BrasilEducação

Enem 2021: dicas para alcançar nota 1000 na redação

Foto: Divulgação

Um bom resultado no exame do ENEM depende muito de entregar um bom texto e para isso é preciso estar atento as exigências cobradas na prova

As inscrições para o ENEM 2021 estão abertas e podem ser realizadas até o próximo dia 14 de julho. As provas estão marcadas para os dias 21 e 28 de novembro nas versões impressa e digital.

Quem vai prestar o exame esse ano e já iniciou a preparação, sabe que alcançar uma boa nota na redação é essencial, e para conseguir uma boa avaliação é indispensável estruturar o texto da maneira adequada, seguindo todas as regras especificadas pelo manual de redação do Enem.

Pensando nisso, a equipe de profissionais da startup Kultivi (www.kultivi.com.br), plataforma online que oferece um curso preparatório para o ENEM integralmente gratuito, elencou algumas dicas fundamentais para construir uma dissertação clara e bem escrita, dentro das competências que serão consideras pelos avaliadores. Confira:

Estrutura do texto: o Enem exige que o estudante produza de uma dissertação argumentativa, ou seja, é preciso defender um ponto de vista, apresentando fatos, argumentos e questionamentos sobre o tema indicado de forma organizada.

O ideal é ler os textos base, elencar ideias e construir um raciocínio logico, gerando reflexão e abordando as motivações que justificam a opinião exposta no texto e acompanhando a seguinte estrutura: introdução, desenvolvimento e conclusão.

“Lembrando que o Enem exige uma proposta que respeite os direitos humanos. Sendo assim, é imprescindível argumentar respeitando essa diretriz, em caso contrário a nota da redação será zero”, comenta Bárbara da Silva, professora de redação da Kultivi.

Imagem: Divulgação Kultivi

Introdução: é na introdução que o autor do texto apresenta as questões que serão debatidas a seguir, é onde o tema da redação é contextualizado mostrando a importância da discussão. Essas informações devem estar presentes no primeiro parágrafo.

“A dica aqui é ser criativo e instigar a curiosidade do leitor para que ele se envolva com a temática e queira prosseguir com a leitura. Uma boa maneira para isso é relacionar espontaneamente o tema com algum aspecto social e com a relevância disso na vida das pessoas, já apresentando a linha de raciocínio que será desenvolvida”, destaca a professora.

Desenvolvimento: os parágrafos devem estar interligados para que não haja desconexão de ideias. Ainda assim é preciso que ele seja claro e objetivo o suficiente para fazer sentido se lido separadamente dos outros. Para isso, a retomada de ideias é uma boa alternativa no desenvolvimento, que também é importante para não “fugir” do tema durante a argumentação.

“É nesse parágrafo que as razões e motivações devem ser listados de forma mais intensa, explorando os fatos para justificar a posição do autor.

Se a proposta apresentar mais de um aspecto para a discussão o ideal é dividir em parágrafos diferentes para que o tema não seja abordado de forma superficial e a leitura se torne confusa”, explica a especialista.

Conclusão: aqui o estudante deve finalizar o texto de maneira clara, simples e coerente, retomando informações expostas na introdução e no desenvolvimento e apresentando a proposta de intervenção se atentando a progressão textual, ou seja a divisão equilibrada entre as estruturas de introdução e desenvolvimento até chegar ao encerramento da ideia.

Para completar, é fundamental que o estudante tenha conhecimento não só da estrutura da dissertação, mas também sobre os tópicos que serão avaliados no texto.

As competências exigidas na avaliação do Enem são as seguintes: Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da Língua Portuguesa, considerando o novo acordo ortográfico; Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo; Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista e demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

“Por fim, a dica é ler os textos motivadores para ter certeza de que seguiu o tema e passar o rascunho a limpo prestando atenção nas conjunções, pontuação, erros ortográficos, repetição, concordância e, principalmente, na coesão e coerência entre as partes do texto e o tema”, completa Bárbara da Silva.

Jornal O Semanário

Esta notícia foi publicada por um dos redatores do jornal O Semanário, não significa que foi escrita por um deles, em alguns dos casos, foi apenas editada.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Skip to content