CapivariDestaques

Temporal sem vítimas, mas com prejuízos materiais ainda incalculáveis

Casas destelhadas, cômodos alagados, carros atingidos, árvores arrancadas, prédios comerciais destruídos e prejuízos que ainda não foram totalizados.

Esse é o cenário desde a noite de terça-feira (17) nas cidades de Rafard e Capivari, após chuva de granizo e ventania que causou muita desordem nas casas, comércios e prédios públicos.

Na popular de Rafard, a moradora Larissa dos Santos Rodrigues, calcula um prejuízo de mais de R$ 450,00.

“Foi horrível, achei que a casa ia cair. Começou a cair granizo e quebrar os vidros das postas e janelas. Meu carro que estava na rua ficou todo trincado”, conta.

Larissa, moradora de Rafard, enviou fotos dos vidros da porta de janela quebrados pelo granizo (Foto enviada pelo leitor)
Larissa, moradora de Rafard, enviou fotos dos vidros da porta de janela quebrados pelo granizo (Foto enviada pelo leitor)

Também próximo à popular, em frente ao Supermercado Callegari, o comerciante Fernando Marretto, que ainda não contabilizou os prejuízos, teve seu depósito de gás praticamente destruído.

“Não sobrou uma telha, perdemos televisão, computador, notebook, telefone, ou seja, não sobrou nada”, lamenta Marretto, já de saída para comprar telhas e tentar reconstruir ainda hoje, com receio que volte a chover.

Na empresa Rafitos, localizada no Distrito Industrial de Rafard, não houve danos materiais, mas o prejuízo atingiu a produção de salgadinhos e suco da empresa.

Um dos proprietários, Lucas Turolla Pellegrini, afirmou que após duas horas de paralisação por falta de energia, na manhã desta quarta-feira (18), os prejuízos foram calculados na casa dos R$ 5 mil.

Capivari

No bairro Santa Rosa, localizado na cidade vizinha – Capivari – os prejuízos na residência da idosa, Margarida Marques, de 83 anos, são de causar comoção. A casa de três cômodos, coberta de telhas Brasilit, foi toda inundada. O telhado está todo furado e ela teve os móveis, roupas e eletrodomésticos perdidos por causa da chuva.

Dona Margarida recebeu doação de água dos vizinhos para pelo menos preparar o almoço de hoje e não sabe quanto vai gastar para recuperar o telhado e os bens perdidos (Foto: Ivanete Cardoso)
Dona Margarida recebeu doação de água dos vizinhos para pelo menos preparar o almoço de hoje e não sabe quanto vai gastar para recuperar o telhado e os bens perdidos (Foto: Ivanete Cardoso)

“A chuva começou e eu só vi aquelas pedras [granizo] caindo e a casa enchendo de água. O telhado inteiro está furado e eu saí toda molhada quando meu filho apareceu para me socorrer”, relata Margarida.

Ela recebeu doação de água dos vizinhos para pelo menos preparar o almoço de hoje e não sabe quanto vai gastar para recuperar o telhado e os bens perdidos.

Coletiva

Durante coletiva de imprensa, nesta quarta-feira (18), o prefeito Rodrigo Proença informou que o Fundo Social de Solidariedade de Capivari está recebendo doações daqueles que desejam ajudar as famílias atingidas. O item de maior necessidade, no momento, são colchões, devido ao grande número de pessoas que tiveram suas casas alagadas.

Ivanete Cardoso

Jornalista - MTB 57.303
Botão Voltar ao topo