Editorial

É só querer

Imagem ilustrativa

Entra governo, sai governo, e as estratégias políticas continuam seguindo a velha cartilha. Vão empurrando problemas importantes com a barriga, até que, às vésperas da eleição, como um toque de mágica, tudo começa a ser resolvido.

Heróis? Infelizmente não. Apenas coadjuvantes de uma história que insiste se repetir, demonstrando que o sistema continua falho.

Não tem como não citar a atual situação do pavimento asfáltico na vizinha Capivari. E olhe que pra lá da ponte do Rio Capivari, o prefeito Rodrigo Proença se gaba de estar realizado o maior programa de recapeamento da história da Terra de Poetas.

No entanto, o povo está cansado de esperar a ‘segunda fase’, anunciada há tempos. Será que ainda não saiu, por que dizem que a memória do eleitor é curta?

Está impossível trafegar com tranquilidade em quase todos os bairros de Capivari. Alguém acredita que o maior programa de recapeamento asfáltico será o suficiente para ‘cobrir’ todos os buracos da cidade?
Enfim, vamos aguardar!

Rafard

Pro lado de cá, na querida Cidade Coração, alguns problemas importantes carecem de ser resolvidos com urgência. Um deles é o convênio para que o telefone 193 do Corpo de Bombeiros volte a funcionar para emergências. Nesta semana, policiais militares fizeram a vez dos socorristas para salvar uma criança engasgada.

A atual situação do ginásio municipal Olavo de Campos Borghesi também merece atenção. O governo municipal garante que a reforma já está nos planos e deve ser realizada em breve. A verdade é que as goteiras no telhado estão destruindo os tacos da quadra. Outra reclamação dos usuários é a situação dos banheiros.

O que está faltando para os administradores públicos é visão. Será que é difícil enxergar que não adianta construir ou reformar prédios públicos sem prever zeladores para garantir a manutenção e responsabilizar quem gosta de depredar os espaços de lazer?

Centro Esportivo Reinaldo Fontolan, praticamente um clube montado, com salão de festas, bocha, duas quadras, campo sintético, piscina, quiosque e campo de futebol, além do amplo espaço. O que falta? Um investimento inicial e manutenção constante.

O mesmo pensamento deve ser implantado para todos os espaços públicos, como o estádio municipal Jair Forti, o campo de areia na Popular, o próprio paço municipal, enfim, tudo que é público.

Como é gostoso sonhar com uma cidade mais limpa, bonita e aconchegante. Primeiro isso, para depois sonhar com o progresso. Será tão difícil assim?

Etiquetas
Botão Voltar ao topo
Fechar