CapivariDestaques

Professora une moradores na preservação de área verde na Nova Capi

A semente se espalhou, e hoje o bairro tem mais harmonia e novas paisagens naturais

Pouco a pouco, moradores do bairro Nova Capi, em Capivari, começaram a notar que a área verde, bem perto ali de suas casas, estava diferente, mais limpa, bonita e aconchegante.

Isso só foi possível, graças ao trabalho voluntário de uma moradora do bairro, a professora aposentada, Elizete Cristina Aguiar, que no começo deste ano, decidiu que era hora de fazer alguma coisa.

Moradora do bairro Nova Capi há oito anos, Elizete conta que, desde que se mudou para lá, sempre viu muito lixo espalhado, falta de cuidados com a área verde, entulhos por toda parte, muita sujeira, como embalagens de alimentos, restos de marmita, entre outros, sem contar os animais peçonhentos, como ratos e baratas, que invadiam as casas.

Sem muito sucesso com o poder público, ao qual Elizete chegou a procurar por várias ocasiões, ela mesma começou a plantar um modesto jardim na área verde, em frente à sua casa. Sua atitude chamou a atenção do vizinho do lado, que resolveu fazer o mesmo, e assim o movimento do bem começou a crescer.

Quando o ser humano faz a sua parte, a natureza também volta a fazer a dela (Foto: Arquivo pessoal)

Como toda boa iniciativa, alguém planta a primeira semente, e logo depois começam a dar os bons frutos. Elizete conta que teve a ideia de motivar mais moradores, foi aí que ela fez a primeira carta aos vizinhos.

“Resolvi enviar uma carta para o bairro todo, fui de porta em porta, colocando na caixinha do correio um pedido de ajuda para cuidarmos, juntos, da área verde. Afinal, fica ali bem em frente e ao redor das nossas casas”, relata a professora.

Para a sua surpresa, os vizinhos retornaram rapidamente e se ofereceram para incentivar a ideia, doar mudas, e até ajudar com doações em dinheiro.

O mutirão pela área verde deu tão certo, que mais pessoas se juntaram ao grupo. Hoje, metade dos moradores da Nova Capi, por volta de 25 famílias, contribuí com um pequeno valor mensal, que é usado para pagar a mão de obra de um prestador de serviço, que toda semana faz os cuidados de capinação e poda das árvores na área verde do bairro.

Em fevereiro deste ano, a área verde já estava com outra paisagem. Elizete contou com a ajuda de alguns moradores e foram plantadas mudas de árvores frutíferas e plantas ornamentais.

elizete-nova-capi
Professora Elizete, moradora que incentivou o voluntariado em favor da preservação no bairro Nova Capi (Foto: Arquivo pessoal)

Plaquinhas com dizeres como “Não jogue lixo, jogue sementes”, também ajudam a a conscientizar e motivar mais pessoas, moradores ou não, para se unir nos cuidados com o bairro.

“Ver as orquídeas e as pitangas florindo, e até pessoas de outros bairros que vêm aqui fazer suas caminhadas, é muito gratificante. Ninguém quer um bairro sujo. Um lugar limpo é mais valorizado e dá gosto de morar. É impossível descrever a minha gratidão por todos estes vizinhos amigos que abraçaram este sonho comigo”, declara Elizete.

Feliz com os resultados, ela ainda conta que os cuidados com a natureza, fizeram ressurgir os pássaros e as abelhas, que hoje são vistas com bem mais frequência por ali.

O projeto de revitalização na Nova Capi continua. Lixeiras, várias feitas de reciclagem, foram instaladas no local, mas ainda há necessidade de outras. A Defesa Civil Municipal também colaborou fazendo a poda das árvores na área verde do bairro.

Segundo a professora, um grupo de moradores esteve com o prefeito, Vitor Riccomini, e também com alguns secretários municipais. Na oportunidade, fizeram solicitações para o bairro, que ainda estão no aguardo para serem executadas.

Moradores também incentivam coleta seletiva no bairro (Foto: Arquivo pessoal)
Moradores também incentivam coleta seletiva no bairro (Foto: Arquivo pessoal)

Uma cartinha para o lado de lá

Consciente de que sozinha nada se faz, Elizete viu também a necessidade de conscientizar moradores do bairro ao lado, a Vila Izildinha, para que também ajudassem na preservação da área verde, evitando jogar lixos e entulhos.

Foi aí, que de novo, veio a ideia de uma outra carta, desta vez, para os moradores do bairro vizinho. “A área verde separa o nosso bairro da Vila Izildinha. Então, enviei uma cartinha amistosa para os vizinhos do lado de lá, contando a nossa iniciativa de cuidados e pedindo a ajuda de todos para que não jogassem mais lixo e entulho na área verde”, conta.

O pedido de ajuda deu certo e o lixo e entulho diminuíram muito. Para limpar o que já estava jogado na área verde foi preciso muito trabalho e união de esforços. “Foram quatro dias de trabalho, três caminhões de lixo e entulho e mais de 50 sacos de lixo. Tinha até sofá, TV e colchão, sem contar os escorpiões”, recorda Elizete.

Parte do lixo e entulho retirado da área verde do bairro (Foto: Arquivo pessoal)
Parte do lixo e entulho retirado da área verde do bairro (Foto: Arquivo pessoal)

Para esta limpeza mais pesada de toda a área verde, o grupo de vizinhos contou com a colaboração da Prefeitura de Capivari, que disponibilizou caminhões. Os voluntários ajudaram no custeio de um prestador de serviço, que fez a retirada de todo o lixo e entulho que estava espalhado pelo local.

Para Elizete, o principal objetivo de contar essa história, é motivar mais pessoas, através do exemplo, a fazerem o mesmo pelo seu bairro.

Ivanete Cardoso

Jornalista - MTB 57.303

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Skip to content