CapivariDestaques

Jovem farmacêutico vê na profissão a oportunidade de empreender e salvar vidas

Marcelo Castellani acredita no mercado expansivo e na capacidade de abraçar as mudanças do novo cenário

Dia 20 de janeiro é lembrado o Dia Nacional do Farmacêutico. A data foi instituída em 1916, em comemoração à Fundação da Associação Brasileira de Farmacêuticos (ABF).

Em homenagem aos profissionais da área, o jornal O Semanário bateu um papo com o farmacêutico e empresário capivariano, Marcelo Castellani, de 39 anos. Há 15 anos na profissão, ele é proprietário da Drogaria Mega Econômica, localizada na rua Padre Haroldo, no Centro de Capivari.

Castellani conta que sua primeira inspiração para o curso superior de Farmácia veio da família, ao ver a irmã, poucos anos mais velha, iniciar os estudos na área. Mais tarde, já formado, ele veio a descobrir que seu tataravô, na Itália, também era farmacêutico.

“Sempre gostei muito de Química e Biologia, e queria trabalhar ajudando pessoas. Vi na Farmácia um caminho para alcançar meus objetivos. Acredito que a dor mais intensa que o ser humano possa sentir é a física e a mental, e na minha profissão, como farmacêutico, eu posso ajudá-las”, revela Marcelo.

Marcelo Castellani e filho Vicente (Foto: Arquivo pessoal)
Marcelo Castellani e filho Vicente (Foto: Arquivo pessoal)

A carreira do jovem empresário começou cedo. Logo depois de formado, Marcelo Castellani trabalhou em farmácias familiares, passou pelo Centro de Distribuição do Grupo Pão de Açúcar, onde também foi gerente e farmacêutico responsável em uma das unidades da rede.

Depois de um ano, em outro trabalho, também na área de Farmácia, em Indaiatuba, decidiu que era hora de empreender. Foi aí que nasceu a Drogaria Mega Econômica de Capivari, hoje, com 12 anos no mercado.
Marcelo se diz realizado na profissão de Farmacêutico e feliz por fazer parte da última profissão da linha dos profissionais de Saúde. Ele ressalta que a importância do profissional de Farmácia vai além do atendimento no balcão.

“O farmacêutico tem um papel fundamental na qualidade de vida e saúde das pessoas. Toda vez que o profissional orienta uma mãe a dar um antibiótico do jeito certo e no tempo correto para o seu filho, ele está salvando vidas”, comenta.

Sobre os novos desafios para os profissionais de Farmácia no mercado de trabalho, Castellani acredita em oportunidades promissoras, mas é preciso estar aberto e preparado para as mudanças.

“Tem aí um cenário novo, com mudanças no mercado, e vem junto os acontecimentos da COVID-19. O profissional que tiver a capacidade de tomar decisões, ter boa comunicação, comprometimento e capacidade de se adaptar às novas formas de trabalho, sempre terá espaço, e para nós, farmacêuticos, isso não é diferente”, analisa o empresário, que em 2021, vai ampliar os investimentos em plataformas online, uma vez que a Mega Econômica já atende clientes em todos os estados do Brasil.

A profissão

O farmacêutico precisa de, no mínimo, cinco anos de formação, com conhecimentos em Medicina, Física, Química, Botânica e processos industriais.

A profissão é regulamentada no Brasil, e além de possuir o diploma de Bacharel em Farmácia, é preciso obter o registro no Conselho Regional de Farmácia (CRF).

De acordo com dados do Conselho Federal de Farmácia, os farmacêuticos podem atuar em mais de 70 áreas ligadas à Saúde. Aquela antiga ideia do farmacêutico só atrás do balcão da farmácia, passa longe de definir, na prática, o real papel deste profissional no mercado.

O profissional de Farmácia está presente em áreas como a produção de medicamentos e cosméticos em qualquer escala, a atuação como responsável técnico em farmácias e drogarias, sem contar a presença em hospitais e unidades de Saúde e o trabalho para testar e descobrir novos princípios ativos para a produção de medicamentos.

Outras áreas também contam com o farmacêutico, como na análise e controle de qualidade na composição de alimentos industrializados, bancos de sangue, banco de órgãos, farmácias veterinárias, acupuntura, controle de pragas urbanas, entre outros.

Ivanete Cardoso

Jornalista - MTB 57.303
Botão Voltar ao topo