Capivari

CPFL deve receber nova Moção de Repúdio, dessa vez em Capivari

Foto: Divulgação/Cãmara Capivari

Preocupado com os impactos do corte de energia elétrica no comércio de Capivari no último sábado (8), o vereador Nelson de Sousa Soares criticou a CPFL Energia durante o uso da tribuna livre, na sessão ordinária de segunda-feira (10), na Câmara de Capivari.

Soares expôs o drama sofrido pela população de Capivari, que constantemente e sem aviso prévio, é surpreendida pelo corte de energia elétrica e pela falta de qualidade nos serviços prestados pela Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL). Ele pretende apresentar uma Moção de Repúdio, para que a empresa não realize corte programado de energia na área central e nas áreas de comércio, em dias de maior movimento e sem o aviso prévio.

“Falta muito respeito desta empresa para com a população, ela tem que organizar melhor e fazer serviços em dias e horários que não prejudiquem nosso comércio”, criticou o vereador.

No último sábado (8), logo nas primeiras horas da manhã, comerciantes da região central reclamaram dos prejuízos que tiveram em razão do corte programado de energia. O fornecimento só voltou após as 13h, quando o comércio começava a fechar as portas.

Esta não é a primeira vez que estabelecimentos comerciais perdem vendas e alimentos que dependem de refrigeração permanente, devido ao corte de energia.

“No último sábado, com intenso movimento no comércio, alguns perderam mercadorias, tiveram prejuízos porque dependem de energia elétrica para refrigerar alimentos, para usar máquina de cartão e caixa”, comentou Nelson Soares.

O vereador Denilton Rocha dos Santos acrescentou que em outros aspectos se observa total falta de respeito com a população.

“Sugiro que acrescente agilidade na troca de lâmpadas e acredito que devemos fazer como em Rafard, propor mesmo essa Moção de Repúdio pela falta de serviços da CPFL”.

Segundo Soares, em 10 de dezembro de 2019, ocorreu um grave acidente que matou um animal de estimação na rua Érico Veríssimo. Ele relata que o cachorro encostou no fio de alta tensão deixado desprotegido após reparo, pelos funcionários da companhia. Depois do acidente, os funcionários precisaram de acompanhamento da polícia, porque temiam a revolta da população.

“Estive no local e acompanhei quando os funcionários da CPFL chegaram acompanhados pela polícia com medo da população local devido ao que aconteceu ao cachorro”, conta.

Valdir da Farmácia também apoiou o vereador e incluiu na cobrança, a poda de árvores próximas às fiações.

Etiquetas
Botão Voltar ao topo
Fechar