DestaquesRafard

Rafard celebra Tríduo de Santo Antônio nesta semana

A Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, em Rafard, realiza a partir da próxima quinta-feira, 10 de junho, as festividades em comemoração à Santo Antônio, conhecido como ‘doutor da Igreja’ e ‘santo casamenteiro’.

Todas as missas serão na Capela Santo Antônio, localizada na rua IV Centenário, no Centro de Rafard, com a celebração do Tríduo de Santo Antônio nos dias 10, 11 e 12 de junho (quinta-feira, sexta-feira e sábado), sempre às 19h30. No último dia do Tríduo, no sábado (12), a missa será presidida pelo Bispo Diocesano Dom Devair.

No domingo (13), Dia de Santo Antônio, o tradicional bolo vai ser entregue a partir das 9h, no portão lateral da Capela. Neste dia, também haverá duas missas, às 8h e às 9h30.

O bolo já estará abençoado e os fiéis que comprarem os pedaços poderão encontrar pequenas imagens do santo entre o recheio, e ainda concorrer a uma outra imagem de Santo Antônio, que será sorteada durante a missa.

Os pedaços do bolo de Santo Antônio custam R$ 20 e estão sendo vendidos pelos agentes de pastorais, no final das missas e na secretaria da Paróquia.

Este ano, devido à pandemia, não será realizada a tradicional Quermesse de Santo Antônio, no pátio da Capela. A igreja promoverá, somente para retirada, a venda de pastéis, cuscuz, lanche de pernil e bebidas no Salão Paroquial, ao lado da Igreja Matriz de Nossa Senhora de Lourdes, antigo ASAS.

Durante as festividades de Santo Antônio, não haverá missa na Capela Nossa Senhora Aparecida, no bairro Popular, e na Igreja Matriz Nossa Senhora de Lourdes.

santo-antonio
Santo Antônio, o santo casamenteiro (Foto: Reprodução/Internet)

Quem foi Santo Antônio?

Nasceu em Lisboa, no ano de 1195, e morreu nas vizinhanças da cidade de Pádua, na Itália, em 1231, por isso é conhecido como Santo Antônio de Lisboa ou de Pádua. O nome de batismo dele era Fernando de Bulhões y Taveira de Azevedo.

Casamenteiro

Na tradição, Santo Antônio é o ‘santo casamenteiro’, que, segundo a crença, dá uma forcinha na união de pessoas a partir de simpatias e de uma devoção muito presente. A origem de toda essa superstição parte de algumas lendas populares. Uma delas conta que uma moça queria muito se casar, mas não tinha dote para oferecer, isto é, bens materiais para dar à família do noivo. Desesperada para arrumar essas ‘doações’, a mulher se ajoelhou aos pés de uma imagem de Santo Antônio e ditou palavras de súplica com muita fé. Pouco tempo depois, moedas de ouro surgiram de repente aos seus olhos e ela, então, pôde se casar.

Outra lenda conta uma outra mulher, também devota, não aguentava mais estar solteira por tanto tempo. Em um momento de raiva, ela pegou o santo e o arremessou janela à fora. A imagem acabou acertando um homem na rua. A moça foi socorrê-lo, pediu desculpas e logo eles iniciaram uma conversa que, posteriormente, se transformou em amor e eles se casaram.cartaz-festa-de-santo-antonio-rafard-2021

Ivanete Cardoso

Jornalista - MTB 57.303
Botão Voltar ao topo
Skip to content