Capivari

Vereadores Sandro e Vinícius debatem melhorias para os ecopontos de Capivari e conhecem projeto de usina sustentável do Consimares

Foto: Divulgação/Câmara de Capivari

Na terça-feira, 25, os vereadores Sandro Modas (PSDB) e Vinícius Scarso (MDB) participaram de uma reunião do Consimares (Consórcio Intermunicipal de Manejo de Resíduos Sólidos), em Elias Fausto. Scarso, que é conselheiro do órgão, convidou Sandro para o encontro para tratarem de possíveis soluções para os ecopontos de Capivari. Os parlamentares falaram sobre o assunto em tribuna na segunda-feira, 31.

Ambos disseram que a reunião foi bastante produtiva e, além das melhorias para os ecopontos, tiveram acesso ao projeto do Consimares de construir uma usina sustentável de resíduos na região. A ideia é seguir o modelo da usina de Amsterdã (Holanda), que existe desde 2007 e que é referência no assunto.

Scarso mostrou, durante sua fala em tribuna, o vídeo de funcionamento da usina: o caminhão despeja os rejeitos, que são pegos por uma máquina e transportados para uma área onde é feita a queima dos resíduos; a fumaça gerada passa por filtros e, nesse percurso, é gerada energia elétrica, e ela é despejada no ar como vapor de água; a sobra dos rejeitos, que se transforma numa areia, pode ser usada na construção civil.

“Hoje, todos os resíduos sólidos são levados aos aterros sanitários, só que a gente sabe que os aterros sanitários oferecem grandes riscos ambientais, por mais que seja tudo bem calculado, tudo bem organizado, mesmo assim oferecem grandes riscos ao meio ambiente.

Então, pela questão da sustentabilidade, não é o ideal. Tanto é que muitos países desenvolvidos abandonaram esse sistema dos aterros, e quem ainda não abandonou está abandonando.

E, a longo prazo, ele acaba ficando mais caro que outras alternativas tecnológicas, sem falar que os aterros sanitários estão no limite da sua vida útil, porque não tem mais para onde crescer”, explicou Scarso.

De acordo com os vereadores, o projeto do Consimares é construir essa usina até 2025 na região entre Hortolândia e Sumaré, o que classificaram como “fato histórico” para o país. Sandro ainda reforçou que, para incentivar a destinação correta do lixo, as pessoas passarão a ter desconto na conta de energia elétrica.

Ao questionarem o motivo pelo qual o Brasil ainda não possui essa tecnologia, foram informados que é pela baixa lucratividade da usina em relação aos aterros sanitários.

Sandro e Scarso disseram que saíram otimistas da reunião e que esperam que as cidades comprem a ideia para que o problema com a destinação de resíduos possa, enfim, ser resolvido e de forma sustentável.

Botão Voltar ao topo
Skip to content