NotíciasRafard

Decreto reduz reembolso escolar para 30%

04/09/2015

Decreto reduz reembolso escolar para 30%

‘Rafard precisa parar de ser cidade de dormir’, diz aluna; redução é um desestímulo aos estudantes, reclama mãe
decreto-reembolso-rafard
Decreto fixado no mural do saguão da Prefeitura de Rafard (Foto enviada por leitor)

RAFARD – Um decreto assinado pelo prefeito César Moreira (PMDB) no último dia 26 oficializou a redução do reembolso escolar para 30%. A mudança passou a valer na terça-feira, 1º de setembro, para todos aqueles que recebem o benefício: estudantes universitários, de cursos técnicos e nível médio que estudam em outras cidades e, por isso, precisam ir e voltar de ônibus ou van todos os dias.

De acordo com o documento, a diminuição da porcentagem do auxílio transporte, que até então era de 50%, se deve à dificuldade que Rafard está enfrentando para fechar as contas, devido ao aumento dos custos da administração atrelado à diminuição da receita. Considera também as necessidades do município de fazer com que os gastos atendam a Lei de Responsabilidade Fiscal.

A medida não agradou aos universitários, que contam com o reembolso de parte do valor pago ao transporte escolar para continuarem bancando bons cursos em outras cidades, já que Rafard não tem opções de graduação. É o caso de Tatiane Leme, de 21 anos, que cursa Ciências Econômicas na Unimep, em Piracicaba, e procurou o jornal O Semanário para reclamar da decisão repentina de Moreira.

“Essa não é a primeira vez que os alunos pagam por inconsequência dos nossos representantes. Em mandatos anteriores foi cogitado até o cancelamento do reembolso”, lembra. “Conheço pessoas que estudam comigo e que têm irmão que também faz faculdade e os pais têm de pagar duas vans, e com a redução do reembolso o valor acaba sendo alto demais. Tem alunos pensando em parar de estudar.”

As prefeituras não são obrigadas a fornecer o reembolso escolar. Apesar disso, Rafard paga 50% do valor gasto pelos estudantes desde o segundo semestre de 2013, como promessa de campanha de César Moreira e do vice Carlos Roberto Bueno (PPS). Antes, era 30%. Na época, Moreira disse que esse incentivo aos jovens era “tão importante quanto manter os investimentos em obras, serviços e funcionalismo”.

Uma estudante que não quer ser identificada é um exemplo do que foi dito por Tatiane. Para que ela e o irmão possam estudar em outra cidade, a família desembolsa mensalmente R$ 600. “Se eles continuarem com essa ideia absurda vamos receber de reembolso só R$ 90”, afirma. “A única coisa que nós estudantes pedimos à nossa Prefeitura é o reembolso, que é fundamental”, reforça.

A aluna disse acreditar que são atitudes como essa que fazem com que os jovens deixem o município em busca de melhores condições. “Rafard parou no tempo. A Prefeitura está tirando os sonhos das nossas mãos. Estão dificultando cada vez mais. Na minha van tem futuros economistas, advogados, nutricionistas, professores; algo que no futuro seria ótimo para a cidade. Rafard precisa parar de ser cidade de dormir.”

Ela reclamou ainda que os estudantes não foram avisados da mudança com antecedência. “Ficamos sabendo ontem (1º) pelas redes sociais. Uma falta de respeito, do meu ponto de vista.” Isso porque, o decreto foi fixado no mural do saguão da Prefeitura na última semana e não foi divulgado em outros meios de comunicação. “Eles deveriam fazer uma reunião com nós estudantes, porque esse assunto diz respeito a nós.”

Edinéia Leme, de 45 anos, é mãe de Tatiane e disse estar indignada com a mudança. “Pago R$ 1.100 de faculdade. O reembolso contribui para que possamos continuar investindo no futuro dos nossos filhos”, conta. “A redução é um desestímulo para os jovens, que cada vez mais perdem a vontade de ficar aqui. Não adianta os vereadores trazerem empresas para a cidade e não estimularem os jovens a se profissionalizar.”

“Estamos nos tornando uma cidade com muitos idosos e poucos jovens capacitados para trabalhar”, diz Tatiane. Não adianta dar recursos para empresas virem para a cidade e não terem mão de obra capacitada, o que vai levar a contratar pessoas de fora da cidade, não trazendo benefício para o município, bem como para a população.”

Desde a última quarta-feira, 2, um convite para uma manifestação pacífica no próximo dia 14, na Câmara de Rafard, está circulando no WhatsApp. Os estudantes e pais de alunos comparecerão à sessão, que tem início às 20h, para reivindicar aos vereadores e ao prefeito que seja mantido o valor do repasse escolar em 50%. “Compareça no dia marcado. Contamos com seu apoio”, diz a mensagem.

Etiquetas
Botão Voltar ao topo
Fechar