CapivariDestaques

Capivari renova decreto que proíbe desperdício de água

O período de estiagem vem castigando a Represa Milhã, responsável por 50% do abastecimento hídrico de Capivari.

Na primeira quinzena de outubro, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) tomou uma medida para tentar conter o desperdício de água. O decreto determinou, desde o dia 14 de outubro, a proibição de lavagem de frente de imóveis, ruas, encher ou esvaziar piscinas, lavar quintais, telhados, paredes, calhas, garagens, veículos ou despejar água tratada na rede pluvial ou rede de esgoto.

Segundo a autarquia, durante o primeiro mês do decreto em vigor, a economia estimada é de cerca de 57 milhões de litros de água. Esse número é o equivalente à cerca de cinco dias de abastecimento hídrico para toda a cidade de Capivari. A quantia também é correspondente a uma caixa de água de 1.000 litros para mais de 56 mil pessoas.

No entanto, mesmo com a medida de racionamento, a situação é preocupante. “O decreto que proíbe o desperdício vem ajudando bastante, porém a falta de chuvas ainda prejudica muito. A situação segue preocupante, as bombas hidráulicas estão funcionando 24 horas por dia e mesmo assim o nível do reservatório segue baixando, por isso mais do que nunca, precisamos que a população contenha o desperdício”, alerta o superintendente do Saae Capivari, Rogério Oliveira.

Represa Milhã, responsável por 50% do abastecimento hídrico da cidade está sofrendo com estiagem (Foto: Divulgação/Saae Capivari)
Represa Milhã, responsável por 50% do abastecimento hídrico da cidade está sofrendo com estiagem (Foto: Divulgação/Saae Capivari)

O decreto, baseado na lei 4.568/2014, determina aplicação de penalidade no valor de R$ 72,40 na conta de água do morador que for pego desperdiçando. Em caso de reincidência, o valor da multa passa a ser de R$ 144,80, além do corte total do fornecimento de água por três dias.

Na sexta-feira, dia 12, o prefeito de Capivari, Vitor Riccomini, assinou a prorrogação da medida de racionamento por mais 30 dias.

A fiscalização é realizada pelos servidores públicos efetivos do Saae, responsáveis pelo auto de infração e a multa. De acordo com a lei, a Guarda Civil pode auxiliar na fiscalização, encaminhando a ocorrência à autarquia para que seja lavrada a multa.

Segundo o governo municipal, a lavagem de veículos em postos de combustíveis que forneçam a “ducha grátis” também está proibida na cidade.

Em caso de dúvidas e denúncias, o Saae Capivari atende pelo telefone 0800-1900-123, 24 horas por dia, sete dias por semana.

Túlio Darros

Jornalista (MTB: 63932/SP), diretor proprietário do Jornal O Semanário Regional, e publicitário, sócio proprietário da Syna Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Skip to content