DestaquesEleições 2020Rafard

Rafard se prepara para escolher o novo prefeito para o próximo quadriênio

Candidatos a prefeito falam dos desafios para a cidade nos próximos quatro anos e o que pretendem fazer com questões pertinentes

A disputa pelo cargo máximo do município de Rafard parece estar mais acirrada este ano. O município conta com 5 candidatos na disputa da chefia do Poder Executivo e 62, que almejam uma cadeira no Poder Legislativo.

O jornal O Semanário convidou os políticos que figuram como candidatos a prefeito para esta entrevista, com diversas perguntas referentes à temas atuais e cobrados constantemente pela sociedade rafardense.

entrevista candidatos a prefeito eleições municipais 2020 rafard
Ilustração: O Semanário

Alex Sandro Domingues Santos (PT), Ângela Maria Dolniski Barboza (Progressista), Antônio César Rodrigues Moreira (PTB), Fábio dos Santos (PSL) e João César Balceiro de Freitas (Solidariedade), aceitaram a oportunidade para apresentarem suas propostas e enfrentar os desafios do município. Abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto, empregabilidade e investimentos no Distrito Industrial para atrair novas empresas e melhorar os serviços nas que já existem, saúde, cultura, esportes e lazer, são questões às quais os candidatos tiveram o mesmo espaço para resposta.

A proposta dessa entrevista é apresentar o perfil e as propostas desses cinco políticos na disputa ao cargo de chefe do Executivo nas Eleições 2020. O pleito está marcado para 15 de novembro deste ano. Em cidades com menos de 200 mil eleitores não há segundo turno, portanto, o novo prefeito e vereadores de Rafard deverão ser conhecidos até o fim do dia da eleição. Confira a primeira parte da entrevista:

O Semanário – O que o levou a tomar a decisão de aceitar ser o candidato a prefeito de Rafard?

Alex – Devido ao empenho em conquistas durante meu período como vereador, pude proporcionar mais qualidade para a população, e como prefeito não será diferente.

Ângela – Passei por dois mandatos de vereadora, fui a primeira mulher a ocupar o cargo de presidente da Câmara e sou funcionária pública há 30 anos trabalhando na Saúde. Passando por todas estas experiências, por estar há oito anos ocupando uma cadeira no Legislativo e por viver de perto o dia a dia do Serviço de Saúde, tomei minha decisão de dar um passo a mais na vida pública e hoje sou a primeira mulher candidata a prefeita de Rafard.

César – Minha teoria é que a visão de um prefeito deve ser pensando sempre 10 anos à frente. Eu vejo que nossa administração não refletiu em apenas 4 anos, mas sim até hoje, com conquistas que são desfrutadas pela população. Felizmente, em meu mandato de apenas 4 anos, conseguimos evoluir a cidade em 20 anos. Isso me deixa muito satisfeito e ciente de que fizemos as coisas corretas, por isso voltar ao Executivo é fundamental, onde poderemos dar continuidade ao bom trabalho que começamos.

Fabinho – Considero que Rafard precisa de pessoas idealistas na política. Pessoas que pensem grande, mas que não tire o olhar das necessidades do povo. Desta forma, sendo conhecedor do que Rafard necessita, já que estava como vereador há 4 anos e sabendo do que nossa cidade pode melhorar, aceitei o convite para ser prefeito. Meu desejo é fazer mais para nossa população. Queremos mais resultados, mais eficiência na gestão e sabemos que é possível.

Balceiro – Há anos a população apenas vivencia, e o que se fala nada mais são do que promessas que se perdem no tempo, sem que sejam cumpridas. Somente com inovação, vontade e pulso firme é que se pode transformar a cidade de Rafard. Sempre gostei e admirei a política e, com o passar do tempo, passei a entender que, quem não está inserido ou não gosta da política, será “comandado” por quem gosta e, muitas vezes, os inseridos na velha política não se importam com nada. Esse é o momento em que há a necessidade de conhecer, entender e participar diretamente de uma política inovadora com bons ideais para a cidade evoluir.

O Semanário – Candidato, o senhor tem alguma experiência em gestão pública?

Alex – Sim! Como vereador que sou até o dia 31/12, tenho procurado saber como estão os gastos da máquina e em nosso governo, faremos um controle muito mais transparente para a população. Ela irá acompanhar aonde é aplicado cada centavo da prefeitura, proporcionando muito mais transparência ao contribuinte.

Ângela – Sim tenho. Fui a primeira mulher presidente da Câmara e fiz vários investimentos, como reformas, compra de equipamentos e um veículo novo. Ativamos dois canais importantes de transparência na gestão pública que são: o Portal da Transparência e o E-SIC que é o Serviço de Informação ao Cidadão. Com todos estes investimentos e com gestão administrativa de competência, ainda fiz a devolução de mais de 200 mil reais para a prefeitura, recursos que ajudaram a pagar uma bonificação para os funcionários e um auxílio para a Santa Casa. Por todos estes resultados, acredito que adquiri experiência em gestão pública.

César – Fui vereador por três mandatos, totalizando 16 anos, ainda fui presidente da Câmara de Vereadores de Rafard. Atualmente faço parte do PTB. Fui prefeito de Rafard entre 2013 à 2016 e quem acompanha a minha conduta sabe o quão correto sou, por isso tenho grande apoio político, permitindo a conquista de recursos que ajudaram a desenvolver a cidade.

Fabinho – Há 4 anos estou no Legislativo Municipal e busquei um vice-prefeito também com experiência política e administrativa – o Wagner já está há 8 anos no Legislativo tendo sido inclusive Presidente da Câmara, além de ser formado em Administração. Nestes anos que estamos à frente do Legislativo, pudemos entender mais sobre projetos, sobre o Poder Executivo, construir bons relacionamentos com a iniciativa privada, com as pessoas e com políticos de outras esferas que certamente contribuirão com o nosso mandato como prefeito e vice ao sermos eleitos. Enfim, estamos preparados.

Balceiro – Nos últimos 20 anos fui comandante e gestor à frente da Polícia Militar, desempenhando e gerindo com maestria as funções que me eram designadas. Criei uma atuação política ao longo dos anos, associada aos trabalhos que realizei na Polícia Militar e no Rotary Club, e acreditando que é preciso transcender da atitude passiva para uma mais ativa, no sentido de colocar em prática certas medidas, para que seja permitido participar, de fato, do processo de mudança da sociedade, é que decidi trazer essa experiência para melhorar nosso município. Penso que, com pulso firme da educação e vivência militar, é possível fazer muito mais pela cidade onde o povo, de braços abertos, me recebeu e proporcionou tornar-me um cidadão rafardense.

candidados a prefeito e vice de rafard eleições municipais 2020
Arte: O Semanário

O Semanário – Resuma os principais itens da sua proposta de governo?

Alex – Saúde, Habitação, Segurança, Educação, Inclusão Social, Turismo, Esporte / Lazer, Assistencialismo Social, Meio Ambiente, Investimento / Infraestrutura, Saneamento Básico, Emprego e Funcionalismo Público.

Ângela – O convênio para leitos de UTI, o fornecimento de medicamentos em horário ampliado com a Farmácia Digital, a ampliação das visitas do médico da família e a criação de uma autarquia para solucionar o problema da falta de água. Na Educação vamos cobrir as quadras das escolas, implantar o Programa Educação Conectada, uma plataforma digital de interação entre os pais, alunos e professores. Vamos reduzir as taxas da Vigilância Sanitária e teremos a redução da CIP, a taxa de iluminação pública cobrada de todos os munícipes. Vamos buscar recursos para construção de mais casas populares e criar pontos de depósitos de cascalhos para manutenção das estradas rurais.

César – Educação: melhor atendimento as mães dos filhos que estão nas creches, qualidade da merenda e transporte das crianças. Projeto de construir 700 moradias, como já foi feito em meu mandato. Mais habitantes, permite mais recursos Estadual e Federal. Saúde: melhorar estrutura dos equipamentos e trazer mais médicos. Indústrias: montar subestação de energia, melhorar infraestrutura para que possamos atrair grandes Indústrias, gerando mais empregos e renda para Rafard. Esporte/Cultura: todos os projetos que tínhamos entre 2013 e 2016 pretendemos retomar, exemplo, oficinas de dança, campeonatos de futebol, capoeira etc. Agricultura: investir em melhorias de estradas rurais (PPP’s) e mais cursos profissionalizantes. Falta de água: será sanada, pois em 2013 não tivemos este problema. Temos a solução através de construção de poços artesianos e manutenção, a qual não é feita devidamente na atual gestão. Vamos diminuir gastos e buscar recursos através de PPP’s, Estado e Federal, melhorando malha asfáltica, limpeza e setor de obras.

Fabinho – Precisamos para nossa Rafard de mais Emprego e Renda, Saúde com um atendimento humanizado, água e esgoto, com solução para o problema de falta de água e mais habitação. Mas as outras áreas são de igual importância e precisam melhorar, ou seja, Segurança Pública, Meio Ambiente, Cultura Lazer e Turismo, Esporte, Educação, Área Social e Infraestrutura precisam se desenvolver. Para isso estamos pensando grande para nossa Rafard em todas as áreas. Nossas propostas para cada área citada estão sendo entregues nas casas e ainda serão ampliadas, pois construiremos uma gestão participativa.

Balceiro – A prioridade deve ser a completa revisão dos contratos e uma análise financeira profunda, com auditoria, para compreender a real situação financeira do município e o andamento de todos os setores públicos. Evidente que Educação, Saúde e Segurança são temáticas fundamentais e essenciais. Mas, se há algo que será prioridade é a transparência dos fatos. Todos têm o direito de saber como o Poder Público cuida do dinheiro de todos. Ao identificar todo esse sistema, aí sim teremos a clareza e a real condição de dar andamento e executar nossas propostas.

O Semanário – Candidato, caso o senhor seja eleito, qual será a sua principal bandeira como prefeito de Rafard?

Alex – Resgatar a dignidade da população, fazendo uma cidade melhor para se viver.

Ângela – Será a bandeira da gestão administrativa com planejamento e resultados. Vamos atacar os problemas com ações eficazes e com prioridades. Nossa proposta é inovar nas ações e aplicar os recursos para atingir o máximo de resultados. Vamos estar atentas a todas as áreas, mas, sem dúvida, serão feitas ações imediatas para melhorar a Saúde, a Educação, a geração de emprego e a solução para os problemas do Distrito Industrial e da falta d’água da cidade.

César – Habitação e Indústrias, com a construção de novas moradias e a vinda de empresas. Com isso teremos mais pessoas empregadas, e, consequentemente, mais recursos para investir em outras áreas.

Fabinho – A Saúde será nossa principal bandeira, mas não a única. Vamos focar na geração de emprego e renda para desenvolvermos todas as demais áreas. Para as pessoas, vamos direcionar os nossos olhares e ações para o desenvolvimento humano, educativo, profissional e social. Nossos cidadãos precisam viver com Segurança e com melhor qualidade de vida e isso é papel do Executivo. Em nossa gestão, pretendemos resolver o problema da falta de água e ouvir mais as pessoas. Será uma gestão participativa e de resultados.

Balceiro – O que prometo, desde sempre, é transparência e seriedade. Acredito que, na gestão pública de Rafard, será necessário verificar e analisar a “caixa preta” para então nortear as ações a serem tomadas com devida referência e assertividade. A maneira que sempre conduzi a administração, no comando da PM, foi através de sensatez e transparência; na gestão municipal não deve ser diferente. Tudo deve ser feito com claridade e clarividência. Durante toda minha vida como militar, lutei contra a corrupção e crimes em geral, e essa luta terá continuidade dentro da bagagem de conhecimentos que trago da vivência no militarismo aliado aos conhecimentos jurídicos de minha vice, Elaine.

O Semanário – Caso o senhor seja eleito, como pretende definir os critérios para a escolha de sua equipe gestora? Podemos esperar inovação na gestão municipal?

Alex – Estarei conversando junto com o meu vice, já que o mesmo é uma pessoa técnica. Não teremos cargos por amizade, teremos profissionais capacitados para exercer cada pasta.

Ângela – Sim, eu trago propostas de inovação para a escolha da equipe. Uma delas é que o diretor ou diretora de indústria e comércio vai ser uma indicação dos empresários e comerciantes. São eles que vão, em uma reunião conjunta com o Executivo, indicar o nome para a pasta da Indústria e Comércio. Outro ponto diferenciado é que vamos valorizar os funcionários efetivos, que vão ocupar cargos estratégicos no Governo e vamos formar uma equipe gestora a partir de critérios de capacidade técnica para cada departamento.

César – Vamos adotar critérios técnicos, recrutando pessoas habilitadas e extremamente capacitadas para assumir um cargo público.

Fabinho – Os critérios de escolha normalmente são técnicos e políticos. No entanto, em nossa gestão, se houver alguma escolha por critério político, esta pessoa necessariamente precisará também ter competência técnica, ou seja, a escolha da equipe será feita com muito critério. O Sistema de Gestão que pretendemos implantar será inovador, daí a importância de colocarmos as pessoas certas nos lugares certos. Pretendemos também valorizar e capacitar a equipe de servidores efetivos para que estes possam ocupar cargos estratégicos.

Balceiro – A boa política pede respeito, diálogo e responsabilidade. Teremos profissionais técnicos gabaritados, pois a eles competem toda a coordenação e execução das atividades dos órgãos e das entidades da administração, além de orientar o gestor na área de sua competência, inclusive expedir instruções para a execução das leis, de decretos e dos regulamentos relativos aos assuntos atinentes a sua secretaria, fato que exige conhecimento de causa. Portanto, o secretariado deve ser capacitado para exercer a função e auxiliar de maneira correta os trabalhos a serem realizados em favor do povo. E será feito um acompanhamento através de reuniões periódicas para ver o desempenho. Deu certo, seguimos em frente. Não deu, a amizade seguirá, mas o cargo deverá ser substituído e ocupado por quem realmente vestir a camisa e ao meu lado trabalhar pelo povo e para o povo.

O Semanário – Para o senhor, quais são os maiores desafios a serem enfrentados como prefeito, para os próximos quatro anos em Rafard?

Alex – Conseguir terras, já que hoje, Rafard não tem terra. Após conquistar terras, poderemos incentivar novas empresas a se instalarem na cidade.

Ângela – Os desafios serão grandes, pois estamos vivendo num cenário modificado pela pandemia e ainda temos que nos adaptar a esta nova realidade. Os desafios virão, e acredito que o principal deles será alcançar bons resultados com a gestão de poucos recursos, mas não há outro caminho, é preciso buscar soluções. A geração de emprego será um dos desafios a ser enfrentado e nós vamos investir para promover a criação de novas vagas. A qualidade do serviço de saúde, que é prioridade para o município, também vai estar entre as necessidades de maior atenção, principalmente após essa pandemia, que ainda é uma preocupação em todo o país.

César – O desemprego que está muito alto, além da habitação, onde vemos que muitas pessoas estão vivendo em aluguéis. Mediante isso, vamos capacitar as pessoas e dar mais condições para que todos trabalhem, gerando renda e permitindo que saiam do aluguel e conquistem o sonho da casa própria.

Fabinho – São muitos os desafios porque temos grandes metas, mas acreditamos que os principais desafios estão relacionados à Saúde, ao Sistema de Abastecimento de Água e Esgoto e Desenvolvimento Econômico (Emprego e Renda).

Balceiro – Tenho algumas ideias e visões, de várias obras e mudanças, que acredito serem boas. Por outro lado, a cidade não é minha e não deve ser pensada para ser do jeito que eu quero. Justamente, nesse sentido, que criamos o projeto “Nossa Rafard”, que tem percorrido todos os bairros, ouvindo as pessoas e como elas querem a cidade. Entendo as reais necessidades de quem mora nos bairros e o que eles precisam. A cidade deve ser pensada do ponto de vista das pessoas, não do jeito que o candidato quer. Repito sempre, que a boa política pede respeito, diálogo e responsabilidade.

O Semanário – Na sua opinião, como está o funcionalismo público de Rafard? Como enfrentar o desafio de valorizar a categoria e, ao mesmo tempo, promover uma otimização no setor, a fim de garantir melhor qualidade nos serviços prestados à população?

Alex – Primeiramente é equalizar os recebimentos dos funcionários, é preciso que haja uma regulamentação para todos, propor melhorias nos benefícios, qualificação profissional e fazer uma análise, se o funcionário está feliz em exercer a sua atividade, no local onde se encontra.

Ângela – Devido as medidas tomadas por conta da pandemia, não poderemos aumentar as despesas com pessoal até 2021. Em nossa gestão, até 50% dos cargos em comissão serão ocupados por funcionários efetivos. Outro compromisso nosso com os funcionários será investir na capacitação para que eles também desenvolvam outras funções, e que com isso, agreguem aumento do poder aquisitivo salarial. Vamos reorganizar o fluxograma dos funcionários para que possamos expandir o plano de carreira para mais diretorias e fazer os ajustes necessários para atingir melhores resultados.

César – Iremos qualificar ainda mais os profissionais, através de cursos e estrutura. Fora isso, iremos valorizar a categoria com aumento salarial (mediante Lei e orçamento permitido no município).

Fabinho – O funcionalismo público precisa ser ouvido, valorizado e motivado. Para isso, investiremos em capacitação e iremos rever as questões administrativas da Prefeitura. Prefeito e vice não fazem nada sozinhos. Tudo depende de uma equipe capacitada e bem estruturada para atender as necessidades da população e para fazer a cidade avançar. Imaginem os mais de 400 servidores trabalhando em busca de um mesmo ideal e sendo reconhecidos e valorizados por fazerem o melhor para Rafard. Gestão participativa, valorização, reconhecimento dos servidores e resultados são as palavras que resumem o que queremos para nossos servidores e para nossa Rafard.

Balceiro – Quem cuida dos serviços públicos de nossa cidade precisa de atenção e cuidado. Tenho em mente medidas que visam melhorar as condições dos servidores públicos, como ver a resolução, com a máxima urgência, do problema atinente ao pagamento do percentual de 6,46%, sobre os reajustes salariais e abonos; promover estudo, aperfeiçoamento e reestruturação das referências que gerem os proventos do funcionalismo, para melhorias e reajustes graduais, junto do alinhamento e estratégia de melhorias na aplicação e uso de convênio de saúde, com maior economia aos usuários e beneficiários.

O Semanário – O que o senhor sabe sobre a Prefeitura de Rafard, atualmente? A partir dos seus conhecimentos, o senhor pretende fazer readequações, alterar estrutura administrativa, criar ou eliminar cargos comissionados?

Alex – Será realizado um levantamento geral de todos os cargos e secretarias, para isso teremos profissionais específicos para atuarem em cada setor. Não iremos propor cargos comissionados.

Ângela – Recentemente a Prefeitura de Rafard teve que fazer um projeto de reestruturação administrativa dos cargos às pressas, e sem a participação dos funcionários, devido uma ação do Ministério Público. Pretendemos fazer readequações para adequar algumas funções e diretorias a atual realidade, mas, todo este trabalho sempre pautado pelo conhecimento técnico e pelas experiências dos funcionários efetivos, sempre observando as regras previstas pelo Tribunal de Contas.

César – Modéstia à parte, conheço muito, pois já passei por lá. Cargos comissionados devem ser preenchidos por pessoas técnicas, e é isso que iremos fazer.

Fabinho – Nós temos diversas informações, ideias de melhorias que podem ser feitas, mas não tomaremos decisões sem antes ouvirmos os servidores, sem antes conhecermos mais de perto as necessidades e propostas deles para uma cidade melhor. Sei que hoje temos pessoas que podem entregar mais resultados, sei de pessoas que estão com remunerações baixíssimas diante dos resultados que entregam e vejo também que muitos servidores não tiveram oportunidade de mostrarem do que são capazes. Enfim, nossas decisões de mudanças precisam ser tomadas com um conhecimento ainda maior depois que estivermos lá.

Balceiro – Considerando que não sou analista ou comentarista político e que, como próximo gestor, ao assumir a nova administração, pretendo trabalhar com o povo e para o povo. Entendo que não vem ao caso e que não me cabe avaliar a atuação da atual administração; apenas devo apreciar que ainda há muito a ser feito para a população e para se construir a Rafard do futuro, dando continuidade ao que está de acordo com as leis e que irá de encontro aos anseios dos contribuintes, mas principalmente inovando o que falta, e se necessário for, as readequações serão feitas, pois a verdade é única, precisamos enxugar os gastos excedentes.

O Semanário – O senhor pretende realizar concurso público nos próximos 4 anos e investir no funcionalismo público?

Alex – Como disse anteriormente, vamos propor qualificação para os nossos servidores atuais, porém, para atender algumas mudanças de melhoria de nossa cidade, vamos propor sim um concurso público, para atender as necessidades pontuais que a cidade vai ter.

Ângela – Nossa meta é valorizar e investir no funcionário público. A realização de concurso público é uma medida que precisa ser avaliada, pois é preciso, primeiro, fazer o estudo do impacto financeiro e o levantamento da real necessidade de contratação de mais funcionários. O que nós queremos é aplicar a Gestão Administrativa para revisar as atribuições dos funcionários públicos e expandir o plano de carreira. Nosso objetivo é ampliar a qualidade do serviço público com o quadro de funcionários já existentes.

César – Pretendo, mediante a necessidade de cada setor e os termos da Lei.

Fabinho – Sim, mas para a realização de concurso será necessário um levantamento minucioso das necessidades. Antes mesmo de contratarmos mais pessoas precisamos melhorar as condições de trabalho e condições salariais de quem já está conosco e fazer concurso para as áreas que realmente estão com déficit de pessoas para trabalharem. Ou seja, a questão administrativa precisa de um olhar atencioso e de decisões certeiras a partir de um maior contato com as experiências e necessidades.

Balceiro – Após estudo direcionado a cada área e dentro das reais necessidades da aquisição de novos funcionários e serviços, respondo que sim, será viabilizado novo concurso, mas de forma clara e com edital moldado à transparência, junto à população, para que seja feito de modo que não haja descontentamento, desconfiança ou que venha a gerar margem de idoneidade. Tanto os investimentos quanto as cobranças serão realizados aos funcionários, pois eu, como funcionário público estadual há 30 anos, sempre lutei por melhorias aos meus pares e subordinados, mas também sempre cobrei a qualidade e a excelência no atendimento à população.

O Semanário – Conforme se observa, em todo o mundo, a pandemia trouxe e ainda trará reflexos em todos os setores da sociedade, especialmente, na economia. Como o senhor pretende lidar com essa situação?

Alex – Propor soluções de incentivo e subsídios para o nosso comércio local. É preciso estar do lado dos nossos pequenos, médios e grandes empreendedores (comerciantes), que mesmo antes da pandemia, não tinham nenhum incentivo. Proporcionar condições de novas empresas se instalarem na cidade, dando oportunidade para os nossos profissionais rafardenses.

Ângela – Vamos enfrentar as dificuldades e desafios desta nova realidade, mas também vamos ter a oportunidade de novos aprendizados e novas formas de administrar. Uma das nossas medidas será fazer um novo censo populacional, pois Rafard já possui mais de 10 mil habitantes e aumentaria o direito de aumento de repasse do Governo para o município. O mundo já mudou com a pandemia, e isso é inevitável. Precisamos olhar para os novos caminhos de geração de emprego, de cuidados com a saúde, de promoção de qualidade de vida que estão por vir, e aplicar estas novas medidas no dia a dia.

César – Vamos trabalhar com os pés no chão, seguindo uma linha de redução de gastos e, junto dos profissionais da Saúde, seguir dando atendimento para toda a população.

Fabinho – Pretendemos lidar com os prejuízos por meio de medidas inovadoras. A pandemia é um fato difícil sim, mas nosso foco será olhar para a frente sem nos esquecermos de olharmos de vez em quando para o retrovisor. Investimentos em cultura e turismo e também na estrutura de base para a geração de mais emprego e renda serão importantes para contribuir com a movimentação econômica de nossa cidade. Quando um município investe em seu comércio, na abertura de novas empresas, ampliação das existentes e industrialização ele está garantindo que outras áreas possam se desenvolver mais.

Balceiro – Os reflexos da pandemia, tanto numa visão micro e macro, serão vistos não no próximo ano, mas sim, nos próximos, pois os reflexos e reverberações deverão prosseguir até o final da próxima gestão. Precisamos incentivar o estudo, às qualificações, para que os jovens já se prepararem para o futuro. A educação deverá ser um norte, por isso um dos meus projetos é a implantação de uma escola municipal, técnico profissionalizante e, através de parcerias e de incentivo de captação de novas empresas privadas, conseguir promover esse crescimento do setor.

O Semanário – O senhor tem um plano para melhorar as condições do Distrito Industrial, que ainda tem problemas com telefonia, saneamento, água, comunicação visual com nomes de ruas e limpeza?

Alex – Sim! Temos um plano específico para anteder as necessidades do Distrito Industrial, temos um projeto de parcerias Público Privada.

Ângela – O compromisso começa com o diálogo com os empresários, e isso vai acontecer na escolha do diretor de Indústria e Comércio que será uma indicação deles para o nosso Governo. Vamos investir na construção da subestação de energia e vamos buscar soluções para que tenha no Distrito o serviço de Internet e telefonia de qualidade. A solução dos problemas com abastecimento de água e tratamento de esgoto virá com a criação da Autarquia, que irá gerenciar todo o serviço no município. A limpeza do Distrito e a sinalização com nomes das ruas são medidas básicas que vamos resolver já nos primeiros dias de Governo.

César – Iremos trazer mais Indústrias, logo é fundamental dar melhor estrutura para o local. Com o Programa do Estado de São Paulo, Investe São Paulo, poderemos viabilizar tudo isso.

Fabinho – Sim, é exatamente esta estrutura de base que citei anteriormente. Não adianta querermos atrair novas empresas se nossas políticas públicas e infraestrutura não atendem as necessidades. Em nossa visão, ainda falta o básico. Precisamos investir no básico para nos tornarmos grandes e o básico é exatamente o que já foi citado pelo jornal acrescentado de melhorias na energia elétrica, transporte, asfalto e legislações.

Balceiro – Essa é uma questão importante, que estamos debatendo bastante para a próxima gestão. Estamos com planos promissores para essa área, pensando e repensando em saídas viáveis, como a ampliação e estruturação do Distrito Industrial, com diversos avanços, trazendo melhores condições inclusive acerca da problemática da falta de água, pavimentação e comunicação. Uma das nossas propostas é a criação de um Micro Distrito Industrial e a instalação de pequenas empresas que propiciem empregos à população do Bairro Sete Fogões. Dessa forma melhoramos a infraestrutura e aumentamos a geração de renda e empregos na região.

O Semanário – De que forma o senhor, caso eleito, pretende apoiar e fortalecer o Senai Rafard, a fim de contribuir com o desenvolvimento econômico da cidade e capacitando mão de obra local para atender a demanda das indústrias do município?

Alex – Realizando parcerias com as empresas do município e região, além de qualificar os nossos servidores.

Ângela – Vamos criar um Projeto de Lei que vai dar oportunidades para a capacitação do jovem para o mercado de trabalho. Para isso, vamos promover parcerias para que os jovens, com os melhores resultados na avaliação escolar, possam receber bolsas para cursos de capacitação no Senai. Vamos criar parcerias para dar oportunidade de bolsas para cursos profissionalizantes para homens e mulheres que estão desempregados e buscam a capacitação profissional. Assim, estaremos criando oportunidades para os jovens, para os profissionais que estão desempregados e estaremos capacitando mão de obra para o mercado de trabalho de nosso município.

César – O Senai sempre foi um parceiro nosso. Em meu mandato sempre fizemos trabalhos conjuntos direcionando alunos para o trabalho nas Indústrias e empresas de Rafard. Em meu futuro mandato, não será diferente.

Fabinho – Acredito que o principal fator não esteja relacionado somente em apoiar o Senai, mas sim esteja relacionado a maior integração entre necessidades e oportunidade. Precisamos estar atentos ao que o mercado necessita e oferecermos essas oportunidades aos nossos cidadãos. Ter um Senai em nossa cidade é um grande passo para o desenvolvimento. Precisamos estreitar relacionamentos entre o munícipio e o Senai e entre o Senai e os cidadãos, sempre buscando novas e parcerias com empresas e com o Estado.

Balceiro – A educação é um dos pontos fortes da minha campanha. Temos no nosso plano a criação do centro técnico profissionalizante, a luta junto ao governo federal pela aquisição do Colégio Cívico Militar e a criação da creche escola, nos bairros Sete Fogões e Itapeva. O Sistema “S” é um sistema muito importante para o desenvolvimento local da cidade, pois trata-se do conjunto de nove instituições de interesse de categorias profissionais, englobando Senac, Senar, Sesi, Sebrae, o próprio Senai etc. E temos em mente a construção de um novo prédio educacional para abrigar cursos profissionalizantes, no Centro Esportivo Reinaldo Fontolan, buscando parcerias através do sistema S, com o SESI e também com o governo federal.

perfil candidatos a prefeito eleições 2020 rafard
Arte: O Semanário

O Semanário – Ainda sobre o desenvolvimento econômico, é importante ressaltar que a cidade vem buscando desenvolver o seu comércio. Para isso, precisa do apoio e incentivo do Poder Público. Então, quais são seus planos para fortalecer o setor?

Alex – Proporcionar soluções, incentivos e subsídios para que o comércio local se desenvolva e posso oferecer sempre algo mais para a população, fazendo com que a economia fique dentro da cidade.

Ângela – Uma das ações, já mencionadas para fortalecer o comércio, será a escolha do diretor de indústria e comércio, através de uma indicação dos comerciantes e empresários. Outra ação é a redução da taxa da Vigilância Sanitária e o parcelamento do pagamento destas taxas. Será criada a campanha de pontos para descontos no IPTU para o morador de Rafard que comprar no comércio local, e descontos nas taxas de funcionamento dos comércios que efetuarem as vendas. Vamos promover eventos com sorteios de brindes em datas comemorativas para incentivar a compra no comércio local e vamos organizar reuniões periódicas para discutir ações conjuntas de incentivo ao comércio.

César – Iremos apoiar a Feira do Comércio e Indústria, empregar mais pessoas (o que gera renda para consumo inteiro) e estar sempre alinhado as demandas e necessidades dos nossos comerciantes e empresários.

Fabinho – Como vereador, já tive iniciativas para fomentar o comércio local com a realização da primeira feira do comércio, que foi um sucesso. Mas vamos ampliar. Nós queremos fortalecer o setor incentivando as compras governamentais das micro e pequenas empresas, queremos criar políticas públicas específicas, vamos estimular o turismo, vamos incentivar os artesãos, doceiras e ambulantes da cidade para realização de feiras para a venda dos seus produtos. Realizaremos ainda campanhas de incentivo ao comércio principalmente em datas comemorativas e ainda firmaremos parcerias para oferecermos capacitação para os comerciantes, autônomos e empresários.

Balceiro – Promover o desenvolvimento econômico de Rafard será um dos desafios da nossa gestão e não mediremos esforços para alcançarmos excelentes resultados, trazendo auxílios para esse setor, como o aumento à empregabilidade, com a criação de novas frentes de trabalho, através da implantação de uma escola municipal técnico profissionalizante, e através de parcerias e de incentivo de captação de novas empresas privadas, além do aquecimento do turismo, do eco turismo e do turismo vivencial a ser implantado; inclusive buscando a instalação de empresas que propiciem empregos também a população do bairro Sete Fogões, que por estarem distantes sofrem com essa problemática.

O Semanário – Rafard é um município basicamente voltado à cultura canavieira, mas o setor rural se desenvolve cada dia mais e hoje nós já temos alguns produtores rurais mais diversificados. Sendo assim, como o senhor olha para esse setor e em seu governo, existe um plano que atenda às necessidades dos produtores rurais?

Alex – Sim! Promover estratégias junto, ao governo estadual e até o federal, incentivando e valorizando os produtores rurais.

Ângela – Sim, nós também pensamos no produtor rural. Vamos expandir o serviço de Internet com acesso gratuito para a área rural e vamos criar pontos de depósito de cascalhos para o uso dos agricultores e sitiantes nas melhorias das estradas. Vamos ter a Ronda da Guarda Municipal ampliada para a área rural e vamos promover cursos de capacitação e incentivo à Agricultura Familiar. E no Turismo nós temos um projeto inovador para a área rural de Rafard, que é o Turismo Rural. Nós vamos promover passeios e visitas de grupos de crianças e jovens nos sítios e propriedades rurais. O Turismo Rural é hoje, umas das economias em maior expansão nas cidades do interior.

César – Sempre demos suporte aos Agricultores, com projetos e eventos para incentivo do pequeno produtor rural. Um exemplo disso é que meu mandato, nós conseguimos quase 2 milhões de reais para Agricultura Familiar. Uma pena que o projeto não teve continuidade na atual gestão.

Fabinho – Buscaremos parcerias com a Secretaria Estadual de Agricultura por meio de programas que beneficiem o produtor rural. Nossa intenção é reformarmos o Barracão Multiuso no Sítio São José, para a realização de cursos e voltados para a qualificação dos agricultores e pecuaristas; queremos ainda adquirir hortaliças e frutas de micro e pequenos produtores do município para o fornecimento e preparo de refeições na merenda escolar. Realizaremos a manutenção e recuperação de trechos críticos de estradas rurais e investiremos em outras estratégias e políticas públicas específicas, presentes em nosso Plano de Governo.

Balceiro – Reconhecemos a importância do produtor rural, pois, além de gerar emprego e renda, promove avanços nas mais diversas áreas da cidade. Será feiro um estudo direcionado, para uma verdadeira cooperativa de distribuição local aos órgãos públicos, as feiras e aos mercados, e o repasse, do restante dessa produção, será feito a outros órgãos, como por exemplo ao CEASA. Para alcançarmos novos mercados além do município, temos em nosso plano de governo a pavimentação, recuperação asfáltica e manutenção constante das estradas de interligação rural.

O Semanário – A população reclama constantemente nas redes sociais sobre a sujeira com o bagacinho da cana, canas jogadas na ciclovia, questões ligadas diretamente à empresa Raízen. Se eleito, como o senhor pretende resolver essas questões?

Alex – Estando no Poder Executivo, irei realizar uma conversa com os gestores da Raízen, afim de acabarmos com este transtorno que é o bagacinho. Propor uma solução imediata que sane o problema, mas com um curto prazo para a execução, passível de multa, caso não cumpra o acordado.

Ângela – Vamos nos reunir com os representantes da empresa e solicitar de seus departamentos de engenharia e questões ambientais as licenças e projetos referentes ao bagacinho. Após isso, vamos até o órgão competente pela fiscalização (Cetesb) para uma explicação se estes procedimentos estão corretos ou não. Outra medida, será através do Departamento de Meio Ambiente, pelo qual vamos intensificar a fiscalização sobre este fato e criar mecanismos de penalidades, se for o caso. Sobre as canas caídas ao lado da ciclovia, a limpeza deve ser feita pela Concessionária Rodovias do Tietê, pois lá é um perímetro de sua concessão, sendo assim, a prefeitura não pode fazer a limpeza sem a devida autorização.

César – A solução me parece bastante simples, na qual a responsável por gerar o bagacinho (Raízen) deve cobrir o local, assim evitando que o bagacinho espalhe com o vento, o que deixa a cidade suja e prejudica a saúde da população. Logo que assumir, esta será minha prioridade.

Fabinho – Como vereador, já tenho cobrado soluções para este problema, tendo a empresa, inclusive, tomado medidas paliativas após essas minhas constantes cobranças. Mas no Executivo seremos ainda mais enérgicos. Caso nossas solicitações não sejam cumpridas, faremos leis específicas que possam por fim, de uma vez por todas, neste prejuízo à nossa população. Quanto à sujeira nas ciclovias, também pretendemos realizar um contato mais próximo com a empresa Rodovias do Tietê para que esta nos ajude a manter a ciclovia limpa.

Balceiro – Essa problemática, que vem assolando nosso município, pode e deve ser resolvida com gerenciamento da crise, por meio da mediação de conflitos entre o prefeito eleito e a gerência da empresa Raízen, de modo a encontrarmos uma coerente solução, que seja boa tanto à prefeitura, ou seja, aos munícipes, quanto à usina. Pessoalmente, como sempre fez parte de minha vida como comandante, mediarei a viabilizarei a melhor solução para todos, pois não entendo como um problema de difícil solução, haja visto a grande quantidade de terras e espaço que há no entorno da Raízen propiciando uma realocação da estocagem desse material.

Botão Voltar ao topo