Rafard

Diretoria de Saúde não cumpre prazo para distribuição de fitas, dizem diabéticos

As dificuldades enfrentadas pelos cerca de 300 diabéticos do município que dependem do Sistema Único de Saúde (SUS) para tratar a doença continuam grandes. Os pacientes reclamam que, há cerca de três meses, as fitas de teste de glicose, que servem para monitorar o nível de açúcar no sangue, estão em falta na farmácia da Unidade Mista de Saúde (UMS). Em 20 de outubro, a Diretoria de Saúde havia dado um prazo de cinco dias úteis para resolver o problema, ou seja, no dia 28 do mês passado as fitas já deveriam estar sendo distribuídas normalmente. No entanto, segundo diabéticos, até o início desta semana a situação ainda não havia sido solucionada.
A Prefeitura foi procurada para comentar o caso, porém, até o fechamento desta edição, não se manifestou.

Relembre
Em outubro, a diretora de Saúde, Maria Aparecida de Oliveira da Silva, a dona Cidinha, explicou que as fitas estavam em falta porque a empresa que venceu a licitação para fornecimento das fitas, no início deste ano, não entregou os produtos. “A informação que obtivemos foi a de que a empresa não possui estoque do material para entregar e que o mesmo estava em processo de liberação na alfândega”, disse ela, na época.
Na oportunidade, garantiu a diretora, o problema seria resolvido em menos de uma semana. “A compra [de fitas] já foi realizada. Há um prazo útil de cinco dias para a entrega destas novas fitas pela empresa fornecedora”, afirmou.

Alternativa
Com a falta de fitas na farmácia da UMS, a alternativa dos diabéticos para medir a glicemia é comprar o produto. Nem todos, contudo, têm condições financeiras para isso. O custo da caixa com 25 unidades varia entre R$ 50,00 e R$ 80,00, em média. Sem o controle do nível de açúcar no sangue, o paciente pode ter graves complicações de saúde.

As dificuldades enfrentadas pelos cerca de 300 diabéticos do município que dependem do Sistema Único de Saúde (SUS) para tratar a doença continuam grandes. Os pacientes reclamam que, há cerca de três meses, as fitas de teste de glicose, que servem para monitorar o nível de açúcar no sangue, estão em falta na farmácia da Unidade Mista de Saúde (UMS). Em 20 de outubro, a Diretoria de Saúde havia dado um prazo de cinco dias úteis para resolver o problema, ou seja, no dia 28 do mês passado as fitas já deveriam estar sendo distribuídas normalmente. No entanto, segundo diabéticos, até o início desta semana a situação ainda não havia sido solucionada.A Prefeitura foi procurada para comentar o caso, porém, até o fechamento desta edição, não se manifestou.
RelembreEm outubro, a diretora de Saúde, Maria Aparecida de Oliveira da Silva, a dona Cidinha, explicou que as fitas estavam em falta porque a empresa que venceu a licitação para fornecimento das fitas, no início deste ano, não entregou os produtos. “A informação que obtivemos foi a de que a empresa não possui estoque do material para entregar e que o mesmo estava em processo de liberação na alfândega”, disse ela, na época.Na oportunidade, garantiu a diretora, o problema seria resolvido em menos de uma semana. “A compra [de fitas] já foi realizada. Há um prazo útil de cinco dias para a entrega destas novas fitas pela empresa fornecedora”, afirmou.
AlternativaCom a falta de fitas na farmácia da UMS, a alternativa dos diabéticos para medir a glicemia é comprar o produto. Nem todos, contudo, têm condições financeiras para isso. O custo da caixa com 25 unidades varia entre R$ 50,00 e R$ 80,00, em média. Sem o controle do nível de açúcar no sangue, o paciente pode ter graves complicações de saúde.

Jornal O Semanário

Esta notícia foi publicada por um dos redatores do jornal O Semanário, não significa que foi escrita por um deles, em alguns dos casos, foi apenas editada.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
>>1XBET
>>JADE