Fale com a nossa equipe! Fale com a nossa equipe!
J.R. Guedes de Oliveira

Divaldo Datti

Divaldo Datti – Escritor. Nasceu em Capivari/SP, em 19 de junho de 1929. Filho de Maria Margarida Illipronti Datti e José Ângelo Datti, tendo como irmão Daylto Datti e Maria José Datti. Estudou no Grupo Escolar Augusto Castanho.

“Gamba” era como os colegas de infância o chamavam. “Gamba” morava na rua General Osório, 113. “Vave” era como Dona Maria o chamava. Quando criança, gostava muito de nadar no rio Capivari, subir em árvores e brincar com os amigos, que cresceram com ele em Capivari.

Começou a trabalhar ainda menino e por volta dos 14 anos entrou como contínuo na Casa Bancária de Capivari. Divaldo tinha o dom de escrever e de desenhar, desde cedo escrevia poesias e era um exímio desenhista, que devido à sua caligrafia, fazia os diplomas escritos a mão, a pedidos do Colégio Augusto Castanho.

Conheceu sua esposa na praça Amadeu Amaral, vindo a se casar em 19/04/1958 com Lídia Garibaldi Datti. Foi voluntário do “Lar de Jesus” durante 10 anos. Teve três filhos, Denizard de Jhesus Datti, Douglas Antônio Datti e Dener José Datti.

Divaldo Datti
Divaldo Datti

Em 1970 mudou-se para Bauru, depois Araçatuba e em 1972 mudou-se para São Paulo. Aposentou-se como gerente do Banco Itaú, mas acostumado com a vida ativa, entrou concursado para a Secretaria da Fazenda em São Paulo.

Sua vida ao lado da poesia sempre foi muito ativa, muitas foram publicadas no jornal de Capivari (jornal da Cidade). Era exímio datilógrafo e bancário, apreciador da literatura e da arte. Foi membro do Movimento Poético Nacional, onde frequentou durante muitos anos, declamando sempre. Tinha também como hobbys a arborização e os pássaros, montando um alimentador de pássaros no Parque da Aclimação em São Paulo que existe até hoje, mantido pela secretaria do parque.

Em 1987 lançou o livro “Não Durma No Ponto”, um tratado de expressões e ditados populares, usados em Capivari e região. Amante da arte e da música, gostava de cantar e assobiar e era fã de Tarsila do Amaral.
Divaldo tinha o sonho de voltar para Capivari, cidade que ele mais amava. Faleceu em São Paulo no dia 16/07/2016 e foi sepultado em Capivari no dia 17/07/2016.

Fonte: Denner José Datti

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Abrir bate-papo
Olá
Podemos ajudá-lo?