DestaquesPorto Feliz

Mais de 200 detentos seguem foragidos após rebelião com fuga em massa do presídio em Porto Feliz

fuga-presídio-porto-feliz
Detentos colocaram fogo em vicinal que liga Porto Feliz a Rafard (Foto: Mayara Corrêa/TV TEM)

Mais de 200 detentos que fugiram durante uma rebelião com fuga em massa do Centro de Progressão Penitenciária (CPP) de Porto Feliz (SP) continuam foragidos, segundo a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP).

De acordo com a secretaria, até a manhã de quinta-feira (19) foram recapturados 379 detentos do CPP de Porto Feliz, dos 594 que fugiram.

Dois deles foram presos em Valinhos (SP) depois de sequestrarem um ônibus de trabalhadores rurais durante a fuga. O grupo de 11 fugitivos, que usou o veículos para ir até outras cidades, fez quatro trabalhadores reféns.
Segundo a Guarda de Campinas, que fez a abordagem ao veículo, oito fugitivos ficaram em Americana e um em Campinas. Os dois presos tinham como destino Jundiaí (SP).

Outro detento foi recapturado depois de tentar invadir uma casa e ser mordido por um cachorro em um sítio na zona rural de Porto Feliz.

Foram registradas rebeliões em cinco unidades prisionais e 1.375 detentos fugiram. Segundo a SAP, até a manhã de quinta-feira, 720 presos tinham sido recapturados ao todo.

Todos os detentos que participaram da fuga são do regime semiaberto, onde o preso tem a possibilidade de sair para trabalhar ou estudar durante o dia e retornar, e que por lei tem direito a cinco saídas temporárias por ano.

As ações ocorreram nas seguintes unidades:

– Mongaguá: 563 detentos fugiram, 221 foram recapturados;

– Porto Feliz: 594 detentos fugiram, 379 foram recapturados;

– Tremembé: 218 detentos fugiram, 120 foram recapturados;

– Mirandópolis: teve rebelião e incêndio com 9 presos feridos e não houve fuga;

– Sumaré: 4 presos fugiram e os mesmos 4 foram recapturados.

“O Grupo de Intervenção Rápida (GIR) controlou a situação nos presídios de forma imediata. Os presos foram recapturados pela Polícia Militar com apoio de agentes de segurança penitenciária”, informou a SAP.

Ainda conforme a SAP, o motim organizado ocorreu por causa da suspensão da saída temporária como forma de medida preventiva para conter o avanço do Coronavírus. Conforme a pasta, 34 mil detentos são beneficiados com a saidinha.

“A medida foi necessária, pois o benefício contemplaria mais de 34 mil sentenciados do regime semiaberto que, retornando ao cárcere, teriam elevado potencial para instalar e propagar o Coronavírus em uma população vulnerável, gerando riscos à saúde de servidores e de custodiados”, completa a SAP.

Os presos recapturados vão responder a processos disciplinares e podem perder o direito ao regime semiaberto, informou a SAP.

Flagrante de fuga

Uma equipe da reportagem da TV TEM flagrou presos que fugiram do Centro de Progressão Penitenciária de Porto Feliz correndo por uma vicinal que liga a cidade ao município Rafard.

No vídeo, é possível ver alguns presos correndo pela via e entrando em um matagal (veja na reportagem da TV Tem, disponível no site). Na sequência, é possível ver as buscas sendo realizadas pela polícia, incluindo apoio do helicóptero Águia da PM.

Fogo em canavial

Outros vídeos que foram enviados para a TV TEM mostram os detentos pelas ruas da cidade. Em um deles, o morador flagra um grupo andando normalmente pelo bairro.

Já em outro, é possível ver policiais militares correndo atrás dos detentos. Não houve reféns e ninguém ficou ferido durante o motim.

Durante a rebelião, houve fuga em massa de presos. Os que ficaram promoveram um quebra-quebra na unidade. Colchões foram queimados e houve barulhos de tiros e bombas.

A Polícia Militar e a Guarda Civil Municipal foram acionadas e ficaram do lado de fora da penitenciária de Porto Feliz, que abriga 1.825 detentos.

fuga-presidio-porto-feliz-2
Detentos foragidos do presídio de Porto Feliz foram recapturados em Valinhos após sequestrarem um ônibus rural (Foto: Denny Cesare/Código19)

Capturas

As forças policias de Rafard e Capivari, bem como de toda região, se uniram para capturar dezenas de presos nas cidades.

Guarda Civil Municipal, Polícia Civil, Polícia Militar e equipes de outras cidades participaram das ações.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios