Opinião

“Servirem Rotary”

Há um princípio filosófico que diz que ninguém envelhece, enquanto procura algo.
A velhice só existe quando se perde o interesse. E é a pura verdade. No Rotary, seja em que clube for, fico sempre admirado de ver companheiros com mais idade, comportando-se como se estivessem em plena juventude. Vibrando, rindo, realizando e incentivando, inclusive os mais jovens.
Que mistério será esse? Que força extraordinária será essa que realiza o prodígio de rejuvenescer e de dar uma interminável energia aos rotarianos?
Inegavelmente, a busca por alguma coisa. A preocupação da frequência, o fortalecimento do companheirismo, a pontualidade dos seus compromissos, o seu contínuo servir, o seu comportamento correto na comunidade, a divulgação da sua ética profissional, o orgulho de portar o emblema da roda dentada na sua lapela. Tudo isso concorre para que os companheiros rotarianos envelheçam, mantendo, surpreendentemente, uma aparência cada vez mais jovial.

“Servir”
Esta é a palavra chave que encerra todo o segredo de tão desejada juventude: atividade, tanto física, quanto intelectual. Para isto, nada melhor do que o Rotary, um verdadeiro laboratório que podemos proporcionar as mais diversas oportunidades de servir. Evidentemente quando atingimos uma determinada idade, procuramos nos tratar da melhor maneira possível. Observamos uma alimentação mais sadia, ingerimos nossos medicamentos, agasalhamo-nos do frio, cortamos o fumo, evitamos acidentes, transformamos a nossa casa no nosso palácio e dedicamo-nos como é óbvio, ao lazer.
Mas como rotarianos fazemos algo mais. Estamos sempre procurando algo. Estamos sempre interessados em alguma coisa. Isto é Rotary.

Vornei Boccardo – Rotariano

Jornal O Semanário

Esta notícia foi publicada por um dos redatores do jornal O Semanário, não significa que foi escrita por um deles, em alguns dos casos, foi apenas editada.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo