Opinião

Na busca de uma solução

Foram novamente discutidos na sessão de câmara, na última segunda-feira, os barulhos provocados por bares, igrejas evangélicas, carros pertencentes a empresas particulares de propaganda e, principalmente, o mais letal: o som alto dos carros particulares que infernam a vida da nossa comunidade.
Vários vereadores se revessavam na tribuna para criticar os sons altos provocados por festas em chácaras e carros particulares, principalmente nas madrugadas. O vereador Dr. Arnaldo Nacarato saiu nas ruas na noite de sábado para medir os sons provocados por igrejas, bares e carros particulares. De posse de um decibelímetro, equipamento destinado a medir a intensidade do som, o médico (que tem como uma de suas especialidades  a medicina do trabalho) e vereador andou pela noite para fazer um teste. Na caminhada noturna, do Dr. Arnaldo constou que nas igrejas e em aglomerados de jovens o som passou no teste. O que foi reprovado no teste foram os sons dos carros particulares. Através desse teste realizado por um especialista em medicina do trabalho, ficou provado que os sons altos que tanto incomodam a sociedade são provenientes dela mesmo. Aqueles que no passado eram chamados de “parques” ou “caipiras”, os dubles de playboy, que insistem em andar com o som no mais alto possível.
Na terça-feira, um dia após a sessão, foi realizada, na Câmara Municipal, uma audiência pública que contou com a presença dos vereadores Rodrigo Proença, que presidiu os trabalhos, Mateus Scarso, Valdir Vitorino, Bruno Barnabé, Nelson Soares, o Conselho Tutelar, a Guarda Civil, a Polícia Militar os Fiscais Municipais e pessoas da comunidade.
A intenção da reunião é formar uma força tarefa para tentar conter esses absurdos. Outras reuniões devem acontecem em breve e o fim dessa prática deve acabar até o final do ano. É muito tempo, é. Mas já é um bom sinal, afinal as forças políticas e policiais estão trabalhando para que isso tenha um fim.
A última sessão foi marcada pela estreia de Nelson Soares na Presidência da Câmara, assumindo o lugar de Vitor Riccomini, que pediu afastamento por um mês, e do suplente Bruno Barnabé. Este, em sua primeira sessão, já apresentou várias indicações, anunciou várias verbas para a cidade e lançou um projeto inovador, voltado ao meio ambiente, que obriga novas construções de prédios públicos e edifícios a terem um local para captação de água. Esse projeto fez e faz muito sucesso em Curitiba, uma cidade modelo. O vereador disse que dará mais detalhes na próxima sessão.

Jornal O Semanário

Esta notícia foi publicada por um dos redatores do jornal O Semanário, não significa que foi escrita por um deles, em alguns dos casos, foi apenas editada.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo