DestaquesRafard

Conheça quem são e o perfil dos pré-candidatos a prefeito de Rafard

pré candidatos a prefeito de rafard eleições 2020
Pré-candidatos a prefeito de Rafard (Fotos: O Semanário)

Saindo um pouco do foco ‘pandemia do coronavírus’, o jornal O Semanário convidou nesta semana, 5 políticos que figuram como pré-candidatos a prefeito no município de Rafard. Foram convidados: João César Balceiro de Freitas (Solidariedade), Ângela Maria Dolniski Barboza (Progressista), Alex Sandro Domingues Santos (PT), Fábio dos Santos (PSL) e Antônio César Rodrigues Moreira (PTB).

Apenas o ex-prefeito de Rafard, César Moreira, optou por não participar da entrevista com a seguinte justificativa: “Recebi suas perguntas, porém em conversas com o corpo jurídico do meu grupo partidário (PTB), o qual eu sou o atual Presidente, definimos que não é o momento de concedermos entrevistas aos veículos de imprensa, uma vez que a convenção partidária ocorrerá entre o final de agosto e início de setembro, e devido ao fato do PTB ter mais pré-candidatos, ao cargo Executivo, enxergamos como uma situação desconfortável qualquer posicionamento político em meu nome neste momento”.

A proposta dessa reportagem é apresentar o perfil desses nomes dados como certos no meio político para a disputa ao cargo de chefe do Executivo nas Eleições 2020. O pleito está marcado para 15 de novembro deste ano. E, em caso de segundo turno, deverá ocorrer no dia 29 do mesmo mês.

Todos tiveram a oportunidade de explanar suas ideias e convicções no espaço máximo de 500 caracteres por resposta. Confira a entrevista:

O Semanário – Fale um pouco sobre a sua família e vida pessoal.

Alex – Falar da minha vida é muito bom, pois sou uma pessoa que tenho uma esposa maravilhosa, tenho meus 4 filhos, que são a nossa alegria aqui em casa, meus pais, meu sogro e sogra formam minha querida família.

Ângela – Sou casada há 39 anos, tenho três filhos e cinco netos. Tenho uma vida simples, uma família muito amorosa e unida. Eu trabalho naquilo que amo e já estou há quase 30 anos como funcionária pública no Serviço de Saúde. Sou temente a Deus, preservo sempre meus amigos e tenho muito amor por Rafard, por isso, acredito que, depois de ter vivido a experiência de 8 anos como vereadora, posso contribuir com minha cidade dando mais este passo importante na vida pública.

Fabinho – Venho de família humilde e aprendi que família é o alicerce para tudo. Vindos do Paraná, de Jacarezinho, meus pais Israel e Maria criaram, eu e mais quatro irmãos, sempre com trabalho na lavoura de cana e café. Estudei nas escolas “Aurélio Sotto” e “Jeni Apprilante” onde fiz e mantenho boas amizades e lembranças dos meus professores e, principalmente, dos eventos culturais e esportivos, o qual me dedicava muito. Devido à atuação como vereador, no pouco tempo livre que tenho, prefiro curtir a família e, inclusive, meus sobrinhos.

Balceiro – Filho do mecânico João de Freitas e da costureira Oralda Balceiro de Freitas, nascido em São Paulo, tive uma infância simples e muito feliz em Tabatinga/SP, adquirindo valores imensuráveis herdados de meus pais, fator que construiu meu ilibado caráter, me permitiu ser bom pai e marido e bom profissional. Após ingressar na PMESP, conheci a cidade de Rafard, local que me apaixonei e decidi adotar como o local ideal para fazer e viver minha vida, ao lado dos filhos, da esposa e dos inúmeros amigos.

O Semanário – De onde vem o interesse pela carreira política?

Alex – O interesse vem em poder ajudar a minha cidade, como já venho ajudado com muitas emendas parlamentares de sucesso, que estão fazendo o nosso município se desenvolver.

Ângela – Primeiro veio o amor pela minha profissão na Saúde, onde aprendi a me doar e cuidar das pessoas. Depois tive o despertar para o caminho da vida pública, que quando bem trilhado, dá bons frutos. O meu despertar foi amadurecendo com o passar dos anos, pois sempre me atraiu as ações de promoção de saúde, bem-estar da comunidade e prestação de serviço. Política para mim é estar disposto a ouvir e servir a população naquilo que é bom para a maioria.

Fabinho – Sempre tive contato com a política e bom relacionamento junto à comunidade rafardense. Trabalhei por diversas vezes junto a outros políticos importantes de Rafard na interlocução de suas campanhas, bem como dos resultados positivos nas urnas. Em 2016, almejando fazer mais para a população, decidi tomar a frente na vida pública e me tornar vereador, tendo mais uma vez sucesso e sendo eleito para o atual mandato.

Balceiro – Sempre gostei e admirei a política. Confesso que se trata de algo que nunca almejei fazer parte de minha vida, mas ela faz parte de tudo que nos acerca. Tudo é política, e então, passamos a entender que quem não está inserido ou não gosta da política, será “comandado” por quem gosta, e muitas vezes, inseridos na velha política e que não se importam com nada, momento em que você entende que há a necessidade de conhecer, entender e participar diretamente de uma política inovadora com bons ideais.

O Semanário – Você se considera preparado para assumir uma possível candidatura?

Alex – Sim, e a população de Rafard está vendo a minha capacidade. Como vereador cobro o Executivo e no mesmo tempo consigo trazer, através dos meus amigos deputados, verbas para a nossa Rafard. Esse é o caminho de estar preparador para Rafard evoluir.

Ângela – Sim, me sinto preparada, e acredito que estamos prontas para quebrar as barreiras na política e trazer algo novo para Rafard, com duas mulheres à frente do Executivo, por isso fiz o convite para a pré-candidata a vice-prefeita, Páscoa, uma professora, defensora da cultura e das questões ligadas aos mais necessitados. Também já fui duas vezes eleita vereadora e passei pela presidência da Câmara, sendo a primeira mulher a ocupar este cargo no Legislativo. Tenho uma caminhada política madura, com histórico de conquistas de verbas para Rafard e vejo de perto, como funcionária pública, todas as necessidades que o município espera por solução.

Fabinho – Sim. Entendo que esteja preparado. Comecei como vereador e aprendi muito do funcionamento do Legislativo municipal e sei da possível cobrança que virá ao Executivo, desta responsabilidade. Acredito que posso fazer ainda mais por Rafard neste desafio da prefeitura.

Balceiro – Sim… Desde que surgiu a ideia e o apelo por parte de alguns amigos e também parte da população, e principalmente após a aspiração em me colocar à disposição em me tornar pré-candidato e ser aceito na convenção, venho estudando e me preparando. Primeiro com grupos de estudos políticos em Campinas e São Paulo, através de cursos e palestras presenciais, e pós-pandemia, on-line, possibilitando conhecer e entender melhor nossa lei orgânica e as várias atribuições atinentes ao cargo pleiteado.

O Semanário – Na sua opinião, quais os atributos um bom prefeito deve ter?

Alex – O bom prefeito deve ter coragem de fazer as mudanças para a nossa cidade crescer, enfrentar de cara essas grandes empresas que mandam em nossa cidade, conseguir terras, que hoje não temos para poder ajudar o microempresário, que necessita de um espaço para desenvolver sua empresa e não consegue. Essa seria uma forma de ter um prefeito de pulso firme.

Ângela – Sem dúvida a transparência para administrar os recursos públicos, a capacidade de diálogo com os moradores para identificar quais são as prioridades de investimento e a honestidade para não fazer promessas milagrosas que não serão concretizadas, e também, não fazer acordos políticos com interesses próprios. O bom administrador assume compromissos possíveis de se cumprir, com respeito e zelo pelo munícipe e pelo dinheiro público.

Fabinho – Para ser um bom prefeito é preciso ter transparência, ser atuante, escutar a população. Sou comprometido e busco sempre atender todas as demandas que chegam até mim, bem como pelo telefone, mensagens de texto e na internet, pelas redes sociais.

Balceiro – Possuir as atribuições previstas na Constituição Federal, definir a destinação dos recursos de verbas e emendas ou de arrecadação de impostos com responsabilidade, cumprindo a lei orçamentária e de responsabilidade fiscal, organizar os serviços públicos e jamais esquecer que o político eleito é funcionário representativo de toda a população e por isso deve trabalhar em prol de todos, pois qualquer decisão ou ato a ser tomado estará refletindo em cada um dos quase 9100 habitantes de nossa cidade.

O Semanário – Por que quer ser prefeito de Rafard?

Alex – Hoje, como pré-candidato a prefeito, quero ser prefeito porque já fiz muito pela cidade sendo vereador. Foram mais de R$ 5 milhões que consegui com meus parceiros deputados. Trouxe para Rafard infraestrutura, esporte, saúde, ajuda para a Santa Casa. No tempo certo a população de Rafard irá conhecer nossas conquistas.

Ângela – Primeiro porque tenho o apoio da minha família, e também porque já fui duas vezes vereadora e tive a experiência da presidência da Câmara, que me deu uma visão administrativa equilibrada. Outro ponto é que sou funcionária pública há quase 30 anos e já vivenciei muitas situações que poderiam ter sido evitadas ou melhoradas. Depois desta caminhada, percebi que ficaria limitada se permanecesse apenas no Legislativo, por isso acredito que posso contribuir com meu município à frente do Executivo.

Fabinho – Em primeiro lugar, para ser prefeito é preciso conhecer a cidade e saber das suas prioridades. Como vereador, entendo que precisamos pensar para a frente, saber fazer bem o básico e sempre buscar algo a mais pelo bem da nossa comunidade. Essa minha experiência pela Câmara de Vereadores me mostrou o quanto tenho potencial para ajudar os rafardenses.

Balceiro – Criei uma atuação política ao longo dos anos, associada aos trabalhos a frente da Polícia e do Rotary, e por acreditar que é preciso transcender da atitude passiva para uma mais ativa, no sentido de colocar em prática certas medidas para que seja permitido participar de fato do processo de mudança da sociedade, penso que com pulso firme da educação e vivencia militar é possível fazer muito mais pela cidade onde o povo de braços abertos me recebeu e proporcionou tornar-me um cidadão rafardense.

O Semanário – Quais áreas da administração você vê como prioridade na gestão pública? Por quê?

Alex – Com certeza a Saúde. Foi a área que mais consegui verbas parlamentares. Foram milhões, porque a população tão sofrida não tem convênio e muitas pessoas não têm condições de irem para outras cidades, por isso conquistei vários carros para a saúde, micro-ônibus, vários equipamentos para o posto de saúde. Então essa é uma ferramenta que temos que dar maior prioridade.

Ângela – Estas prioridades precisam ser dialogadas com a participação dos munícipes em encontros e audiências públicas para identificar os principais problemas. É evidente que em áreas como a Saúde, Habitação e Geração de Emprego é preciso ter um olhar de prioridade com ações de resultados. Acreditamos numa gestão administrativa de planejamento, melhor uso do dinheiro público e com o diálogo aberto com a comunidade, inclusive sem medo de dizer a verdade quando não for possível efetivar alguma ação no Governo.

Fabinho – Todas as áreas merecem atenção, porém, Rafard precisa de maior engajamento nas áreas de Saúde e Habitação. Afirmo isso devido ao momento crítico de pandemia que vivemos. A prefeitura conseguiu fazer as ações necessárias, no entanto, foi muito morosa na sua execução e dependeu da iniciativa de outras prefeituras para isso. Acredito que, nessa circunstância, a prefeitura deveria agir mais rapidamente e com transparência. Na habitação, apesar da recente entrega de casas populares, sabemos que a demanda ainda é muito grande e é preciso ter mais carinho para com as famílias que necessitam de uma moradia.

Balceiro – Hoje, acredito que não tenho a capacidade de elencar prioridades. Priorizo a transparência dos fatos com uma completa revisão de contratos e análise profunda, com auditoria sobre a real situação financeira do município e dos setores públicos. Todos têm o direito de saber como o Poder Público cuida do dinheiro de todos. É preciso clareza. Evidente que Educação, Saúde e Segurança são temáticas fundamentais. Entretanto, também nesses setores, seria irresponsável prometer qualquer coisa sem saber a real condição. Pauto, desde sempre, por transparência e seriedade.

O Semanário – Quais as obras você enxerga como mais urgentes para Rafard?

Alex – As obras na minha opinião que não aconteceram foram não ter vindo empresa para a nossa cidade, assim a falta de emprego prejudica o crescimento do nosso município.

Ângela – A primeira é a constante falta de água que a população não aguenta mais, por isso é preciso fazer obras para melhorar o abastecimento e tomar as providencias na gestão do serviço de água. Outra obra urgente é a cobertura das quadras das escolas, porque as crianças ainda fazem as atividades no sol e nos dias de chuva não usam as quadras. E o Distrito Industrial que tem problemas esgoto, água, energia e tantos outros pontos que precisam de atenção. Estas são importantes e temos outras que também são prioridades dos munícipes.

Fabinho – Acredito que temos várias necessidades urgentes e emergentes na cidade. No entanto, devemos olhar com mais atenção para o abastecimento de água e a coleta de esgoto. Além disso, é importante se aproximar mais do empresariado da cidade na busca de incentivos para geração de empregos e renda.

Balceiro – Tenho algumas ideias e visões de várias obras e mudanças que acredito serem boas. Por outro lado, a cidade não é minha e não deve ser pensada para ser do jeito que eu quero. Justamente nesse sentido, que criamos o projeto “Nossa Rafard”, que tem percorrido todos os bairros, ouvindo as pessoas e como elas querem a cidade, entendo as reais necessidades de quem mora nos bairros e o que eles precisam. A cidade deve ser pensada do ponto de vista das pessoas, não do jeito que o candidato quer.

O Semanário – Qual o principal problema da cidade hoje?

Alex – O maior problema é a moradia, pois muitas pessoas pagam aluguel e com essa crise da Covid, as pessoas não têm dinheiro nem para se alimentar, quanto mais pagarem aluguel. Foram feitos vários loteamentos no nosso município, mais muito caro, e as pessoas de poder aquisitivo baixo nunca conseguem comprar.

Ângela – São muitos, entre eles a falta de água quase todos os dias na cidade. Neste ponto, nossa proposta é ouvir a população em audiências públicas em conjunto com os vereadores, assim corremos o risco de errar menos. Sem um diálogo aberto com a comunidade, é impossível administrar com planejamento e gestão, uma vez que é no dia a dia da população que as necessidades mais aparecem.

Fabinho – Recentemente, houve uma discussão intensa na Câmara dos Vereadores sobre a privatização, da venda da nossa água para uma empresa particular. Fui e ainda sou contra isso pela forma como foi imposta. Temos condições de estruturar uma autarquia para cuidar disso, com gestão profissional e competente. É terrível ver o clamor da população nas ruas e nas redes sociais devido à falta de água em suas casas. São muitas as reclamações.

Balceiro – Praticamente em todos os dias se vivenciam a falta de água; problema que se arrasta por algumas décadas, mas que sem dúvidas, hoje tem sido crucial ao tão necessitado e sofrido contribuinte. Outro, é o que ocorre desde a determinação da redução no horário de funcionamento da Unidade de Saúde. Muitas vezes senti na pele como policial, ao socorrer alguma vítima de diferentes tipos de traumas ou doentes, a falta de atendimento 24 horas e de um médico nos períodos que fora determinado o fechamento.

O Semanário – Como avalia a atual administração municipal?

Alex – Entendo que o prefeito atual se esforça nesses 2 anos de mandato dele, mais poderia fazer muito mais.

Ângela – Avaliar uma administração como um todo é correr o risco de cometer injustiças. E, com certeza, nós temos bons profissionais na prefeitura, mas o que eles não têm, em muitos casos, é autonomia e liderança para fazer o trabalho que precisa ser feito, neste ponto eu vejo algumas falhas. Tem vários pontos que deixam sim a desejar, e eu tenho falado sobre isso na tribuna e feito requerimentos e indicações ao prefeito municipal, mas infelizmente não estou vendo resultados.

Fabinho – Sou do mesmo partido do prefeito e tenho apoiado todas as ações que trouxeram benefícios à população. No entanto, tenho conversado diariamente com o prefeito e tenho a minha visão de administração pública. Acredito que a atual gestão foi muito “lenta” para tomar algumas decisões importantes e isso refletiu em muitas reclamações e poucas soluções para os atuais e velhos problemas da cidade.

Balceiro – Considerando que não sou analista ou comentarista político e que o próximo gestor ao assumir a nova administração deverá trabalhar com o povo e para o povo, entendo que não vem ao caso e que não me cabe avaliar a atuação da atual administração; apenas devo apreciar que ainda há muito a ser feito para a população e para se construir a Rafard do futuro, dando continuidade ao que está de acordo com as leis e que irá de encontro aos anseios dos contribuintes, mas principalmente inovando o que falta.

O Semanário – Para governar você acredita que o político deve priorizar um secretário técnico ou político?

Alex – Eu entendo que a pessoa tem que ser técnica, pois a pessoa estudou para aquilo, o político não dá certo, o próprio nome diz que ele irá fazer política.

Ângela – Acreditamos no governo de resultados, e para isso, é preciso formar uma equipe com profissionais qualificados para cada área. Tendo um bom profissional técnico, os resultados aparecem, e assim o trabalho político e administrativo caminham juntos. O trabalho político deve vir em segundo plano, porque em primeiro lugar estão as necessidades do município. E um dos nossos diferenciais, é propor que o funcionário público deve ter mais espaço na Administração e ser parte integrante das ações do governo, o que não acontece nos dias de hoje.

Fabinho – No Brasil vivemos um momento diferenciado na questão das escolhas políticas e técnicas. Sendo assim, é preciso fazer uma análise das prioridades de cada diretoria e dos respectivos cargos que serão ocupados. Cada profissional, sendo político ou técnico, deve ser qualificado e capacitado para exercer sua função e contribuir numa boa gestão pública.

Balceiro – Técnico; pois é a ele que compete toda a coordenação e execução das atividades dos órgãos e das entidades da administração, além de orientar o gestor na área de sua competência, inclusive expedir instruções para a execução das leis, de decretos e dos regulamentos relativos aos assuntos atinentes a sua secretaria, fato que exige conhecimento de causa. Por tanto, o secretariado deve ser capacitado para exercer a função e auxiliar de maneira correta os trabalhos a serem realizados em favor do povo.

O Semanário – Como governar sem ficar refém dos partidos e apadrinhamentos políticos?

Alex – Hoje meu apoio e os meus apadrinhados são o povo, a população de Rafard, onde irei fazer o máximo de melhorias para a cidade. Acredito que se mandar projetos para o bem do município a câmara irá aprovar, com certeza. Veja o meu partido, o PT não tem nenhum cargo, mais aprovou todos os projetos que são bons para o nosso município.

Ângela – O candidato refém é aquele que se alia a grupos políticos por interesse pessoal. Nós não temos apadrinhamento, como vejo em outros grupos por aí, e não tenho compromisso político com ninguém. Nossos apoiadores sabem de nossas propostas e foram convidados a fazer parte de um projeto novo que quer o melhor pra Rafard. Também apoiamos a valorização dos funcionários efetivos, que hoje não são reconhecidos. É preciso ter honestidade e compromisso com o coletivo, e é assim que pretendemos conduzir o nosso trabalho, sem promessas e sem recompensas pessoais.

Fabinho – Como já tenho afirmado, é preciso fazer uma análise das prioridades de cada diretoria e dos respectivos cargos que serão ocupados. Cada profissional, sendo político ou técnico, deve ser qualificado e capacitado para exercer sua função.

Balceiro – Os Poderes são independentes e harmônicos. A população vai escolher prefeito e vereadores. A boa política pede respeito, diálogo e responsabilidade. Quem quiser ajudar a cidade, sempre será bem-vindo. Vereadores devem fiscalizar e fazer seu trabalho. Fazer política é diferente de politicagem. Barganha não aceito, mas conversar de forma respeitosa, ajudar a cidade a melhorar, isso é válido. Ou seja, para se governar basta ter respeito, que é algo fundamental pra qualquer setor de nossas vidas.

O Semanário – O que o eleitor de Rafard pode esperar de você caso seja eleito?

Alex – A população pode esperar o mesmo Alex de sempre. Vou cobrar por melhorias, mesmo sendo o prefeito que estará todos os dias em todos os setores das secretarias lutando e cobrando melhorias para a cidade. Com meus deputados, correr atrás de mais verbas do que já conseguimos. Aqui está falando uma pessoa que tenha apoio Estadual e Federal para poder transformar a nossa cidade de Rafard em uma cidade modelo, limpa, com saúde, emprego e muito mais. Muito obrigado ao O Semanário.

Ângela – Podem esperar, em primeiro lugar, o respeito pelo dinheiro público e pelo rafardense, e o carinho e a dedicação com que sempre tratei as pessoas nestes quase 30 anos de trabalho como funcionária pública. Temos a experiência dos anos no Legislativo e do trabalho de conquista de recursos para a cidade. Só em 2019 e 2020, foram mais de R$ 600 mil conquistados através do deputado Ricardo Izar. O eleitor pode esperar compromisso, e com certeza, muita vontade de fazer o novo por Rafard.

Fabinho – Vou arregaçar as mangas. Eu sou assim, uma pessoa transparente em tudo que faço. Os rafardenses podem esperar de mim a mesma motivação e empenho que tenho hoje como vereador, conversando com as pessoas nas ruas, atendendo os telefonemas, respondendo as mensagens e atento sempre às reivindicações da população na internet e redes sociais.

Balceiro – Caso seja lançada a candidatura e o povo for vitorioso com o resultado positivo de minha eleição, terá um governo colegiado, com representatividade em todos os segmentos onde as deliberações serão tomadas de forma sensata, ouvindo a população através de um canal direto, envolvendo todos os âmbitos com uma gestão de anuência e apoio da população, focada nos principais pilares de governabilidade, nas áreas da Saúde, da Segurança e da Educação, para que então possam ser trabalhadas as demais áreas.

O perfil de cada candidato está disponível logo abaixo das respectivas fotos:

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios