível, é um caminho ideal para que a aprendizagem melhore sensivelmente. Quem acompanha o aluno no contra turno recebe as atividades e a orientação do que o aluno não sabe e posteriormente faz a devolutiva do que ele avançou e o que ainda tem dificuldade.

O reforço escolar é o grande “segredo” para que a aprendizagem siga seu caminho. Uma experiência que realizei quando secretária municipal de educação, foi a de implantar acordos de cooperação com estudantes estagiários das Faculdades Regionais, cujos universitários em seus estágios recuperavam os alunos com dificuldades, economizando assim na contratação de professores e melhorando na aprendizagem, além de enriquecer a experiência e o currículo desses universitários.

Agora é o momento de saber se a recuperação funcionou. Elaborar novas atividades e novas avaliações com questões semelhantes às das avaliações anteriores, porém de forma diferenciada. Não é aconselhável repetir as estratégias já usadas. Também não é “ético” e nem “pedagogicamente” correto separar os alunos chamados de “fracos” em salas diferentes dos ditos “fortes”. Agora de forma individual, para ver se a “garotada” aprendeu mesmo retome o diagnóstico inicial e caso ainda existam dificuldades retome os agrupamentos. Não espere a última semana do ano letivo e não decrete “sentença” de reprovação antes do prazo e de tentar todas as chances que ele tem direito.

Botão Voltar ao topo
Skip to content