Leondenis Vendramim

Quem manda em casa?

Para tal pergunta os homens, em geral, têm a resposta pronta: “certamente é o homem”. E o que pensam as mulheres? Acreditem, o homem é a cabeça, é ele quem lidera, mas a mulher é o pescoço que vira a cabeça, para onde quer. Quem deve governar a casa é o varão, porém a mulher sábia e prudente pode guiar seu esposo, mudar suas atitudes e ele ainda dirá: “bendita a tua prudência e os teus conselhos que me impedistes de cometer esse delito”, como disse Davi à Abigail (1 Sam 25:33). O homem têm virtudes que estão ausentes na mulher e ela possui outras das quais ele carece. O homem é mais racional, mais forte, ele deve ser o cabeça, contudo a mulher tem sensibilidade, intuição, empatia, é mais emotiva. Ela abre portas para que ele enxergue o que antes lhe era obscuro. Sem o pescoço cometerá muitos erros de relacionamento. É muito importante ouvir o conselho da esposa, e quando houver filhos, por que não ouvi-los também? Mas, lembre a varoa, não é pela imposição, mas pelo jeitinho que só você possui e sabe do que estou falando. É a mulher prudente, sábia e respeitosa. Essa alcança o seu louvor!

Há um diálogo entre o marido e a mulher, não sei a autoria, mas muito interessante e oportuno. Transcrevo apenas a parte final:

Ele: Mas que mulher bonita a Ritinha! Uma pele! Cabelos bem escovados, sempre na pinta…

Ela: Também com 21 anos de idade, frequentando institutos de beleza à tarde, é fácil.

Ele: E a Bianca, como é culta, fala inglês, francês e espanhol. Viu como é elegante?

Ela: É. Tendo condições para ficar um ano e meio na Europa, passeando e estudando é fácil.

Ele: O que eu admiro mesmo é a mulher do Gustavo, fina, gentil, bondosa. Você viu como é carinhosa com o Gustavo?

Ela: Pudera, sendo mulher do Gustavo, um maridão, rico e carinhoso, é fácil.

Ele: O jantar está pronto?

Ela: Como você não gosta de nada que eu faço, deixei para você cozinhar hoje. Quem sabe eu aprendo com você, o prato que você gosta, do jeitinho que sua mãe fazia.

Ah! Eu revisei meu guarda-roupa, tirei toda a roupa e sapatos que você não gosta, e à noite vamos ao shopping, comprar algumas roupas mais de acordo com o seu gosto. Talvez sejam minhas roupas a causa de você ser tão fraco na cama.

Não há casamento perfeito, porque não há pessoas perfeitas, inclusive você e eu. Temos de engolir as imperfeições delas para que elas engulam as nossas. Então se corrija e procure as virtudes do outro. Antes de casar abra bem os olhos, examine o caráter da noiva, depois do casamento feche bem os seus olhos para não ver as imperfeições dela, e rogue a Deus para que também ela não se detenha a ver as suas. Amor é a chave da felicidade, harmonia e durabilidade da família.

A escritora Ellen G. White comparou o amor a uma planta dizendo que assim como a planta, o amor necessita de cuidados. Sempre crescendo, com nova folhagem, florescendo, frutificando, sua estagnação e rotina são sinais de doença e morte do casamento. Precisa ter a terra fofada, aparada, regada, arrancadas as ervas daninhas, necessita da chuva e do sol. O amor é plantado por Deus no coração das pessoas, mas deve ser cultivado, ser declarado e ter gestos de gentileza, bondade. Um presentinho vez ou outra, mesmo uma flor de capim e dizer: “É simples, mas lembrei de você, meu amor!”

Fofar a terra é ajudar um ao outro nas lidas, passando momentos juntos; mesmo sacrificando sua aversão, vá com ela às lojas, opine sobre suas compras, ou peça sugestões dela. Aparar seria eliminar críticas ao cônjuge perto de outros. Elogie um almoço, o penteado, o vestido; isto é regar. Agradeça os cuidados dele por você. Partilhem os problemas, as vitórias e as comemorações. Acima de tudo a chuva e a luz do sol são as bênçãos diárias de Deus. Peça a Ele e agradeça a paz, o emprego, a saúde de ambos e demais bênçãos; mostrem interesse pelo bem-estar um do outro. Sejam alegres e comuniquem-se. Busquem a Deus juntos!

Que Jesus abençoe o nosso lar!

Botão Voltar ao topo
Skip to content