DestaquesRegião

Constantes queimadas e qualidade do ar preocupam

Bombeiros de Capivari tem atendido diariamente até 3 ocorrências de queimadas de grandes proporções (Foto: Ilustrativa)

Uma nota da Defesa Civil de Capivari informando as constantes quedas na qualidade do ar despertaram atenção e preocupação da população e autoridades. Os índices atingiram registros colocando a cidade em Estado de Atenção – de 20% a 30 % – nos últimos dias. No sábado, 14, a Umidade Relativa do Ar (URA) atingiu 28,6%, e no dia seguinte, já estava em 25%. A mínima de 24,7% foi registrada entre as 7h de terça-feira, 17, e às 7h, de quarta-feira, 18. Já de quarta para quinta-feira, 19, houve um aumento e foi registrado 32,4% de URA. Os dados foram coletados pela Estação Meteorológica Automática (IAC/CIIAGRO), instalada na Assocap (Associação dos Fornecedores de Cana de Capivari).

A falta de chuva e as constantes queimadas têm contribuído para piorar a qualidade do ar e consequentemente causado um desequilíbrio ambiental. Segundo Everton Luis Soares, comandante do Corpo de Bombeiros de Capivari, nesta época, todos os dias e sempre após o almoço, a corporação tem atendido cerca de 2 a 3 queimadas de grande proporção. “Isso tem prejudicado outros atendimentos, levando em conta que além de Capivari, atendemos também Rafard, Mombuca, Elias Fausto e Cardeal”, explica.

De acordo com Soares, a maioria das ocorrências são em pastagens à beira das rodovias e em lotes particulares. Ele conta que alguns incêndios são ocasionados por vandalismo e outros pelos próprios donos, que ateiam fogo para limpar o local e acabam perdendo o controle.

Nesta época, alguns dos problemas que podem ocorrer com a baixa umidade do ar são: complicações alérgicas e respiratórias devido ao ressecamento das mucosas, sangramento pelo nariz, ressecamento da pele, irritação dos olhos, eletricidade estática nas pessoas e em equipamentos eletrônicos e aumento do potencial de incêndios em pastagens e florestas.

Para o sargento dos Bombeiros, além da saúde pública, as queimadas aumentam também os riscos quando acontecem a beira das rodovias, podendo ocasionar acidentes. “Tem a questão dos animais, muitos morrem queimados, como cobras e passarinhos no ninho, outros, ao tentar fugir pelas estradas, acabam sendo atropelados, árvores são queimadas, enfim, são inúmeros os prejuízos”, conta.

A verdade é que prevenção continua sendo o melhor remédio. Terrenos limpos reduzem as chances de incêndios. Fiscalização e campanhas de conscientização também são necessários para manter a ordem e diminuir os riscos.

Questionada sobre o número de ocorrências de queimadas, ações de prevenção e fiscalização, a Prefeitura de Rafard não soube informar, alegando estar sem ninguém no cargo de chefia da Defesa Civil, antes ocupado por Reinaldo Flausino, que também acumulava a função de chefe de Gabinete. Segundo o Executivo, ele pediu demissão no dia 6 de julho e os cargos ainda não foram preenchidos.

Já em Capivari, a Diretoria de Meio Ambiente informou que é de responsabilidade dos proprietários dos terrenos a sua correta limpeza e capinação. Segundo a prefeitura, durante este ano está sendo realizada a Campanha Cidadão Consciente e Fiscalizador que tem como intuito conscientizar a população e torná-la fiscalizadora de descarte irregular de resíduos sólidos, bem como apresentar os danos que estas ações podem causar ao meio ambiente e principalmente à saúde pública. “É importante frisar que, para ser aplicada multa é necessário o flagrante. Para isto, a população tem à disposição para denúncia o telefone 0800 771 3365 da Ouvidoria Municipal que atende em horário comercial, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Fora deste horário, pode-se entrar em contato com a Guarda Municipal pelo 153 ou 3492-1311”, diz a nota.

Caso não tenha a possibilidade de denunciar para o flagrante, o cidadão poderá encaminhar vídeo ou foto que identifique o infrator, mostrando a placa do carro que realizou o descarte e quando possível, o endereço do mesmo. Essas imagens e dados podem ser encaminhadas para o e-mail: [email protected] Segundo a prefeitura, todas as denúncias, por qualquer meio, serão mantidas em absoluto sigilo.

“Em todos estes casos de queimadas, mato alto ou descarte irregular de resíduos são passíveis de multa. Sendo assim, primeiramente será realizada uma notificação. Caso a pessoa não se adéque em cinco dias é aplicada multa de 400 UFMs (Unidades Fiscais do Município) – cada unidade desta equivale a R$ 2,26. Se houver reincidência o valor dobra. Em ações de flagrante a multa é dada diretamente, sem haver notificação anterior”, explica a diretoria de Meio Ambiente.

Prevenção
Para evitar ou minimizar a ocorrência de problemas de saúde em decorrência do tempo seco, a Secretaria de Estado da Saúde indica alguns cuidados importantes. Caso essa porcentagem diminua entre 20 e 30%, a população deve evitar exercícios físicos ao ar livre entre 11 e 15 horas; umidificar o ambiente através de vaporizadores, toalhas molhadas, recipientes com água; sempre que possível permanecer em locais protegidos do sol, em áreas vegetadas; consumir água à vontade.

A baixa umidade relativa do ar dificulta a dispersão de poluentes. Esses poluentes, na forma de diversos tipos de partículas (ácaros, o enxofre que sai do escapamento de veículos, poeira e restos de materiais queimados, entre outros) ao ficarem em suspensão no ar, acabam sendo inalados pelas pessoas o que acaba favorecendo a ocorrência de problemas respiratórios e infecções.

Jornal O Semanário

Esta notícia foi publicada por um dos redatores do jornal O Semanário, não significa que foi escrita por um deles, em alguns dos casos, foi apenas editada.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Skip to content