ColunistasOpinião

Quem é este que até o vento e o mar lhe obedecem?

Alexandre Teles

No Evangelho de Jesus Cristo segundo escreveu Mateus 8.23-27, vemos uma linda passagem em que o Senhor Jesus estava com seus discípulos no meio do mar. De repente uma tempestade.

Jesus cansado, estava dormindo. Os discípulos desesperados O acordam dizendo: Salva-nos! Estamos perecendo. O Senhor Jesus levanta-se, repreende o vento e o mar, seguindo assim uma grande bonança. Glória a Deus!

Isso nos leva a entender a importância de estarmos sempre próximos do Senhor Jesus, pois Dele, e somente Dele vem nosso socorro.

Mas, uma coisa linda que acontece nessa passagem é que depois do Senhor ter acalmado a tempestade, os discípulos olham um para o outro e fazem a seguinte pergunta: Quem é este que até o vento e o mar lhe obedecem?

Esta é de fato uma pergunta que todo ser humano um dia terá que responder.

Na carta aos Filipenses, o apóstolo Paulo escreve que Jesus sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus. Mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte e morte de cruz.

Pelo que também Deus o exaltou soberanamente e lhe deu um nome que é sobre todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor para glória de Deus Pai.

Ninguém no céu, na terra ou debaixo da terra está isento de responder a essa pergunta. Todos terão que responder. A resposta, porém, será de suma importância, visto que muitos têm uma opinião própria sobre quem é Jesus, e não segundo o que as Escrituras ensinam.

Vejamos:
Para os historiadores, Jesus é apenas um personagem histórico.
Para os sábios, Jesus foi um louco.
Para alguns, Jesus foi um simples profeta; para outros, um ser extraordinário; para outros, um espírito iluminado; para outros, um dos mediadores entre Deus e os homens, sendo que Ele é o único mediador; para outros, Ele foi a primeira criatura de Deus, sendo que Jesus é Eterno.
Se pudéssemos fazer essa pergunta para alguns personagens da Bíblia, assim responderiam.
João Batista diria: Ele é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.
Pedro diria: Ele é o Cristo, o Filho do Deus vivo.
Isaías diria: Ele é o Maravilhoso Conselheiro, Deus forte, Pai da eternidade, Príncipe da Paz.
Davi diria: Ele é o meu Pastor e nada me faltará.
Malaquias diria: Ele é o Sol da justiça.
Mateus, Marcos, Lucas diriam: Ele é aquele que foi traído, preso, esbordoado, zombado, carregou uma coroa de espinhos na cabeça, foi pendurado numa cruz, moído por causa de nossos pecados. Mas ao terceiro dia ressuscitou. Aleluia!
João diria: Ele é aquele que está vivo pelos séculos dos séculos.
Jó diria: Ele é o meu Redentor que vive.
O Senhor Jesus mesmo disse: Eu sou o Pão da vida, Eu sou a Luz do mundo, Eu sou a Porta das ovelhas, Eu sou o Bom Pastor, Eu sou a Ressurreição e a vida, Eu sou o Caminho, a verdade e a vida, Eu sou a Videira verdadeira.

A Bíblia nos diz que Jesus é aquele que foi simbolizado pelo sábado. Ele é o nosso verdadeiro descanso. Tudo era sombra, Ele é a realidade. Ele é aquele que na plenitude dos tempos nasceu de mulher, nasceu sob a lei para ser nosso redentor. Ele é o Verbo eterno, o verbo pessoal, o verbo divino que se fez carne e habitou entre nós cheio de graça e de verdade. Ele é o autor da vida, o criador do mundo.

Ele é o Filho de Deus, a brilhante estrela da manhã. Ele, por amor de nós não tomou em conta a vergonha da cruz pela alegria que lhe estava proposta de ser o nosso redentor. Ele é aquele que pelo poder do Espírito andou por todo lado libertando os oprimidos do diabo, os cegos viam, os surdos ouviam, os coxos andavam, os mudos falavam, os leprosos eram purificados, os mortos ressuscitados. Ele é aquele que é a pedra fundamental da igreja, o dono da igreja, o edificador da igreja, o protetor da igreja, o noivo da igreja.

Ele é o nosso Salvador, o Messias, o desejado de todas as nações, o Rei dos reis, o Senhor dos senhores. Ele é aquele que estendeu seus braços numa cruz e transformou aquele patíbulo de horror num palco da glória de Deus e o instrumento da nossa redenção. Ele é aquele que morreu, foi sepultado, mas arrancou das entranhas da morte o aguilhão da morte, e ressuscitou gloriosamente, poderosamente, visivelmente, vitoriosamente.

Ele é aquele que voltou para o céu e está assentado no trono, o nosso grande sumo sacerdote, o nosso advogado, aquele que reina sobre as nações. Aquele que tem o domínio de tudo em Suas mãos. Ele é o nosso glorioso redentor, a razão da nossa vida e da nossa esperança. A Ele a honra, a Ele a glória, a Ele o louvor, agora e pelos séculos dos séculos. Amém!

Jesus sendo Deus se fez homem; sendo Rei se fez servo; sendo rico se fez pobre; sendo Bendito se tornou maldição por nós; sendo Santo, Santo, Santo, se fez pecado.

Este Deus Eterno deixou a glória e veio habitar entre nós por amor a você, porque se importa com você, para substituir você, e levar sobre Si, sobre Seu corpo no madeiro os seus pecados para dar a você a vida eterna.

E é necessário que você se renda a Cristo, venha até Ele em arrependimento e fé, e confesse que ele é o Senhor de sua vida, para que você experimente esta paz, esta alegria, e, sobretudo, o perdão dos seus pecados e a vida eterna.

Não há salvação em nenhum outro nome dado entre os homens, pelo qual você possa ser salvo. Jesus Cristo é o Único mediador que pode reconciliar você com Deus; é o Único que pode conduzir você à glória eterna.
Que Deus abençoe sua vida em nome de Jesus.

Alexandre Teles, serve ao Senhor Jesus Cristo na Igreja do Evangelho Quadrangular Catedral do Amor em Rio das Pedras.
Os artigos assinados não refletem necessariamente a opinião do jornal. São de inteira responsabilidade de seus autores.

Etiquetas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar