NotíciasPrincipalRafard

‘Meia felicidade’: 76 famílias comemoram e outras 70 aguardam sua vez

‘Meia felicidade’: 76 famílias comemoram e outras 70 aguardam sua vez
Foto: Rafa Neddermeyer/CDHU

Passados 30 anos do último conjunto habitacional construído na cidade, 146 famílias conseguem realizar o sonho da casa própria

A espera pela chave da casa própria chegou ao fim para 76 famílias de Rafard, na noite de terça-feira, 20. Os contemplados com uma unidade no novo conjunto habitacional Lurdes Abel Ribeiro Guimarães, receberam as chaves durante evento da Secretaria Estadual da Habitação, da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) e da Prefeitura de Rafard.

Desde às 17h, as famílias aguardavam ansiosas a entrega, que só teve início às 19h, após a chegada do Secretário da Habitação do Estado de São Paulo, Flávio Amary.

‘Meia felicidade’: 76 famílias comemoram e outras 70 aguardam sua vez
Foto: Rafa Neddermeyer/CDHU

Em seu discurso, o secretario orientou que se as famílias encontrarem algo de errado nas casas, comuniquem a CDHU, para que seja consertado.

“Mas pedimos que vocês mantenham esse bairro limpo, bem cuidado e transformem essas casas no lar de cada um de vocês. Que vocês tenham uma boa relação com os vizinhos”, disse Amary.

O secretário também argumentou que as dificuldades foram feitas para serem vencidas e tranquilizou as outras 70 famílias.

“Se fosse fácil, já tava feito. Vamos enfrentar as dificuldades e em breve entregar essas outras unidades. Faço questão de estar aqui pra gente entregar as outras 70 unidades”, finalizou Flávio Amary.

‘Meia felicidade’: 76 famílias comemoram e outras 70 aguardam sua vez
Foto: Rafa Neddermeyer/CDHU

Segundo o prefeito de Rafard, Carlos Roberto Bueno, durante a madrugada de terça-feira, 20, a Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL Energia), realizou a instalação da iluminação pública nas ruas onde as casas foram entregues. O investimento, no valor de R$ 31 mil, saiu dos cofres públicos do município.

“Estaria mais contente se estivesse entregando para todos. Essas casas só seriam entregues em março de 2020, mas graças ao trabalho junto a CDHU, estamos entregando agora. Vou tirar um peso das minhas costas assim que entregar tudo”, desabafou Bueno.

 

O prefeito desejou boa sorte a todas as famílias e que sejam muito felizes em suas novas casas.

“E os que não receberam ainda, peço que tenham paciência que em breve também estarão recebendo suas casas”, garantiu o chefe do Executivo.

Logo após a entrega simbólica de algumas chaves, as autoridades se dirigiram para a casa de Josefa Rivanilde dos Santos. Ao lado do secretário da Habitação, a moradora descerrou a fita inaugural e recebeu os presentes para uma visita a nova casa.

 

Fim das obras

Segundo a CDHU, as 70 unidades restantes devem ser entregues até o final do ano. A data diverge da informação anterior passada aos moradores e à imprensa, de que todas as unidades seriam entregues até 30 de setembro.

No entanto, a companhia garante que conforme as unidades forem ficando prontas, serão liberadas para as famílias. As obras com a nova empreiteira devem começar em até 15 dias.

‘Meia felicidade’: 76 famílias comemoram e outras 70 aguardam sua vez
Foto: Rafa Neddermeyer/CDHU

Vistoria

Na quarta-feira, 21, representantes da CDHU e as famílias contempladas participaram de uma vistoria nas casas, para apontar possíveis defeitos, que devam ser corrigidos.

Bueno explica que já está sendo providenciada a instalação dos hidrômetros de água e as ligações de energia, garantindo que as famílias possam mudar para as casas o mais rápido possível.

Investimento

Inicialmente orçada em R$ 13 milhões, o empreendimento custou R$ 19,2 milhões ao Governo do Estado de São Paulo. Ou seja, cada casa custou pouco mais de R$ 130 mil.

As famílias beneficiadas terão prazo de até 300 meses para quitar o financiamento habitacional. As prestações são subsidiadas pelo Governo do Estado e calculadas de acordo com a renda familiar.

Quem ganha até três salários mínimos vai desembolsar 15% dos rendimentos. Em Rafard, 56% das famílias que receberam as casas estão nessa faixa. O valor da menor prestação é de R$ 149,70.

 

Estrutura

Os imóveis têm 56,67 m², com dois dormitórios, sala, banheiro, cozinha, área de circulação e de serviço.
As moradias incorporam melhorias estabelecidas como padrão de qualidade pela CDHU, como piso cerâmico, rodapé e laje em todos os cômodos, azulejos no banheiro e cozinha, estrutura metálica no telhado, esquadrias de alumínio, aquecimento de água do chuveiro através de aquecedor solar.

Segundo a CDHU, o conjunto possui redes de água de esgoto e elétrica, drenagem, passeio público, pavimentação, muretas de divisa entre as casas, muros de arrimo e paisagismo.

Conjunto habitacional levará o nome de Dona Lurdes Abel (Foto: Arquivo/O Semanário)

Justa homenagem

O novo conjunto habitacional recebeu o nome de Lurdes Abel Ribeiro Guimarães, popularmente conhecida como dona Lurdes. Ela morreu aos 95 anos, no dia 22 de agosto de 2011, vítima de infarto.

Nascida em Rafard, no dia 04 de novembro de 1915. Era casada com Geraldo Ribeiro Guimarães e teve três filhos: Benedito, Teresa e Celina. Também, quatro netos – Márcio, Nazaret, Kelly e Marcos -, além de oito bisnetos – Vitor, Lívia, Heloisa, Lara, Higor, Ana Beatriz, Luisa e Jonas.

Segundo conta a neta Kelly, dona Lurdes ficou viúva muito nova e para manter a casa, sempre trabalhou como passadeira na casa dos franceses na Usina União São Paulo.

Lurdes viveu sua vida inteira sempre ajudando ao próximo, independente de quem fosse. Como católica, sempre trabalhou nas festas da igreja e por muitos anos trabalhou como doméstica na casa paroquial, servindo o saudoso Padre João.

Foi uma das fundadoras do Coral Santa Cecília, que existe até hoje e está completando quase um século no município de Rafard.

Até o final da sua vida, dona Lurdes teve presença marcante nas procissões da Sexta-Feira Santa, interpretando o ‘Canto da Verônica’, ato pelo qual é lembrada até hoje, com muito amor.

Por mais de 20 anos, visitou o Lar dos Velhinhos São Vicente de Paulo de Capivari, levando sua palavra amiga e muitas orações.

Como ministra da Eucaristia, toda semana, dona Lurdes levava comunhão à dezenas de doentes que não tinham como ir à igreja.

“Sempre levando muita paz e a palavra de Jesus”, conta a neta.

E nos momentos difíceis das pessoas que perdiam seus entes queridos, ela estava presente, sempre com a oração e palavras de conforto.

“Dona Lurdes era uma pessoa incansável. Nunca dizia ‘não’ a tudo que pedíamos para ela”, completa Kelly.

A neta conta que sua fé, força e perseverança encorajavam todos a seguir em frente. Segundo Kelly, a doação e o amor ao próximo eram o lema de vida de dona Lurdes.

“Enfim, uma pessoa santa que viveu entre nós”, finaliza.

Fique sabendo

• O último conjunto habitacional entregue em Rafard aconteceu na década de 80, iniciado pelo prefeito Heitor Turolla, passando por Rubens Simões Pelegrini e finalizado por Antonio Sergio Bragalda (Bolacha);

• A escritura da área de terra onde foram construídas as 146 casas foi assinada em 2011, pelo então prefeito, Márcio Minamioka. Na época, foram anunciadas 210 casas;

• As obras só tiveram início em maio de 2014, com o prefeito César Moreira;

• Mesmo sem o empreendimento estar finalizado, o sorteio das casas foi realizado no dia 20 de julho de 2018;

• São quase 30 anos de espera para que novas casas populares fossem construídas em Rafard;

• A obra já dura mais de 5 anos.

Etiquetas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar