Opinião

Politicaliente

Ignorado – Valdir da Farmácia (PDT) acompanhou na sexta-feira, 12, os trabalhos de pavimentação na rua Coronel Delfino, que antes era de paralelepípedos. Com duas indicações ao Executivo para que a mudança fosse feita, o vereador disse que foi ignorado pela assessoria de imprensa da Prefeitura, que também acompanhou os serviços. “A assessoria nem veio perguntar para mim o que eu achava de a rua estar sendo asfaltada. Ignoraram o vereador como se ele não fosse nada ali.” Segundo ele, na mesma semana, jornal de propriedade do prefeito Luís Donisete Campaci (PMDB) publicou reportagem sobre a pavimentação da via. No entanto, seu nome não apareceu. Valdir levantou a possibilidade de ter sido ignorado pelo fato de ser do PDT e Campaci do PMDB. “Não faço politicagem. Sou PDC: Partido de Capivari. Vou aos bairros da cidade, vejo os problemas e trago em tribuna”, disse.

Parabéns, papai – Nelson de Souza Soares (PR) parabenizou a todos os pais, em especial ao seu, pelo Dia dos Pais, comemorado no domingo, 14.

Homenagem – Jorge Elias sugeriu uma homenagem ao presidente do Capivariano, Osvaldo Agostinho Riccomini, o Vadinho. Para ele, independente do acesso, a campanha do Leão da Sorocabana deve ser valorizada e, principalmente, o esforço feito por Vadinho pela equipe.

Ação Quadrangular – Um projeto social desenvolvido pela igreja Quadrangular junto a estudantes foi destacado por Mateus Scarso (PMDB). Segundo ele, o “Ação Quadrangular” oferece aulas de dança e esportes às crianças e tem dado bons resultados.

De saia justa – Rotineiramente, os vereadores excedem o tempo máximo da tribuna: 10 minutos. Isso deixa o presidente da Câmara, Vitor Hugo Riccomini (PTB), de “saia justa”, como ele próprio disse, afinal, todos têm assuntos importantes a expor, mas ele não pode permitir que ultrapassassem o tempo limite. Então, para resolver a questão, ele pediu à Secretaria do Legislativo para que altere no regimento interno o período em tribuna de 10 para 15 minutos. Será que esse acréscimo de 5 minutos vai ser suficiente?

Ineficientes – Se a intenção da Prefeitura é diminuir o número de acidentes com os radares, ela não terá sucesso. Pelo menos é o que defendeu Arnaldo Nacarato (PMDB). Segundo ele, as lombadas, sim, evitam que acidentes aconteçam, pois obrigam os motoristas reduzirem a velocidade. Os radares, no entanto, não impedem que motoristas negligentes corram. Isso sem contar a diferença de valores. O vereador disse que a Prefeitura pagará R$ 52 mil mensais a empresa responsável pelo aluguel, manutenção e manuseio dos radares. Lombadas, defendeu Nacarato, custam bem mais barato. “Esse é mais um exemplo do desperdício do dinheiro público”, afirmou.

A pé – Nova presidente do Partido dos Democratas (DEM), Gilceane Orosco Malto relatou que o Conselho Tutelar está sem veículo desde que o único carro do setor foi danificado em um acidente de trânsito. Gil classificou a situação como absurda e pediu à Prefeitura que resolva a questão.

Artificial – Demonstrando preocupação com os benefícios da lei das sacolas plásticas ao meio ambiente, Rodrigo Abdala Proença (PPS) disse que o assunto foi tratado de forma “muito artificial”. Segundo ele, as sacolinhas oxibiodegradáveis, que devem substituir as embalagens convencionais, também são nocivas à natureza.

Prefeitáveis – Chico Rebete tem entrevistado os possíveis prefeitáveis de Rafard durante as manhãs na Rádio R FM, sempre às 8h30. Sintoniza lá, FM 107,9.

Por hoje é só, semana que vem, se Deus quiser estaremos de volta. Bom final de semana e até a próxima!

Jornal O Semanário

Esta notícia foi publicada por um dos redatores do jornal O Semanário, não significa que foi escrita por um deles, em alguns dos casos, foi apenas editada.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo