Denizart Fonseca

Bons conselhos às esposas

denizart fonseca colunista
Denizart Fonseca, Cidadão Rafardense, oficial da FAB e professor de Educação Física e Desportos, colaborador desde a fundação do jornal O Semanário (Foto: Arquivo)

Não é nossa intenção que você se transforme em um “palhaço” para fazê-lo rir, estamos apenas aconselha-a que ponha na vida dele uma sensação de leveza e paz, que o distraia nos momentos de preocupação e tristeza.
Na vida dos homens aparecem horas de angústia e quase desespero, quando estão diante de uma lista de pagamentos a fazer, somando o dobro daquilo que vão receber, não sabendo mais onde “pescar” dinheiro necessário e não existindo mais horas livres para produzir, para ocupar com rendosos trabalhos. As horas de sono? Sim, muitas vezes o homem recorre a elas para fortalecer a economia, procurando equilibrá-la com as despesas que o apavoram.

Lembramo-nos de um amigo que durante cinco anos, começava diariamente ás 7 horas o trabalho em um emprego e largava o outro às 2 horas da madrugada do dia seguinte. Morando longe, dispunha apenas de 3 horas por noite para dormir. Tudo isto, para adquirir uma casa para os seus. No entanto, a esposa se desquitou quando estava tudo quase pronto, alegando abandono de lar e de aventuras… O golpe lhe foi tão grave, que, vinte anos depois o encontramos desanimado de lutar. Para que?

Jamais pense e proceda assim, porque estará destruindo uma criatura. Suporte certos amargores com paciência, já que a luta é árdua e sua maneira de agir poderá aliviá-lo de suas preocupações e não atormentá-lo ainda mais.

Alguns homens encontram uma deficiência de saúde, no cansaço da luta, e a distração é indispensável relevaste-lo. Quando ele se encontra nesse estado, não o sobrecarregue de maiores preocupações, ajudando-o o mais que puder, pelo menos, dando-lhe alegria com palavras de encorajamento.

Surgem às vezes aborrecimentos causando tristeza, com ou sem motivo. Aproveite a oportunidade para aliviá-lo da melancolia que o invade, através de comentários alegres ou alguma piada nova. Somente ele sabe das lutas internas que precisa travar para sustentar-se firme, de pé, sem faltar ao emprego, sem se deixar cair em um total arrasamento!

Distraia-o todas as vezes que puder, não apenas rindo, mas sabendo levar a conversação para os assuntos que ele aprecia, para fatos que diminuam as tensões emocionais, sem encher-lhe os ouvidos com mexericos ouvidos de passantes ou vizinhos, que o cansariam ainda mais.

Caso esteja aborrecido, não queira saber as suas causas, apenas se interesse por ele, mas com jeito e sem querer forçar coisa alguma.

O tato da esposa é talvez, a qualidade mais apreciada pelo marido. (Segue)

Cidadania

Para que uma cidade apresente boa imagem ambiental, necessário se faz, que, além do trabalho de limpeza das praças e ruas, executado pela Prefeitura, que os seus moradores colaborem, cumprindo as determinações quanto ao dia para colocar o lixo na rua, época para a poda de árvores.

Voltamos a tocar na economia da água, pois continuamos assistindo pessoas de “cabeça oca”, que continuam desperdiçando-a lavando calçadas e asfalto. Quando, depois de discutida e aprovada pela Câmara, virá a Lei para multar essas irresponsáveis?

Permanecemos no aguardo da reunião de voluntários, com o Legislativo e Executivo, para discutir solução de problemas pendentes, em melhoria do nosso município.

É isso.

ARTIGO escrito por Denizart Fonseca, Cidadão Rafardense, oficial da FAB e professor de Educação Física e Desportos, colaborador desde a fundação do jornal O Semanário. Os artigos assinados não refletem necessariamente a opinião do jornal. São de inteira responsabilidade de seus autores.

Etiquetas
Botão Voltar ao topo
Fechar