Opinião

Igreja em Comunicação – Quem é o maior?

A vida em sociedade exige uma forma de organização para manter a ordem. Para sustentar essa organização, precisamos de pessoas que exerçam funções e também de uma hierarquia entre as funções. A cidade, o estado e o país têm governos e cada qual tem sua atribuição. Sem essa estrutura, a vida em sociedade seria uma anarquia, uma grande confusão. A ordem e paz social exigem governo e atenção ao cumprimento das leis, para o bem comum.

No caminho para a Terra Prometida, Moises estava cansado pelas muitas tarefas e foi nesse contexto que ele recebeu o conselho de seu sogro Jetro. Moises, então, dividiu suas responsabilidades com outras lideranças do povo e, dessa forma, foi estabelecida uma hierarquia no governo e nas tarefas a serem executadas. O conselho de Jetro tornou-se, assim, uma referência para o governo e para a vida social do povo de Deus.

Quando Jesus iniciou a sua missão, ele constituiu um grupo de discípulos mais próximos e com eles fez um caminho particular. Os discípulos foram aprendendo de Jesus o que é ser discípulo, acompanhando a pregação e sobretudo vendo a forma como Jesus agia. Mas também os discípulos tiveram dificuldades em entender a lógica do Reino proposta por Jesus. O ensinamento sobre o mistério da Cruz certamente foi o ponto mais difícil.

O Evangelho afirma que em uma das viagens missionárias, enquanto atravessavam a Galileia, os discípulos tiveram uma discussão sobre qual deles seria o maior. A discussão seria apenas mais uma conversa, se o próprio Jesus não tivesse se interessado por ela e não a tivesse usado para falar da ordem das coisas no Reino. Com paciência, Jesus afirmou: “Se alguém quiser ser o primeiro, que seja o último de todos e aquele que serve a todos!” (Mc 9,35).

A organização e a condução do Povo de Deus exigem uma estrutura, sobre isso não há dúvida. Porém, essa estrutura não pode ser baseada no exercício do poder, e sim do serviço. Esse é o diferencial apresentado por Jesus. Sem essa compreensão, a vaidade do poder invade a estrutura e corrompe todas as coisas, principalmente a relação entre as pessoas, que passam a agir em busca de alianças e interesses. Será que isso acontece em nossas comunidades?

Toda corrupção é, antes de tudo, fruto do pecado original. Esse fato não pode ser esquecido e exige conversão. O Papa Francisco afirma que a reforma das estruturas exige a conversão pastoral, ou seja, a mudança de vida. A primeira conversão é a dos discípulos, que precisam se adequar e aprender a pensar como Deus (Mc 8,33). A mudança das estruturas eclesiais e pastorais é uma mudança de mentalidade e de atitudes. Ela se concretiza na acolhida das pessoas e no serviço.

Igreja em notícias

Sínodo – A abertura da fase diocesana do próximo Sínodo dos Bispos ocorrerá no dia 17 de outubro na Diocese de Piracicaba. O percurso sinodal completo terá etapas que se realizarão até outubro de 2023, ano em que ocorrerá o Sínodo propriamente dito. A fase diocesana irá até abril de 2022 e tem o objetivo de consultar os fiéis da região para posterior envio de contribuições à CNBB, que realizará uma etapa nacional. Haverá ainda a fase continental e, por fim, o Sínodo dos Bispos, em 2023, em Roma. A Diocese de Piracicaba divulgará, em breve, mais informações sobre a fase diocesana. Acompanhe as notícias pelo site www.emfoco.org.br.

Noivos – Os Encontros de Preparação para Vida Matrimonial são retomados de forma gradual e respeitando protocolos de prevenção à covid-19 nas paróquias da Diocese de Piracicaba. Nos últimos dias, mais igrejas definiram as datas em que irão oferecer a atividade aos casais que planejam se casar.

Noivos II – Para outubro, as paróquias que informaram as datas dos encontros são: Imaculada Conceição, em Santa Bárbara d’Oeste (dias 9 e 10); São Francisco de Assis, em Piracicaba (dias 16 e 17); São João Batista, de Rio Claro (dias 16 e 17); São João Batista, de Santa Bárbara d’Oeste (dias 17 e 24); São João Batista, em Capivari (dias 22 e 23) e Nossa Senhora do Rosário, de Charqueada (dia 24). Informações: (19) 2106-7571.

Festival – O FestVoc 2021, organizado pelo Serviço de Animação Vocacional (SAV) e pelo Setor de Juventude da Diocese, que será realizado nos dias 22 e 23 de outubro, continua recebendo as inscrições até o dia 2 de outubro. As atividades ocorrerão na Paróquia São Pedro, em Piracicaba, seguindo protocolos de prevenção à covid-19.

Festival II – O festival contará com seis modalidades: teatro, dança, música, fotografia, desenho e solidariedade. A inscrição deve ser feita pelo e-mail [email protected] (ficha no link: https://bit.ly/38TZ1vd). Neste ano, com o tema “São José, um sonho de vocação”, o festival refletirá sobre a vocação cristã a partir da figura do pai adotivo de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Por Dom Devair Araújo da Fonseca, Bispo de Piracicaba

Jornal O Semanário

Esta notícia foi publicada por um dos redatores do jornal O Semanário, não significa que foi escrita por um deles, em alguns dos casos, foi apenas editada.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Skip to content