Opinião

Os 50 anos do Batismo no Espírito do padre Jonas

São 50 anos do Batismo no Espírito Santo do padre Jonas Abib e 48 anos que estou ao seu lado. Desde quando participei do meu primeiro retiro para jovens, onde ele me apresentou a pessoa de Jesus Cristo.

Meses depois, em um outro retiro, no momento de oração para pedir o Batismo no Espírito, ele impôs as mãos sobre mim e recebi a graça da efusão. De lá para cá, comecei a evangelizar com ele.

Viver a vida Nova no Senhorio de Jesus Cristo foi o que ele nos ensinou, formando discípulos. E assim surgiu a Canção Nova, projeto de Deus colocado no coração do padre Jonas.

Luzia Santiago. Foto: Arquivo pessoal

Ele sempre pregou o Kerigma, o Batismo no Espírito Santo e a vida nova em contínua vigilância, na expectativa da segunda vinda de Jesus. Homem muito simples, incansável, correu por todo o Brasil e muitos outros países levando o que Deus tem derramado nos últimos tempos sobre todas as nações: uma corrente de graça, um Novo Pentecostes.

Homem do Espírito, como ele gosta de se intitular, um “Mister Pentecostes”, e o é realmente. Como dizia o Servo de Deus padre Léo: “sua vida tem sido um poço de fecundidade”. Revolucionário para a época, fundou a Comunidade Canção Nova e desbravou literalmente um novo campo de ação missionária na Igreja, principalmente nos meios de comunicação, dando vida ao Sistema Canção Nova de Comunicação.

Profeta que, a partir dos dons do Espírito e de suas aspirações, soube colher os rumos não só para a Canção Nova, mas para outras realidades na Igreja. Perseguido pelo seu profetismo, mas nunca amargo, pois, quanto mais incompreendido mais fiel ao Papa e aos bispos, mais orante, mais adorador, mais estudioso da Palavra, cheio de amor e intrepidez, na alegria do Espírito e abandonado à vontade Divina.

Com uma pregação cheia de parresia, impressiona até os mais frios corações, despertando-os ao desejo de uma conversão sincera. Os efeitos do seu batismo no Espírito, cheio de dons e frutos, se resumem em uma profunda busca de santidade: ou santos, ou nada!

Obrigada padre Jonas por aquilo que o senhor deu à Igreja nesses 50 anos! Louvo a Deus por sua entrega, seu serviço e testemunho de uma vida transformada pelo Espírito!

Não somente eu, mas um povo que traz no coração gratidão ao senhor, por contribuir com outros carismas e obras a serviço da Igreja, das comunidades cristãs, que na oração e na ação alcançam os mais necessitados. Louvo a Deus por seu batismo no Espírito Santo! Eu, sou fruto do seu batismo no Espírito e quero seguir proclamando até meu encontro definitivo com Deus: ou Santos ou nada!.

Por Luzia Santiago que é cofundadora da Comunidade Canção Nova

Jornal O Semanário

Esta notícia foi publicada por um dos redatores do jornal O Semanário, não significa que foi escrita por um deles, em alguns dos casos, foi apenas editada.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Skip to content