Leondenis Vendramim

Deus, a Bíblia e a Ciência 10

leondenis vendramim colunista
Leondenis Vendramim é professor de Filosofia, Ética e História (Foto: Arquivo pessoal)

Os capítulos 1 e 2 de Gênesis são alguns dos mais importantes da Bíblia, são fundamentais para o restante das Escrituras. Muitos dos principais ensinamentos bíblicos têm sua fonte nesses capítulos.

Neles encontramos a natureza de Deus unitária, Pai, Filho e Espírito Santo, (Gn 1:1-2, compare com Jo 1:1; Hb 1:1-2) para criar o mundo culminando com a criação do humano (Gn 1:26-28; 2:18-24); Deus incluiu a guarda do sábado, para que homens e animais descansem da labuta semanal e adorem ao seu Criador.

Igualmente, os capítulos seguintes de Gênesis embasam outras relevantes doutrinas: a origem de todos os males (Gn 3), o Messias e o plano divino para a redenção do homem (Gn 3:15), o Dilúvio universal (Gn 6:9), a aliança entre Deus e os homens (Gn 1:28; 2:2 e 3, 15:17; 9:9-17) a origem da variedade de línguas (Gn 10 e 11); a genealogia e cronologia (Gn 5 e 11) o poder da Palavra de Deus (Gn 1:3; Jo. 17:17; 2 Tm 3:16-17); a natureza da humanidade (Gn 1:26-28); o casamento entre um homem e uma mulher (Gn 1:26-28; 2:18-24); o cuidado com a terra (Gn 1:26; 2:15,19).

Estes capítulos são os mais combatidos pelos cientistas desde o século 17 e por alguns religiosos que desejam harmonizar os ensinos das Escrituras com a ciência moderna.

Todas as coisas têm um início. A Bíblia inicia com as palavras mais sublimes e profundas, palavras simples, todos podem entender, mas contém uma profundidade incomensurável quando estudadas cuidadosamente.

Na verdade, as perguntas mais importantes da filosofia a respeito de quem somos, porque estamos aqui e como chegamos aqui são respondidas na primeira frase da Bíblia. “No princípio Deus criou os céus e a terra” e em Gn 1:26-28.

Este “Princípio” é a origem do nosso mundo e de todos os seres existentes, tudo foi criado num tempo passado definido. Significa que Ele já existia antes do “princípio (tempo)”, é atemporal, como vimos no artigo anterior.

A lógica mostra Sua existência antes de haver hora, dia, mês e ano, marcados pela relação entre o sol e a lua com a Terra. (Gn 1:14-19). Ele é eterno, existia antes de todas as coisas (Cl 1:17). Deus é a origem do homem, criado à Sua imagem e semelhança (Gn 1:26-27).

Todas as coisas no céu e na Terra, visíveis e invisíveis foram criadas por meio de Jesus (Jo 1:1-3; Cl 1:15-17), “… assim diz o Amém, a Testemunha fiel e verdadeira, o PRINCÍPIO DA CRIAÇÃO” (Ap 3:14). Jesus é o Princípio Criador. “Não evoluímos do nada; nem chegamos à existência ao acaso, sem um propósito nem direção planejada, como ensina o modelo científico contemporâneo das origens.

A evolução darwiniana é contraditória às Escrituras em todos os aspectos, e as tentativas de alguns de harmonizá-la com a Bíblia fazem com que os cristãos pareçam insensatos”. Frank M. Hasel.

O capítulo 1 de Gênesis também revela que os dias da criação foram dias literais de 24 horas. A ideia de que essa semana é um mito ou metáfora não condiz com a filosofia bíblica nem com a tradução correta do relato hebraico. A palavra “yôn”, ou dia, não pode ser traduzida senão como dia literal, de 24 horas, e é usada constantemente na narrativa da criação.

O próprio Deus mostra ser um dia composto de “tarde e manhã” (Gn 1:5, 8, 13, 19, 23, 31). Assim foram todos os seis dias da criação. No sétimo dia Deus descansou de Suas obras, abençoou e santificou o dia do sábado (Gn 2:1-3). Cada dia da criação está no singular “echad”, um, e vem seguido do ordinal primeiro, segundo, etc, significando 1, não 2 ou mais dias, ou anos.

O próprio Deus confirmou ser uma semana de sete dias sequentes e literais ao escrever com Seu dedo nas pedras os dez mandamentos e santificar o sétimo dia da semana, o sábado (Ex. 31:18). E o Senhor qualificou tudo o que havia feito como “muito bom”.

Deus não tem uma varinha mágica para criar tudo em uma semana, como diz um líder religioso, Ele criou com Seu poder e com Sua Palavra (Hb 11:3). Johannes Kepler, Isaac Newton, John Ray, Robert Boyle creram e publicaram seus pensamentos a respeito do Deus Criador.

A cosmovisão teísta, fundamentada no naturalismo e no materialismo, enfatizada pelos iluministas foi popularizada por Charles Darwin. Se a Bíblia é a Palavra de Deus, inspirada pelo Espirito Santo (2 Pe 1:19-21) e é impossível que Deus minta (Hb 6:18), em quem se deve crer, em Deus ou nos homens?

ARTIGO escrito por Leondenis Vendramim, professor de Filosofia, Ética e História. Os artigos assinados não refletem necessariamente a opinião do jornal. São de inteira responsabilidade de seus autores.

Etiquetas
Botão Voltar ao topo
Fechar