Esportes

Artigo – Marcel Capretz

Quem tem um olho é rei!
A falta de conquistas do Palmeiras é tão sentida pela torcida que quando um jogador mediano pinta no clube e faz alguns bons jogos já é alçado a condição de ídolo. E o pior é que alguns dirigentes entram nessa. Valdívia é o exemplo mais claro disso. É verdade que o chileno conseguiu desequilibrar algumas partidas para o Verdão. Mas nada que chegasse perto do que grandes monstros sagrados da história palestrina fizeram. Nada que justificasse a diretoria ter investido milhões neste seu fatídico retorno.

Tricolor Paulista
O São Paulo tem jogadores que podem decidir campeonatos. Lucas, Luis Fabiano, Cortez e Casemiro são acima da média. O problema, porém, está no coletivo. Não há padrão de jogo, esquema definido e jogadas ensaiadas na equipe tricolor. O técnico Emerson Leão está no clube desde o ano passado e não consegue fazer de grandes atletas um grande time.

Neymessi
Ainda não é possível comparar Neymar com Messi. O argentino está em um nível superior. Até pela idade – são cinco anos a mais do que a estrela santista – e pelo fato de enfrentar os melhores jogadores do mundo desde que iniciou sua carreira profissional. Neymar podia observar bem como Messi joga para o time, coletivamente. O argentino não tenta driblar todos os adversários de uma só vez, como o jogador do Santos tem feito. A seleção brasileira nos Jogos Olímpicos vai precisar de um craque que jogue pela inédita medalha de ouro. E não somente para aparecer.

Euro
A Eurocopa é uma Copa do Mundo sem Brasil e Argentina. É interessante observar como a organização funciona, como os estádio são bem arrumados e como o futebol é bem jogado. Melhor ainda é constatar que as seleções estão se inspirando no ofensivo futebol do Barcelona e não no defensivo Chelsea.

Jornal O Semanário

Esta notícia foi publicada por um dos redatores do jornal O Semanário, não significa que foi escrita por um deles, em alguns dos casos, foi apenas editada.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo