CapivariDestaques

Vendas de Natal devem sofrer queda de 17% no comércio capivariano

A tradicional abertura noturna do comércio em Capivari, teve início na terça-feira (8). De volta à fase amarela do Plano São Paulo de enfrentamento à COVID-19, os lojistas terão que se adaptar às 10 horas permitidas de funcionamento.

A alternativa, de acordo com o Sindicato Patronal de Capivari, é o funcionamento das 10h às 20h, de segunda a sexta-feira. Aos sábados o horário será das 8h às 17h, e aos domingos as lojas devem ficar fechadas.

Além do horário reduzido, o comércio deve seguir todas as normas de segurança, como a oferta de álcool em gel para os clientes, o distanciamento e evitar aglomerações com a ocupação máxima de 40% da capacidade das lojas.

queda-vendas-natal-2020
“Vai ser difícil recuperar os prejuízos que vieram junto com esta pandemia”, enfatiza presidente da ACIC (Foto ilustrativa)

Segundo o presidente da ACIC (Associação Comercial e Industrial de Capivari), Marcos Vinícius Belini, a expectativa de recuperar os prejuízos acumulados durante o período em que o comércio ficou com as portas fechadas, por conta da pandemia, não são nada promissoras.

Ele relata que a queda nas vendas neste período de Natal, comparado à 2019, deve ficar em torno de 17%, mesmo índice negativo da Black Friday deste ano, que não vendeu o esperado pelos lojistas.

“Hoje, quem está na UTI é o comércio. Vai ser difícil recuperar os prejuízos que vieram junto com esta pandemia. Muitos tiveram que demitir funcionários, reduzir o horário de funcionamento e há pouco dinheiro circulando no mercado”, explica Belini.

marcos-belini-presidente-da-acic-capivari
Marcos Belini, presidente da Associação Comercial e Industrial de Capivari (Foto: Arquivo pessoal)

De acordo com o presidente da Associação Comercial, outra medida que não ajuda em nada o comércio local, é a redução do horário de funcionamento. Belini acredita que se o comércio ficar mais tempo aberto, o cliente tem mais opções de horários e isso evita a aglomeração.

“Com a volta para a fase amarela, o horário de abertura do comércio foi mais uma vez reduzido. Isso só atrapalha e faz a economia andar para trás. Se o comerciante segue todas as normas e evita aglomeração, não é ele o culpado pela propagação do vírus”, desabafa.

Caixa no vermelho e Natal sem prêmios

Pelo segundo ano consecutivo, a ACIC não realizará a Campanha de Natal com sorteio de prêmios para os clientes das lojas participantes. Em 2019, a campanha já não aconteceu, devido a baixa adesão dos lojistas. A última foi em 2018, com o sorteio de uma moto 0KM.

Este ano, estava programada a volta das campanhas em três datas comemorativas: Dia das Mães, Dia dos Pais e Natal.

“Nós já estávamos com as lojas parceiras e teria o primeiro sorteio de prêmios em maio. Aí veio a pandemia e tivemos que cancelar”, diz Belini.

Se para o comércio a previsão é fechar o ano no vermelho, para a Associação Comercial de Capivari, a expectativa é semelhante. Com redução no número de associados e a acentuada crise na economia, a ACIC demitiu funcionários e passou o ano com caixa apertado para pagar as contas.

“Vamos fechar no vermelho. Nossa esperança é que 2021 seja um ano melhor e que a economia comece a dar sinais de recuperação”, finaliza.

Ivanete Cardoso

Jornalista - MTB 57.303
Botão Voltar ao topo