Região

Gamificação e empreendedorismo digital no campo: agronegócio usa jogos digitais e aposta nas startups ‘agtechs’

Tecnologias digitais são aliadas importantes da agricultura; o Brasil conta, atualmente, com mais de 1.500 startups de agronegócios, chamadas agtechs.

Plataformas e conceitos de games têm sido cada vez mais utilizados para aprimorar os processos de conhecimento, produção e venda no campo.

E o empreendedorismo digital nessa área está em crescimento acelerado. Segundo levantamento da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), existem mais de 1500 startups de agronegócio no país, chamadas de agtechs.

Imagem: Reprodução internet

Esses são dois dos temas que o Agrofure Summit vai discutir, entre os dias 6 e 8 de outubro. O encontro, totalmente virtual e gratuito, vai reunir especialistas de várias áreas e mostrar, além de cenários do futuro do agronegócio, como as tecnologias estão e podem ajudar do micro ao grande produtor agrícola.

O objetivo do evento é fazer com que as ações e as melhores práticas nessa área sejam difundidas entre profissionais de todo o Brasil.

Matheus Ferreira, palestrante do AGROFUTURE e coordenador de inovação do sistema CNA/SENAR e do Instituto CNA, a digitalização é quase uma questão de sobrevivência.

“Quanto mais houver automação de processos, melhor vai ser o sistema de produção. Não é só luxo e capricho, como pode pensar algum produtor, e a gente vê resultados muito positivos. É algo que veio para ficar”, destaca Ferreira.

Segundo o especialista, a linguagem e as tecnologias por trás dos jogos digitais têm sido bastante usadas em aplicativos e suportes técnicos no agronegócio.

“Telas mais amigáveis, textos usados no dia a dia e a lógica de “fases” são elementos que ajudam a agricultura para dois usos principais: o treinamento dos produtores e trabalhadores rurais em várias áreas e também a interação, principalmente, com o consumidor “da cidade”, bem distante da rotina “do campo”.

“É importante a comunicação com a sociedade porque, diversas vezes, sofremos ataques inverídicos e distorcidos da realidade, como o uso de defensivos químicos .

E a gamificação é uma das melhores formas para entrar na realidade do jovem da cidade. O desenvolvimento de games para o agro deixa a linguagem mais palatável”, afirma.

O processo serve também como capacitação das pessoas, para formar produtores e trabalhadores rurais com um conteúdo mais profundo, mas usando uma plataforma mais amigável.

Agtechs

Um suporte importante para o agronegócio são as agtechs, startups de tecnologia aplicada à agricultura. O Radar Agtech 2020/2021, pesquisa feita pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), identificou 1.574 agtechs, sendo 62,5% no Sudeste e 25,2% no Sul do país.

Somente o estado de São Paulo representa 48,1% do total nacional. O Paraná vem em segundo, com 9,6% das empresas e Minas Gerais em terceiro, com 8,8% das agtechs.

Ainda de acordo com o levantamento, o investimento em novos empreendimentos tecnológicos no Brasil cresceu 17% em 2020, em relação a 2019, e chegou ao montante de US$3,5 bilhões. Desse valor, as agtechs receberam US$70 milhões. O cenário é de otimismo com as startups voltadas para o agronegócios.

No estudo da Radar, as empresas estão classificadas em três segmentos: Antes, Dentro e Depois da Fazenda. O Antes considera insumos, defensivos e conhecimento como nutrição vegetal; o Dentro considera gestão de resíduos agrícolas, economia compartilhada, conectividade e telecomunicação; e o Depois, armazenamento, logística, alimentação, venda, marketplace, restaurantes, por exemplo.

Atendimento virtual

Outra contribuição do mundo digital para a agricultura é a possibilidade de atendimento virtual. Matheus Ferreira analisa que a demanda por alimentos é crescente e o Brasil tem capacidade de atender esse mercado em ascensão. “Independemente da pandemia [da Covid-19], o mercado vai crescer bastante, a demanda vai crescer e o que vai ficar de positivo é a maior aceitação, pelos produtores, das ferramentas digitais.

A metodologia de atendimento virtual deu muito certo e estamos trabalhando agora em um modelo híbrido, envolvendo redes sociais e marketplace para vender os produtos, por exemplo”, comenta.

Agrofuture Summit

Em sua primeira edição, o Agro Future Summit é um dos maiores eventos do país voltado para inovação e tecnologia para o agronegócio.

Realizado pelo Sistema FAEMG/SENAR/INAES, o evento terá encontros simultâneos, webinars, cursos, conteúdo ao vivo, encontros e seminários. Todo o conteúdo poderá ser acessado por meio da plataforma, pelo computador, celular ou tablet. As inscrições, que são gratuitas, podem ser feitas neste link: https://www.sympla.com.br/agro-future-summit-2021-pre-inscricao__1322832

Jornal O Semanário

Esta notícia foi publicada por um dos redatores do jornal O Semanário, não significa que foi escrita por um deles, em alguns dos casos, foi apenas editada.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Skip to content