Saúde

Não confunda conjuntivite alérgica com a Síndrome do Olho Seco

Sintomas das doenças são similares e causam uma alteração na qualidade e na quantidade da lágrima1

Com o frio do inverno, não é difícil que o olho comece a coçar, arder ou provocar uma sensação de incomodo a cada piscada. Apesar de ter uma grande incidência nesse período, os sintomas também podem se manifestar em outras estações do ano.

A mudança no clima pode favorecer o ressecamento dos olhos e causar uma alteração na qualidade e na quantidade da lágrima. A Síndrome do olho seco é uma anomalia na produção das lágrimas e pode causar sintomas, como sensação de estar com areia ou corpo estranho nos olhos, ardência, coceira, peso nas pálpebras, olhos vermelhos, visão embaçada e sensibilidade à luz aumentada.

A Sociedade Brasileira de Oftalmologia ressalta que uma das principais causas da Síndrome do Olho Seco é o uso constante de telas eletrônicas que desencadeia a liberação de uma substância chamada dopamina e que gera vícios.

Manter a atenção nos computadores, celulares e TVs, faz com que as pessoas pisquem menos e, consequentemente, os olhos ficam menos lubrificados, desencadeando um desequilíbrio na produção de lágrima2.

Segundo a Instituição, as telas de computadores diminuem o reflexo do piscar e, com isso, diminuem a produção de lágrimas em quantidade suficiente ou qualidade necessária para manter os olhos lubrificados, e a mudança no clima pode contribuir para causar ainda mais o problema.

Este tipo de problema ocular pode ser confundido com outros distúrbios como alergias oculares1.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que até 2050 metade da população tenha algum tipo de alergia. Segundo a entidade, algumas doenças oculares chegam a triplicar nesta época do ano, e podem estar relacionadas ao aumento das doenças respiratórias como gripe, resfriado, asma, rinite e sinusite.

A conjuntivite alérgica é uma inflamação da conjuntiva causada por uma reação alérgica e geralmente ocorre quando os olhos entram em contato com uma substância que causa a reação exagerada do sistema imunológico no corpo.

Coceira, sensação de areia e corpo estranho nos olhos, vermelhidão, ardência e secreção são os principais sintomas e que são similares aos da síndrome do olho seco. Em qualquer situação, o ideal é procurar um especialista para um diagnóstico mais preciso3.

Além de manter os cuidados com a higiene ocular, usar colírios lubrificantes recomendados por um especialista são comportamentos essenciais para aliviar os sintomas e manter a saúde dos olhos.

Existem colírios, como o Liris que podem aliviar os sintomas e reduzir o desconforto, principalmente o ressecamento, uma vez que tem uma composição similar às das lágrimas naturais.

O colírio Liris é um medicamento da divisão de OTC da Genomma Lab, composto por carmelose sódica, indicada para a melhora da irritação, ardor e secura dos olhos. Com tripla ação: lubrifica, hidrata e protege. O produto também é recomendado como lubrificante durante o uso de lentes de contato para aliviar o ressecamento e desconforto.

Sobre Genomma Lab.

A Genomma Lab Internacional é uma multinacional de capital aberto, com operação na bolsa de valores do México e que está presente em 18 países com o propósito de empoderar as pessoas a terem excelente saúde e bem-estar.

No Brasil há mais de 10 anos, a companhia detém 16 marcas nos segmentos de Personal Care (cuidados pessoais) com as marcas: Cicatricure, Asepxia, Tio Nacho e Teatrical e OTC (medicamentos isentos de prescrição) com as marcas: Proctan, Lakesia, Lomecan e Liris.

Jornal O Semanário

Esta notícia foi publicada por um dos redatores do jornal O Semanário, não significa que foi escrita por um deles, em alguns dos casos, foi apenas editada.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Skip to content