Rubinho de Souza

Está morrendo a ‘geração de ferro’

Que o caro leitor amigo me perdoe, mas essa coisa de falar e escrever sobre estórias antigas que nossos antepassados nos contavam, é um mal ou perigo, que começou na minha mocidade, cresceu na meia idade, e está a atingir grau ainda maior, agora na velhice.

Bem, como é do meu costume ler muito, num dia desses, em que lia algumas publicações, me deparei com uma deveras verdadeira que me fez refletir sobre a vida, visto que, a mesma fazia uma comparação da geração dos nossos pais e avós, com a geração que está a surgir nos nossos dias.

Dizia a publicação, estar morrendo a geração que mesmo sem estudos, trabalhou duro para educar os filhos e dar-lhes a oportunidade de frequentar uma escola e de adquirir melhores, e mais conhecimentos do que tiveram.
Aquela que, apesar de muitas vezes ter falta de tudo, nunca permitiu que faltasse o indispensável para seus filhos, nem que isso lhes custasse suor e lágrimas.

Está acabando aquela geração, que sequer teve a oportunidade de aprender as primeiras letras, mas ensinou valores morais, amor, respeito ao próximo, e acima de tudo amor a Deus.

Essa geração, transmitia seus ensinamentos aos filhos, não somente através de palavras, mas de exemplos de dedicação, de fidelidade, mostrando o verdadeiro valor de uma mulher sábia.

geração-de-ferro-fundo-do-baú
Foto enviada pelo colunista

Estão morrendo aquelas que se contentavam com o básico para viver, pois aprenderam a valorizar o pouco que possuíam, sem se sentirem frustradas com a falta das coisas consideradas supérfluas.

Estão indo embora, aquelas que trabalharam desde tenra idade e passaram aos filhos todo o conhecimento adquirido na dureza da vida, ensinando o valor das coisas, não o seu preço.

Morrem aquelas que passaram por mil dificuldades, mas sem desistir ensinaram seus filhos a persistir, com honestidade, dignidade e honra.

Aquelas que depois de uma vida de sacrifícios e agruras vão embora com as mãos e testa enrugadas, mas com a cabeça erguida pelo sentimento de ter cumprido sua missão aqui na Terra.

A geração que nos ensinou a viver sem medo, encorajando seus filhos nos momentos adversos da vida, está morrendo.

Ela está morrendo… a geração que nos deu a vida, está aos poucos nos deixando, para dar lugar a geração de cristal, sem que possamos nos dar conta do grande tesouro que possuíamos ali ao nosso lado, e que agora perdemos.

Não espere perder o que você tem, para só depois dar valor!logo do fundo do baú raffard

Botão Voltar ao topo
Skip to content