Capivari

Prefeitura busca soluções para ponte que desmoronou no bairro Água Parada

Foto: Divulgação/Prefeitura de Capivari

Na manhã de terça-feira, 26, a Prefeitura de Capivari, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Urbano, esteve no bairro rural Água Branca, analisando e buscando uma solução para a queda da ponte que servia de acesso a região central.

A queda ocorreu há cerca de um mês, contudo os moradores locais utilizam uma estrada alternativa para se locomover.

Atualmente, a estrada de acesso a ponte está em más condições, sem tráfego de veículos de médio e grande porte, devido as erosões e mato alto no percurso. Já a estrutura da ponte era de madeira, com grandes troncos como suporte.

A travessia (descrição técnica da ponte) não é de responsabilidade da Prefeitura, porém o setor público se preocupa com a situação e busca dar apoio aos munícipes.

O diretor de Meio Ambiente, Guilherme Pagotto, também esteve no local, e explicou os meio legais para auxiliar neste caso.

“Primeiramente, para intervir neste caso, é necessário uma autorização do responsável pelo terreno, uma vez que o local é uma propriedade particular.

Feito isso, buscamos a documentação com os órgãos competentes, que permita realizar manutenções/obras nesta área verde.

Em resumo, digo que é um sistema bem complexo, pois envolve uma série de restrições, porém trabalharemos no que for possível para dar todo o suporte necessário”, detalhou.

Pensando em uma solução imediata, a Prefeitura avaliou o estado da rota alternativa, explicando que a construção de uma nova ponte demandaria muito tempo e alto custo por parte dos cofres públicos.

Foto: Divulgação/Prefeitura de Capivari

“Apesar da travessia ter cedido e o trecho estar intransitável, os moradores locais ainda tem uma rota alternativa que permite acesso a região central de Capivari.

Estamos estudando possibilidades para melhorá-la, dentro da nossa realidade.

Importante esclarecer que para a construção de uma nova ponte, iríamos levar um bom tempo até o desfecho da obra, além de gerar um alto custo em uma travessia que não é utilizada por tantas pessoas.

Tudo deve ser muito bem avaliado para que a melhor decisão seja tomada”, explicou o Secretário de Desenvolvimento Urbano, Bruno Sampaio.

Segundo o que a Prefeitura apurou, um dos possíveis motivos para a queda da ponte foi que veículos de pequeno e médio porte estavam passando sobre ela, abalando sua estrutura.

Botão Voltar ao topo