CapivariNotícias

Empresas sofrem com poeira em rua do centro

Pela proximidade com supermercado, tráfego de caminhões de carga é intenso na rua e poeira é constante

Empresas instaladas na rua Oadi Fadel, centro, vêm sofrendo com a poeira causada pelo tráfego de veículos na via (que não é asfaltada), principalmente neste período com falta de chuvas. “A poeira é absurda”, diz o empresário Nivaldo Fracetto, que atribui o problema ao pouco caso da Prefeitura com uma promessa feita há cerca de um mês.
Fracetto explica que o vice-prefeito Júnior Pacheco (PR) se comprometeu a enviar, a cada dois dias, um caminhão do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) para molhar a via e, assim, minimizar os transtornos causados às empresas pela poeira.
“Ele [Júnior] mandou o Saae jogar água a cada dois dias, mas eles não aparecem”, reclama Fracetto, que é proprietário de uma fábrica de móveis na rua. Segundo ele, é preciso ligar no Saae solicitando o serviço. “Às vezes, a cada três o quatro dias, eles vinham. Como tem que ficar ligando, deixamos quieto. O prometido não foi isso”, diz.
Procurada, a Prefeitura informou que “atendeu ao pedido [para molhar a rua] em algumas ocasiões, mas este serviço torna-se inviável de ser realizado diariamente”. De acordo com o Saae, a rua será molhada uma vez por semana.

Impasse
Apenas parte da rua Oadi Fadel é pavimentada. Cerca de 100 metros não possuem asfalto. Em 2009, o vereador Rodrigo Abdala Proença (PPS) apresentou indicação à Prefeitura sugerindo a pavimentação da via.
Segundo Fracetto, em agosto do ano passado, o vice-prefeito e a secretária de Obras, Joceli Cardoso, garantiram que a rua seria asfaltada no mesmo ano. “Até agora a rua está aí, sem asfalto”, reclama o empresário. “Os clientes vêm e cobram da gente: ‘e o asfalto da rua?’. Fico sem saber o que dizer”, conta.
Cansados de esperar, os empresários da rua estudam apresentar projeto à Prefeitura para que, com dinheiro dos proprietários de lotes da via, asfaltem o trecho.
A rua, segundo a Secretaria de Serviços Públicos e Meio Ambiente, faz parte dos cerca de 3 mil metros de vias dentro do perímetro urbano da cidade que não possuem asfalto. Para melhorar as condições do trecho, a Secretaria informou que recentemente realizou “completo reparo da via, com uso de maquinário, cascalhamento e compactação do solo”.
De acordo com a Secretaria, “o governo municipal trabalha para dar uma solução definitiva ao problema e está em busca de recursos para a pavimentação da via”.

Jornal O Semanário

Esta notícia foi publicada por um dos redatores do jornal O Semanário, não significa que foi escrita por um deles, em alguns dos casos, foi apenas editada.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo